O Planeta dos Macacos (1963)

Planeta dos Macacos (1963) (1)

O Planeta dos Macacos
Original:La planète des singes
Ano:2015•País:França
Páginas:216• Autor:Pierre Boulle•Editora: Aleph

O Planeta dos Macacos, escrito pelo ex-agente secreto Pierre Boulle e publicado pela primeira vez em 1963, deu origem a uma das mais conhecidas sagas de ficção científica de todos os tempos. Adaptado para o cinema pela primeira vez em 1968, com Charlton Heston no papel do astronauta que se vê perdido em um planeta onde os macacos são a espécie dominante e os homens são apenas meros animais, O Planeta dos Macacos trazia a discussão de temas pertinentes ao período em que o filme fora gravado como o medo da bomba atômica e a submissão do homem a seres mais poderosos, frutos da Guerra Fria e da era nuclear. O filme ainda trazia um dos finais mais impactantes da história do cinema.

Finalmente relançado no Brasil com o merecido respeito pela Editora Aleph, com acabamento gráfico lindíssimo e cantos arredondados que lembram realmente uma espécie de diário, o livro difere muito do filme de 68 e suas reencarnações posteriores. Enquanto o filme de 68 e o remake de Tim Burton apresentam os macacos como uma raça avançada, mas com tecnologia de aspecto quase medieval, o livro mostra a sociedade simiesca muito parecida com a nossa, com automóveis, aviões e televisão.

No livro, acompanhamos os relatos das desventuras de um astronauta humano através de suas memórias, encontradas vagando no espaço por casal em lua-de-mel. A partir daí somos apresentados a uma equipe de três astronautas, incluindo o jornalista e protagonista Ulysse Mérou, o gênio cientista Prof. Antelle e seu assistente Arthur Levain, partindo rumo a Betelgeuse, a mais brilhante estrela do cinturão de Órion. Orbitando o sistema da grande estrela, os astronautas encontram um planeta habitável, muito semelhante à Terra, demonizado pela equipe de Soror. A única diferença: neste planeta, nós humanos somos animais caçados e usados em experiências científicas pela raça dominante, os macacos.

O Planeta dos Macacos que Boullé nos apresenta é uma incrível obra de ficção científica recheada de ironia e sátiras que usa Ulysse e suas desventuras pelo planeta Soror para discutir questões como o que nos torna diferente dos animais e quais as origens do conhecimento e tecnologia dos macacos. Com isso, ao autor toca em temas como espiritualidade e a real capacidade de aprender e evoluir da humanidade. Nós realmente criamos o mundo em que vivemos do nada ou a nossa sociedade resulta de uma série de imitações elaboradas como a dos macacos de Soror?

Impossível falar de O Planeta dos Macacos sem compararmos seu final com o emblemático do filme de 68. O final do livro é completamente diferente das duas versões para o cinema. Embora tão fatídico quanto suas adaptações para a película, o final de Boulle nos apresenta a dura realidade do plano maior das coisas.

Qual final é melhor? Leia e tire suas próprias conclusões!

(Visited 33 times, 1 visits today)
Rodrigo Ramos

Rodrigo Ramos

Designer por formação e apaixonado por HQs e Cinema de Horror desde pequeno. Ao contrário do que parece ele é um sujeito normal... a não ser quando é Lua Cheia. Contato: rodrigoramos@bocadoinferno.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien