Críticas, Literatura

O Bairro da Cripta – Tomo I – As Elegias (2014)

É um livro indicado não apenas para fãs do terror, mas também para quem aprecia histórias cativantes e bem escritas!

O Bairro da Cripta - Tomo I - As Elegias
Original:O Bairro da Cripta - Tomo I - As Elegias (2014)
Ano:2014•País:Brasil
Páginas:168• Autor:M.R. Terci•Editora: LP-Books

“É sempre treva no Bairro da Cripta”.

Cidade de Tebraria, interior de São Paulo. Final do século XIX à primeira metade do século XX. No Bairro da Cripta, são estimados trinta mil habitantes. “Destes, o Censo atribuía vida a apenas dez mil”. É nesse ambiente que se passam os vinte e quatro contos de As Elegias, primeiro volume da série O Bairro da Cripta, de Marcos R. Terci. No local habitam lobisomens, bruxas, sereias, demônios e outros seres fantásticos, espalhados pelo cemitério, a Floresta dos Suicidas, os Morros da Tristeza de Deus.

Quando pensamos na época e no local onde os contos de As Elegias são ambientados, a primeira coisa que vem à cabeça são os livros que lemos para o vestibular. Nenhum dos que li, porém, trouxe consigo o horror gótico e histórias influenciadas pela escrita de H. P. Lovecraft encontrados nos contos que compõem o livro. Terci optou por usar a linguagem mais rebuscada da época em que os contos são ambientados, mas, não se engane: isso não torna o livro maçante e acrescenta até certo charme às histórias, colocando o leitor no período vivido pelos moradores do Bairro da Cripta.

Com pequeno número de páginas, é de se esperar que os contos sejam breves, o que faz com que o autor não perca tempo e vá direto ao ponto, surpreendendo o leitor a cada nova estória apresentada. Ao longo do livro, o leitor vai conhecendo cada parte do Bairro da Cripta, cada um com suas particularidades, cada um com seus habitantes, sejam humanos ou sobrenaturais. E, nessas duas categorias de seres, as personagens criadas pelo autor são variadas: acompanhamos a dama que perdeu seu amado, o jovem festeiro que cruza o caminho de um lobisomem, a garotinha aparentemente inocente de quem os empregados desconfiam, o pescador que viu seus companheiros serem mortos por sereias. Os contos são independentes, porém vários deles se entrelaçam, seja através dos personagens ou através dos locais onde eventos sombrios aconteceram.

O Bairro da Cripta – As Elegias é um livro indicado não apenas para fãs do terror, mas também para quem aprecia histórias cativantes e bem escritas. E, se você já leu o livro e quer voltar para tão mal afamado bairro, não se preocupe: Elegias é apenas o primeiro de uma pentalogia. Os Epitáfios já está disponível para venda, e Marcos R. Terci segue trabalhando nos demais.

Leia também:

2 Comentários

  1. MAX DONEGA

    Vale cada arrepio!

  2. “Venham comigo. Vamos por esta estrada. Pelas colinas escarpadas, lugar de vento frio que faz gelar a alma de toda gente. Em redor de imenso e desfolhado bosque de ipês, dar-vos-ei conhecimento daquilo que espreita por este caminho.Vou dizer-vos algo que não querem ouvir. Vou mostrar onde está escuro”.
    Obrigado imenso ao Boca do Inferno e à Silvana Perez por fazerem tanto e de tudo pelo horror tanto nas questões de criação literária com em relação aos dilemas dos realizadores cinematográficos! Sem o brilhante apoio e estima de vocês as trevas do Bairro seriam só escuridão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *