Críticas, Literatura

Tânatos – Contos Sobre a Morte e o Oculto (2016)

Explora não só o terror da ficção, mas também o do dia-a-dia do país, criando contos de terror trágicos e realistas!

Tânatos – Contos Sobre a Morte e o Oculto
Original:Idem
Ano:2016•País:Brasil
Autor:Vitor Abdala •Editora: Giostri

“Se você fosse obrigado a escolher uma opção dentre as seguintes, qual seria: passar a eternidade num velho presídio, ser carregado pelos mortos para debaixo da terra, ser esquecido pela morte durante uma lenta e excruciante agonia ou passar o resto de sua vida preso a um corpo “sem alma”? Para sua sorte, você não tem que escolher nenhuma delas. Mas, se tiver coragem, pode acompanhar, como um observador privilegiado, esses e outros pesadelos enfrentados pelos personagens dos contos deste livro, que reúne histórias de terror sobrenatural’.

Esta é a sinopse de Tânatos – Contos Sobre a Morte e o Oculto, primeiro livro do jornalista carioca Vitor Abdala, que faz sua estreia com uma excelente antologia de contos de terror com uma pegada urbana, quase realista, fruto dos mais de dez anos trabalhando como repórter e que imprime um tom bastante trágico e pessimista à leitura, aumentando ainda mais o horror contido nas páginas do livro.

A opção de Vitor em iniciar sua empreitada através do mundo da ficção de horror com um livro de contos é acertadíssima. O formato eternizou escritores como Edgar Allan Poe e H.P. Lovecraft e está entre os melhores trabalhos de Stephen King e Clive Barker. O número reduzido de páginas não dá espaço para sobras, concentra a atenção apenas no necessário e dá um ritmo ágil e urgente à leitura. Algo muito bem-vindo em uma história de horror. Não há espaço para divagar. O leitor se depara com o medo sem poder desviar o olhar e vai ter que encará-lo até o final.

A leitura se transforma em uma espécie de montanha-russa, comparação um tanto clichê, mas que funciona bem aqui. Talvez a comparação melhor, dado as origens jornalísticas do autor, seria como uma ronda policial noturna, avançando pela cidade de chamado em chamado, com pequenas pausas para o café entre um caso e outro. Casos muitas vezes inexplicados, onde o leitor será testemunha de alguns fatos, mas não caberá a ele investigar e chegar a uma solução.

Tânatos (2016) (1)

Claro que, como toda antologia de contos, sempre há uma ou outra história que será superior, enquanto outras não serão tão boas, mas em Tânatos – Contos Sobre a Morte e o Oculto, a qualidade em geral é bastante homogênea, com os textos superando uns aos outros mais em inventividade e criatividade do que na qualidade realmente.  Os contos “Amanhã Vai Ser Pior”, “Mensagem Instantânea” e “Tem Uma Coisa Dentro de Mim” são, de longe, os mais interessantes e criativos. Os finais chocantes e em aberto remetem aos quadrinhos de horror da EC Comics, mas com identidade própria.

Esta identidade é outro ponto alto do livro, uma vez que Vitor Abdala toma a decisão correta de situar as histórias de Tânatos – Contos Sobre a Morte e o Oculto no Brasil e explorar, não só o terror da ficção, mas também o do dia-a-dia do país. Assim temos contos que mostram execuções do tráfico, tortura em penitenciárias, umbanda, genocídio indígena, corrupção e desastres naturais. Não há aquele vício bobo de usar nomes como “Jack” ou “Betty” e mandar as histórias para Londres ou Nova Iorque. Aqui temos o horror que se vê nos jornais todos os dias aliado ao horror fictício da melhor qualidade.

Leia também:

1 Comentário

  1. ivan

    O meu parabéns ao autor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *