Críticas, Literatura

Caixa de Pássaros (2014)

Uma jornada de sensações aterrorizantes por um mundo pós-apocalíptico, onde a ameaça não tem forma!

Caixa de Pássaros
Original:Bird Box
Ano:2014•País:EUA
Autor:Josh Malerman•Editora: Intrínseca

Poucos personagens em um ambiente pós-apocalíptico como não se via adequadamente desde a obra original de Richard Matheson, Eu Sou a Lenda. Depois de testemunharem alguma coisa nas ruas, criaturas talvez, as pessoas começaram a enlouquecer, assassinando quem estivesse por perto antes de se matarem. Eventos isolados em países distantes passaram a se tornar frequentes até alcançarem o continente americano, estabelecendo uma paranoia constante, que fechou escolas, comércios e janelas. Com medo, as pessoas não saiam de suas casas e colocavam cobertores para evitar que a coisa seja vista, consciente de que ela (ou elas) ainda está do lado de fora. Cinco anos após o primeiro incidente, Malorie e seus filhos pequenos estão prestes a deixar a residência onde ficaram abrigados por muito tempo. Eles precisam andar pelas ruas, atravessar um longo caminho sem enxergar, com uma venda sobre os olhos, apenas usando os demais sentidos, tentando identificar o que está próximo.

Em seu primeiro romance, Josh Malerman, cantor e compositor da banda High Strung, exibe sua capacidade impressionante de aprisionar o leitor em uma “caixa de pássaros” de sensações aterrorizantes. Ao mesmo tempo em que narra a jornada da família “cega” em uma pequena embarcação, ele também conta fatos anteriores ao nascimento das crianças, quando os eventos começaram a assombrar o mundo. Depois que a sua irmã Shannon enfia uma tesoura no próprio peito, após permitir uma pequena fresta no cobertor que cobre uma das janelas, Malorie seguiu uma gravação e foi procurar ajuda numa residência, habitada por um grupo de sobreviventes. Grávida, ela encontra naqueles novos amigos a família que precisava, adaptando-se ao novo universo de tensão e claustrofobia.

Caixa de Pássaros (2014) (2)

Sabendo que no presente só há Malorie e as crianças, o leitor acompanha o passado, curioso para saber como ela “perderá” os novos conhecidos, incluindo Tom, o seu porto seguro no ambiente estranho. E esse convívio responderá algumas perguntas que o leitor com certeza terá: será que o efeito é o mesmo se as criaturas forem vistas em vídeo? E se for através de um espelho? Elas afetam animais também ou apenas os seres humanos?

Com uma narrativa simples em capítulos curtos, sem exageros descritivos e com a dosagem certa de horror e suspense, Caixa de Pássaros é uma obra imperdível para os fãs do gênero fantástico. A qualidade do material já impulsionou a realização de uma versão cinematográfica, dirigida por Andy Muschietti (Mama), com a possibilidade de Eric Heisserer assumir o roteiro. Tendo em vista o proposto na obra, fica difícil imaginar uma maneira adequada de adaptação, uma vez que as sensações transmitidas pelos personagens são as únicas que acompanham o leitor, cego, e impressionado.

Leia também:

1 Comentário

  1. Fernanda

    Esse sim maravilhoso, suspense até o fim , tem um sabor de lovecraft com walking dead.
    Recomendo muito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *