Críticas, Literatura

Donnie Darko (2016)

Uma visão através do espelho, a obra traz tudo o que os fãs do cult Donnie Darko precisam para refletir!

Donnie Darko
Original:The Donnie Darko
Ano:2016•País:EUA
Autor:Richard Kelly•Editora: Darkside Books

Eu não entendi Donnie Darko.” – esta não apenas é uma máxima comum dita pelas pessoas que tiveram o primeiro contato com o filme de Richard Kelly, como também é comumente proferida pelo ator Jake Gyllenhaal, como ele próprio afirma no prefácio do livro lançado em março pela Darkside Books. Até hoje, quando alguém entra em contato com o protagonista, ele costuma responder a pergunta com outra, demonstrando também o quanto busca interpretações diversas sobre os acontecimentos no longa. Na verdade, não é pela complexidade de seu conteúdo, mas pelas inúmeras teorias possíveis de serem formuladas ao término.

Donnie Darko representa os caminhos por onde devemos percorrer, e as vidas que influenciamos. Desajustado, respondão e de uma notável inteligência, o adolescente, movido a fortes medicações e acompanhamento psicológico, escapa de uma tragédia, em uma dada noite em que resolve agir como Alice, seguindo um estranho Coelho. Este amigo imaginário, muitas vezes em contato através do espelho, evita que ele seja esmagado por uma enorme turbina, e anuncia que o garoto terá 28 dias, 6 horas, 42 minutos e 6 segundos até que o “mundo acabe“. Com essa segunda chance, Donnie continua agindo por impulso e por determinação de seu novo amigo, influenciando qualquer um que cruze seu caminho, enquanto estuda teorias de viagem no tempo.

Donnie Darko DarkSide 2016 (2)

Ele pergunta ao Prof. Kenneth Monnitoff se é possível viajar no tempo, como o Coelho gigante, de nome Frank, diz a ele. Bastaria uma nave grande e um acesso através de um “buraco de minhoca“, conforme a teoria apontada em obras como Uma Breve História do Tempo, de Stephen Hawking. Nesses diálogos, Donnie descobre que a Vovó Morte, Roberta Sparrow, escreveu a respeito, e que enlouqueceu quando abandonou a religiosidade para abraçar a ciência. À medida que o prazo para o “fim do mundo” se aproxima, Donnie ainda lidará com o autor de um livro de auto-ajuda Jim Cunningham, com a tímida e apaixonada Cherita, com a professora de literatura Karen Pomeroy e com seus amigos e familiares, com quem discute sobre gravidez na adolescência e até os relacionamentos sexuais dos Smurfs.

O livro traz o roteiro completo da versão estendida do filme, a letra da música “The Killing Moon“, do Echo And The Bunnymen, uma incrível entrevista com o diretor e roteirista Richard Kelly e ainda algumas páginas do livro da Vovó Morte e sua Filosofia da Viagem no Tempo, que capitulam a versão director´s cut. É um complemento literário, com curiosidades sobre a produção, as intenções de transformar Donnie Darko realmente em um herói, as dificuldades de filmá-lo e até as expectativas sobre o resultado. Passear pelas páginas caprichadas da Darkside permite ao leitor resgatar a obra cult em todos os seus pormenores, ficando cada vez mais próximo da compreensão da importância de cada personagem e do quanto cada detalhe é necessário para uma imersão completa no filme de 2001.

Donnie Darko não é mais apenas um filme enigmático, mas também uma obra cheia de mistérios. Não espere que a literatura traga as respostas que você sempre procurou; elas sempre estiveram ali, bastando apenas seguir o Coelho!

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *