Hemlock Grove (2013)

Hemlock Grove (2013)

Hemlock Grove
Original:Hemlock Grove
Ano:2013•País:EUA
Direção:Eli Roth, Deran Sarafian, T. J. Scott, David Semel, David Straiton
Roteiro:Brian McGreevy, Lee Shipman, Daniel Paige, Mark Verheiden
Produção:Eli Roth, Eric Newman, Mark Verheiden, Lee Shipman, Deran Sarafian, Tim King, Lyn Raynor
Elenco:Famke Janssen, Penelope Mitchell, Freya Tingley, Lili Taylor, Bill Skarsgård, Landon Liboiron, Dougray Scott, Nicole Boivin, Joel de la Fuente, Aaron Douglas

Quando o Netflix alardeou a estreia de sua primeira série totalmente original produzida inteiramente para a internet, House of Cards, como sendo o futuro da televisão, muitos aguardavam ansiosos o que este futuro traria. A surpresa foi o anúncio de que a segunda investida do Netflix neste novo formato seria um seriado de terror produzido e desenvolvido por Eli Roth (O Albergue, Cabana do Inferno). A ansiedade só aumentava quando o diretor prometia algo inspirado em Twin Peaks, que nos anos noventa revolucionara a forma de se contar histórias na TV sob comando do cultuado diretor David Lynch.

A espera terminou em 19 de abril com a estreia de Hemlock Grove.

A série é uma adaptação do livro homônimo de Brian McGreevy, e começa quando o corpo de uma jovem é encontrado terrivelmente mutilado. As suspeitas do crime envolvem um jovem cigano recém chegado a Hemlock Grove, Peter (Landon Liboiron), que acreditam ser um lobisomem, o jovem herdeiro de uma megacorporação que domina a cidade, o arrogante Roman (Bill Skarsgård) e o fugitivo de uma instituição mental. A partir daí Peter e Roman devem se unir para descobrir o verdadeiro culpado, encerrando de uma vez os crimes e assim limpar seus nomes.

Seguindo a mesma estrutura de Twin Peaks, a série se inicia com o assassinato e vai aos poucos mostrando todo os suspeitos, aqueles que de uma forma ou de outra foram afetados pelos crimes, além da cidade, que, como na série de David Lynch, é um dos principais personagens e peça chave do enigma. Com seus habitantes perturbados, suas intrigas políticas e seus mistérios, Roth constrói a mitologia da cidade, episódio por episódio. Este é sem dúvida o ponto alto de Hemlock Grove.

O casting é inspirado, onde o elenco jovem divide a tela com veteranos como Famke Janssen (da trilogia X-Men) e Lili Taylor (de A Casa Amaldiçoada). Destaque para os atores que representam Peter e Roman, bastante carismáticos e que funcionam muito bem juntos. Porém Penelope Mitchell (que interpreta a inocente Letha Godfrey) e Freya Tingley (no papel da jovem escritora Christina) em nenhum momento convencem com suas atuações, principalmente nos momentos chave, mais sérios e dramáticos.

Hemlock Grove (2013) (3)

Recheada de momentos gore e violentos, além muitos elementos de mitologia e folclore, a primeira temporada é composta de treze episódios que começam muito bem ao apresentar o crime e todos os personagens mas, assim como Lost em suas piores temporadas, falha ao colocar mais mistérios e personagens do que o telespectador consegue, e gostaria de acompanhar. Em um determinado momento personagens importantes entram e saem da trama da mesma forma sem mostrar a que vieram. A esperança é de que os motivos sejam desenvolvidos ao desenrolar da série.

A sensação que fica é de que Hemlock Grove seria muito melhor se tivesse menos episódios ou talvez tivesse se tornado um filme. Ela te prende no começo enquanto o telespectador vai conhecendo a cidadezinha e seus personagens, mas em uma certa altura se torna insuportável acompanhar tamanha enrolação. Você sabe que o que está vendo não dará em nada. Porém, no final, quando você está quase aliviado por ficar livre daquele balaio de gato, o último episódio vem e te deixa curioso pela próxima temporada. Sorte dos idealizadores que acertaram em divulgar os treze episódios de uma só vez!

Para o fã do terror, Hemlock Grove tem mais acertos do que erros, mas na tentativa de soar misterioso e enigmático, talvez até mais inteligente do que é, o roteiro acaba recheado de situações absurdas e diálogos que beiram o nonsense! Se a ideia era se inspirar em Twin Peaks, Roth deveria saber que apesar de suas qualidades, não é nenhum David Lynch e deveria investir melhor em seus roteiristas.

O Neflix ainda não anunciou a data para uma segunda temporada de Hemlock Grove, embora McGreevy já possua um segundo livro sendo finalizado e planos para um terceiro, mas apesar da crítica especializada dividida, a série parece ter sido bem aceita pelo seu público alvo e fica difícil imaginar que o canal não tenha intenção de continuar com ela. Vamos aguardar.

Leia também:

Rodrigo Ramos

Rodrigo Ramos

Designer por formação e apaixonado por HQs e Cinema de Horror desde pequeno. Ao contrário do que parece ele é um sujeito normal… a não ser quando é Lua Cheia. Contato: rodrigoramos@bocadoinferno.com.br

29 comentários em “Hemlock Grove (2013)

  • 20/07/2014 em 14:24
    Permalink

    Assisti apenas o primeiro episódio, achei bom. Mas depois de ler os comentários e sabendo que os episódios só vão caindo de ritmo nem vale tanto a pena assistir. Vou esperar as novas temporadas das minhas séries mesmo.

    Resposta
  • 03/03/2014 em 09:00
    Permalink

    No geral gostei muito da serie, o ponto forte e o fato do ”romance” da serie, não ser o foco da mesma, isso deixa a serie mais interessante diferente de outras series de vampiros e lobisomens, que são baseadas em romances.
    ansioso pela segunda temporada.

    Resposta
  • 20/02/2014 em 03:06
    Permalink

    No geral a serie e boa, porém enrola muito em algumas cenas.

    Resposta
  • 16/09/2013 em 00:00
    Permalink

    A melhor serie que estou assistindo no momento (seguida de perto por Under de Dome). Um romance de horror gótico que prende, estimula, apresenta ângulos poucos explorados da mitologia, deixa quem assiste envolvido.
    Um elogio à parte para a atuação do Bill Skarsgård e do Landon Liboiron, que se aparecem ainda um pouco deslocados em alguns momentos ‘solo’, são simplesmente imbatíveis juntos. Uma cumplicidade em cena que é impossível não admirar.
    A série tem seus defeitos, deficiências técnicas, mas se sustenta como há muito tempo eu não via uma produção ser capaz.
    Pena ter que esperar tanto pela segunda temporada, é a triste sina de todos que acompanham séries. O período de abstinência 😉

    Resposta
  • 02/08/2013 em 17:23
    Permalink

    A minha filha de 4 anos de vez em quando me pergunta quando vamos continuar vendo a série do lobo huahuahuaha. As vezes se perde um pouco o foco para dar mais estrutura porém acaba enrolando demais, podiam ter deixado para contar mais dos segredos em uma segunda temporada.

    Resposta
  • 30/07/2013 em 16:15
    Permalink

    Gostei bastante da serie, mas acho que chegando ao fim foi perdendo o ritmo, talvez por eu ter visto tudo em apenas dois dias SHAUHSAU, mas o final me deixou com uma vontade enorme de assistir a segunda temporada. Muitos misterios, segredos e quase nenhuma revelacao, gostei muito 🙂

    Ah, e provavelmente terá uma segunda temporada sim, esperei os creditos do ultimo episodio e tinha uma surpresa e tanto.
    [SPOILER]
    Christina esta viva! Sim, dentro do caixao, embaixo da terra.
    [FIM DO SPOILER]
    Isso me deixou mais ansioso para a proxima temporada x)

    Resposta
  • 03/06/2013 em 10:46
    Permalink

    Eu estou curtindo a trama em si, porém peca no lance do desenrolar das situações mesmo, realmente é meio enrolado para acontecer as coisas, mas vamos ver, uma segunda temporada valeria a pena.

    Resposta
  • 31/05/2013 em 12:08
    Permalink

    A série tem altos e baixos, mas como citado na crítica, deixa muitos furos e perguntas sem respostas (que espero serem respondidas na segunda temporada). Algumas cenas de sexo foram colocadas desnecessariamente, me parecendo meramente apelativas, e cenas como pais e filhos (menores de idade) bebendo e se drogando juntos, achei inverossímil demais, mas, de um modo geral, convence. Terminou de modo a me deixar curiosa quanto à segunda temporada.

    Resposta
  • 27/05/2013 em 21:49
    Permalink

    É muito lento. Acho que três episódios bastariam para relembrar lobisomens como huskys siberianos gigantes. Vampiros afeminados. Roteiro cheio de buracos. Não gostei, fraco. Perdi meu tempo. Muito infantil, os personagens parecem ter 10, 12 anos e só falam em transar. E a morte das gêmeas? Qual o sentido?

    Resposta
    • 13/06/2013 em 01:14
      Permalink

      A série é longa demais e tem vários pontos fracos, mas a morte das gêmeas foi bem costurada na trama. A motivação foi vingança, pelo ‘bullying’ delas em cima da Christina; mesmo sendo amigas, era uma relação meio abusiva (mas nada caricata). E as consequências, simples – foi atiçar o pai policial para agir no fim. Achei bem estruturado, pelo menos nisso.

      Resposta
    • 10/07/2013 em 15:45
      Permalink

      Essa foi a morte que mais fez sentido na série, pois todos os outros personagens eram secundários e quase não tinham uma história formada.

      Resposta
  • 26/05/2013 em 15:41
    Permalink

    a série é boa.
    tem gente que se diz crítico cinematografico, reclama e enche o saco, mas assiste 200 capítulos de enrolação de novela das 9h numa boa!

    Resposta
  • 26/05/2013 em 13:10
    Permalink

    To terminando de baixar a temporada, pra daí eu começar a ver… Mas essa série me parece ser foda, principalmente por carregar o nome de Eli Roth. Comparar com Twin Peaks é uma ambição em tanto!

    Resposta
    • 26/05/2013 em 01:37
      Permalink

      Eu concordo com a crítica, especialmente quando afirma que o seriado tem mais acertos do que erros. É delicioso assistir o desenrolar dessa cidade quase brega, com personagens beirando o caricato antigo, mas de qualidade. Uma série que homenageia o kische, talvez se proponha mais inteligente do que realmente é, mas longe de Lost, que é puro lixo e mentiras, tirar os espectadores de otários, Hemlock grove é um alimento para o espírito dos fãs do terror nos moldes um pouco mais antigos, com gore, sem tanto efeito digital

      Resposta
  • 26/05/2013 em 01:20
    Permalink

    Eu vi os dois primeiros e achei um PESADELO TORTURANTE assistir a esse troço. A cena da “transformação” em lobo, então…gargalhei. Eu realmente não sei como conseguiram ver 13 episódios.

    Resposta
    • 26/05/2013 em 12:01
      Permalink

      Você é uma pessoa mais sábia do que eu, que me deixei levar pela curiosidade e perdi quase 13 horas da minha vida com essa porcaria.

      Resposta
  • 25/05/2013 em 12:31
    Permalink

    Concordo Plenamente com vc Letha e Cristina são cheias de Beleza e nenhum talento

    Resposta
  • 25/05/2013 em 12:30
    Permalink

    Vi o primeiro episodio achei bom.

    Vi o segundo, começou a ficar podre mas mesmo assim decidi encarar o terceiro.

    Vi o terceiro e desisti de vez. Dá nao. Mto ruim.

    Resposta
  • 25/05/2013 em 12:10
    Permalink

    ainda nem assisti,depois eu vejo.

    Resposta
  • 25/05/2013 em 01:45
    Permalink

    Gostei muito de Hemlock Grove. Como o Rodrigo mesmo citou, a química dos dois rapazes protagonistas é muito boa MESMO! A Famke tá linda e macabra também, e a cidade com aquele ar de sufoco constante é irresistível!

    Resposta
  • 24/05/2013 em 19:58
    Permalink

    eu assisti e realmente,parece ser mais longo do que deveria…e mesmo assim,faltaram respostas para questoes importantes,por exemple deu a intender q a menina gigante foi ressucitada quando era bebe,sera q eu intendi bem? mas gostei no geral.

    Resposta
    • 24/05/2013 em 21:55
      Permalink

      Ou ela foi ressuscitada ou ela foi clonada… Algumas respostas vão ficar pra próxima temporada, mas alguém se importa com as perguntas?

      Resposta
      • 26/05/2013 em 12:15
        Permalink

        Eu, afinal de contas quem vê a série quer conhecer a história….

        Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien