Fear the Walking Dead – 3ª Temporada (2017) – Episódios 9 a 16

Fear the Walking Dead - 3ª Temporada
Original:Fear the Walking Dead - Season 3
Ano:2017•País:EUA
Direção:Stefan Schwartz, Andrew Bernstein, Deborah Chow, Paco Cabezas, Alex Garcia Lopez, Courtney Hunt, Daniel Stamm, Jeremy Webb
Roteiro:Dave Erickson, Robert Kirkman, Tony Moore, Wes Brown, Suzanne Heathcote, Lauren Signorino, Mark Richard, Jami O'Brien, Ryan Scott, Michael Zunic
Produção:Pablo Cruz, Arturo Sampson, Bob Lewis
Elenco:Kim Dickens, Frank Dillane, Alycia Debnam-Carey, Mercedes Mason, Colman Domingo, Rubén Blades, Cliff Curtis, Danay Garcia, Daniel Sharman, Sam Underwood, Dayton Callie

Com a morte de Jeremiah (Dayton Callie), pai de Troy (Daniel Sharman) e Jake (Sam Underwood), o rancho finalmente firmou um acordo de paz com os nativos. No entanto, a convivência passa a ser o motor propulsor dos conflitos, principalmente quando Madison (Kim Dickens), Alicia (Alycia Debnam-Carey) e Nick (Frank Dillane) percebem que a falta de água terá consequências graves nas próximas semanas. Enquanto decisões precisam ser tomadas para que haja uma distribuição adequada da água, Troy retorna de seu exílio com a perspectiva de vingar a morte do pai e tentar convencer Nick a se unir a ele. Não dará certo, e novamente o rapaz terá que se afastar até retornar de maneira drástica alguns episódios depois.

Madison parte em uma jornada ao encontro de Daniel Salazar (Rubén Blades) na barragem, com a perspectiva de um acordo que possa eliminar o problema da escassez de água. Mesmo com o apoio de Walker (Michael Greyeyes) e Strand (Colman Domingo), há uma certa relutância, principalmente de Lola (Lisandra Tena), sendo necessária uma atitude ousada para conquistar a confiança. Enquanto isso, nas proximidades do rancho, Troy retorna com uma leva de zumbis, conduzidos pelo som, e ocasiona os melhores momentos da temporada, nos episódios 12 (Brother’s Keeper, de Alrick Riley) e 13 (This Land Is Your Land, de Meera Menon), quando um grupo, liderado por Alicia (Alycia Debnam-Carey) e Ofelia (Mercedes Mason), se isola num bunker. Presos, com uma tensão pela falta de oxigênio e claustrofobia, Alicia se desenvolve de maneira absoluta, passando a ser uma guerreira, com bastante semelhança com sua personagem em The 100, e comandante.

Jake é mordido pelos zumbis, restando a Nick e Troy a responsabilidade de tentar salvar o rancho. Assim, o ambiente acaba extinto pelos invasores vorazes, e os poucos sobreviventes partem para dois lugares distintos: uma região de comércio, onde Nick voltará a ter problemas com drogas e Strand agirá de maneira imbecil para não se tornar vítima de uma facção instalada no local, entregando a existência da barragem; e Alicia acabará se esbarrando com os mesmos bandidos ao ser oferecida como enfermeira do líder, prestes a realizar uma cirurgia delicada. Tudo explodirá na guerra da barragem, com a morte de mais personagens de destaque e um provável sacrifício.

Essa segunda metade de Fear the Walking Dead soube mesclar ousadia – algo que faltava à série – com momentos de tensão e conflitos armados. Mas, como o sobrenome “the walking dead” exige, os personagens estão sempre em movimento, dificilmente se estabelecendo em um único lugar. Parece que o México realmente fez bem à série, assim como a falta de vínculo com uma HQ, possibilitando o desenvolvimento de seus próprios enredos. Ainda não entendo a sobrevida de Strand, comprovadamente um calhorda desde a primeira temporada, mas vejo com bons olhos o crescimento de Alicia e o retorno grandioso de Daniel.

Aliás, por falar em retorno, o episódio final, Sleigh Ride, de Andrew Bernstein, me surpreendeu ao apresentar nos créditos o nome Cliff Curtis, o Travis, aparentemente morto no começo da temporada. Contudo, a solução encontrada para seu retorno, de maneira onírica, não permitiu que uma resposta para seu sumiço fosse dada. No fundo, Madison demonstra acreditar em sua volta tanto que o personagem não tem seu túmulo exposto na visão e ainda serve de apoio para que ela não se entregue. Sem forçar episódios centrados em um núcleo único, pelo menos não de maneira abrupta, Fear the Walking Dead torna-se um entretenimento de interesse, distante de sua condição de subproduto da série original.

Agora, com o anúncio oficial de um crossover entre as séries, restava saber qual personagem saltaria entre os universos. Minha aposta inicial era Heath (Corey Hawkins), que desapareceu de The Walking Dead desde o episódio 6 da sétima temporada, mas já foi anunciado que o personagem Morgan fará o vínculo das séries. No entanto, a diferença temporal pode ser um grande obstáculo para a ponte entre os dois programas, apesar da boa intenção. Vamos aguardar!

Se quiser ler minha análise sobre os primeiros oito episódios, clique para continuar na página 2 abaixo!

(Visited 99 times, 1 visits today)
Marcelo Milici

Marcelo Milici

Fundou o Boca do Inferno em 2001. Formado em Letras, fez sua monografia sobre o Horror Gótico na Literatura. É autor do livro "Medo de Palhaço", além de ter participado de várias antologias de horror!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien