Críticas, Televisão

Hannibal – 3ª Temporada (2015)

Com roteiros, produção, fotografia e elenco incríveis, talvez a sua ousadia e inteligência tenham sido seus melhores e piores pontos!

Hannibal (2015) (3)

Hannibal - 1ª Temporada
Original:Hannibal - First Season
Ano:2013•País:EUA
Direção:James Foley, Peter Medak, John Dahl, Tim Hunter, David Slade, Guillermo Navarro, Michael Rymer
Roteiro:Bryan Fuller, Thomas Harris, Steve Lightfoot, Scott Nimerfro
Produção:Tim King, Jennifer Schuur, Jim D. Gray, Carol Dunn Trussell
Elenco:Hugh Dancy, Mads Mikkelsen, Caroline Dhavernas, Laurence Fishburne, Scott Thompson, Aaron Abrams, Gillian Anderson, Hettienne Park, Kacey Rohl, Raúl Esparza, Lara Jean Chorostecki, Katharine Isabelle

Se você ainda não assistiu as duas primeiras temporadas de Hannibal pare de ler este texto. Vamos dar um tempo para você se apaixonar por Hannibal primeiro. É fácil! As duas primeiras temporadas da série (disponíveis atualmente pelo Netflix) são impressionantes e cativantes. Não há como passar imune à série e ao charme diabólico de Hannibal Lecter, vivido aqui de maneira impecável por Mads Mikkelsen (de Cassino Royale). O roteiro e a direção de arte de Hannibal fazem dela algo raro na TV americana, acostumada ao marasmo das fórmulas prontas e de histórias mastigadinhas para um público que se acostumou a ter alguém pensando por eles. Talvez por isso a terceira temporada de Hannibal foi a última.

O terceiro ano, que atualmente é exibido pelo canal AXN todas as sextas às 22h, pode ser dividido em duas partes. Começando totalmente diferente graças ao gancho deixado pela segunda temporada que conclui de maneira surpreendente, revirando todo o status quo da série. Agora acompanhamos Hannibal vivendo na Itália, ao lado de Bedelia (Gillian Anderson, de Arquivo X), retomando aos poucos os seus hábitos alimentares enquanto nos EUA todos estão atrás de sua cabeça. Esta primeira parte extrapola o caráter artístico e metalinguístico da série com diversos momentos contemplativos, diálogos nada expositivos e um ritmo mais lento que definitivamente é para poucos.

Hannibal (2015) (1)

Difícil dizer que esta primeira metade da nova temporada tenha sido o fator determinante do cancelamento da série. Hannibal nunca foi para muitos gostos e desde seu inicio vinha aos poucos apresentando uma queda significativa na audiência. Talvez por isso Bryan Fuller, criador da série, tenha resolvido ser mais experimental ainda neste começo de temporada. Porém, quando notícias de seu possível cancelamento começaram a circular, Fuller executa uma manobra inteligente e resolve trazer para o seriado uma excelente adaptação do livro O Dragão Vermelho, de Thomas Harris. Publicado pela primeira vez em 1981, o livro apresentou ao mundo o canibal Hannibal Lecter e já foi adaptado para o cinema duas vezes.

A partir desta virada, a série retoma o fôlego das duas temporada anteriores e apresenta um novo vilão, o Dragão Vermelho/ Fada do Dente, codinome de Francis Dolarhyde, vivido na série por Richard Armitage, da trilogia Hobbit. Armitage acrescenta mais um ótimo trabalho ao excelente elenco da série. O Dragão Vermelho pode não ser tão inteligente quanto Hannibal, mas sua forte presença física rende excelentes confrontos e momentos bastante assustadores. Falar mais sobre estes novos rumos da série pode estragar as surpresas de quem ainda não viui, mas vale a pena dizer que estes últimos episódios estão entre os melhores de Hannibal.

Hannibal (2015) (2)

Com apenas três temporadas, Hannibal estará para sempre marcada como uma das melhores séries de horror de todos os tempos. Com roteiros, produção, fotografia e elenco incríveis, talvez a sua ousadia e inteligência tenham sido seus melhores e piores pontos. Para um público acostumado a mais do mesmo, o requintado cardápio oferecido por Bryan Fuller e seus exercícios poéticos e metalinguísticos podem ter sido bastante indigestos. Hannibal definitivamente é um prato para poucos paladares.

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *