Críticas, Televisão

Hemlock Grove – 3ª Temporada (2015)

Esta 3ª Temporada consegue ser tão sem graça quanto absurda, parecendo que os roteiristas estavam bêbados e deprimidos enquanto escreviam…

Hemlock Grove (2015) (3)

Hemlock Grove - 3ª Temporada
Original:Hemlock Grove - Season 3
Ano:2015•País:EUA
Direção:David Straiton, Russell Lee Fine, Marc Jobst, Jim O'Hanlon, Carl Tibbetts
Roteiro:Brian McGreevy, Lee Shipman, Travis Jackson, Peter Blake, Evan Dunsky, Charles H. Eglee, Ned Navidi, Lorna Clarke Osunsanmi
Produção:Lynn Raynor
Elenco:Famke Janssen, Bill Skarsgård, Landon Liboiron, Joel de la Fuente, Madeleine Martin, Kaniehtiio Horn, Luke Camilleri, Demore Barnes, Camille De Pazzis, Madeline Brewer, Alex Hernandez

Com o início da produção de seu conteúdo próprio, o sistema de streaming Netflix estabeleceu novos patamares para os padrões de qualidade para séries de TV. House of Cards, Orange Is The New Black, Demolidor e Narcos subiram a barra, dificultando muito a vida de quem trabalha com séries de TV. Elas serão sempre comparadas ao que a Netflix produziu. Correto?

Quem acompanhou Hemlock Grove até o seu final, na terceira temporada, que estreou no último dia 23 de outubro, tem muitas razões pra discordar.

Produzida por Eli Roth (O Albergue) a série teve um começo promissor, apesar de um pouco confuso, com muitas referências ao folclore europeu e ao cinema de horror e encerrou o seu primeiro ano deixando os telespectadores curiosos pelo que viria a seguir. O segundo ano, com novos showrunners, optou por ignorar tudo aquilo que vinha sendo trabalhado, e tomou novos rumos, partindo para algo mais sci-fi, recheado de subtramas irrelevantes e confusas. Mas o final da segunda temporada, de tão “WTF?!”, ainda atiçou a curiosidade de quem estava acompanhando até ali.

E então resolvemos dar mais uma chance. Afinal, seria só mais uma temporada. Que mal poderia haver nisso? Certo?

Hemlock Grove (2015) (1)

Enquanto as temporadas anteriores possuíam erros, mas continham algumas tramas muito bem desenvolvidas. Este terceiro ano da série consegue ser tão sem graça quanto absurdo, ao ponto de parecer que os roteiristas estavam bêbados e deprimidos enquanto trabalhavam na história, isolados em salas separadas, e quando cada um chegava com seu roteiro, alguém deixou a janela aberta e o vento fez com que todas as páginas voassem. Algumas páginas se perderam, outras se misturaram, mas como ninguém se importava, juntaram as páginas como estavam e filmaram.

Basicamente, esta é a sinopse e tudo o que o infernauta precisa saber sobre a terceira e última temporada de Hemlock Grove: Peter (Landon Liboiron) e Roman (Bill Skarsgård) estão atrás da filha de Roman, sequestrada por um cientista/monstro-arraia-voadora no final da temporada anterior, Olivia (Famke Janssen) continua (!!!) morrendo, Shelly (Madeleine Martin) agora vive como mendiga e encontra o amor na figura de um poeta chato maluco, Pryce (Joel de La Fuente) continua pesquisando uma cura para Olivia, apesar de ela tratá-lo como lixo o tempo todo e Destiny (Kaniehtiio Horn) se envolve com um cigano picareta que irá causar muito problema. O resto é recheio de linguiça pretensioso.

Hemlock Grove (2015) (2)

Sejamos justos: o terceiro ano ainda tentou retomar um pouco mais da mitologia dos upirs e wargulfs, mas não o suficiente. É inadmissível que uma série desenvolvida dentro dos padrões da Netflix tenha fugido ao controle desta forma. São apenas três anos, cerca de trinta episódios e poucos personagens. Não conseguir contar uma história coesa, com começo meio e fim, com erros tão amadores, coloca uma mancha no currículo da Netflix que o canal e o telespectador farão questão de apagar da memória.

No final, apenas uma coisa ainda me intriga: pra quê ele precisava de tanto bacon?

Leia também:

12 Comentários

  1. Fabiana Barbosa

    onde acho o dvd da terceira temporada? Preciso completar a minha coleção por mais ruim que seja a serie mas para ver o lindo Bill Skarsgard

  2. iana lourenço

    eu nunca gostei de ver filmes ou series. essa é a minha primeira, e eu amei.

  3. Dinara

    Simplesmente a série na 1 temporada começou e terminou bem com as coisas místicas. A 2 temporads focu na doidice do roman e com tsnta gente sabendo que ele era vampiro n souberam e nem ele q tinha bancos de sangue? E a olivia de 150 anos tb n sabia disso? Ai temos o lance do bebe e o medico maluco q vira umdragao. N eswuecamos q os assassinatos na 2 temporada s maiores do q os da 1 e o o delagado n faz nada preocupado em qm matou a irma dele e a organizacao do dragao tem um fim podre e ai bom vem a 3 temporada c uma olivia lesa morrendo e anormal c aquela leseira de chanco. A destiny c tantos poderes n soube isar e prever tudo? Honestamente foi mto ruim.

  4. Cris

    Ah,e a melhor cena foi a pegadinha da Olívia no Pryce: “Contei tudo para a os policiais” , e ele se livrando de tudo!hahahahahaha

  5. Cris

    O q Hemlock Grove deixou p mim foi a melhor transformação de lobisomem do universo!

  6. Josué Teodoro

    Kkkkkkkkkkk parece que quem escreveu a terceira temporada foi um adolescente zuando com a casa de todo mundo. Uma grande porcaria. Quando aquele “acho quite ginecologista”se transformou naquela Harpia grotesca e levou a bebê eu já entendi que não podia esperar mais nada.

  7. Vinicius Figueiredo

    Concordo plenamente! Foi a maior decepção e perca de tempo ver esta série até o final!

  8. Márcia Martins

    A minha expectativa é que não, aquilo não podia estar acontecendo, lógico que tinha uma explicação para aquilo é no próximo capítulo, tudo seria esclarecido. Enfim, chegou o final da 3 temporada e contínuo me perguntando o que foi aquilo!!!

    • Rodrigo Ramos Rodrigo Ramos

      O que foi aquilo? Foi uma das piores séries de terror que já vi na vida!

  9. Leonardo Gehring

    Nossa, foi uma série que eu odeio amar. Primeira temporada foi muito boa, a parte sci-fi era interessante apenas como um detalhe na historia, depois que se tornou o foco fodeu muito e deixou mais confuso ainda o que ja era confuso.
    Eu acho que a ultima temporada tinha idéias interessantes (eu gostei do fim que deram pro Peter), mas que teriam que ter desenvolvido com mais tempo, e mais atenção, deixo muito na cara que fizeram de qualquer jeito apenas para dizer que teve um fim. (é parte da politica da Netflix não deixar as séries sem um devido final)
    Tudo que eu penso quando revejo (sim, ja revi umas duas a tres vezes cada temporada) é: A série que poderia ter sido, mas que não.
    ps: pra quê ele precisava de tanto bacon? 2

  10. Antonio

    Que pena! Meus sentimentos ao fim da segunda temporada foram traduzidos fidedignamente ao que relataste, Rodrigo. Agora, a 3ª temporada está na minha lista, e não sei o que fazer.

    • Sugiro algo mais interessante e menos doloroso tipo… uma operação de canal! 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *