Críticas, Televisão

Mr. Pickles: 1ª Temporada (2014)

É tão doentio de divertido, que você se sente até culpado em alguns momentos por estar gostando disso

mr-pickles-2014-4

Mr. Pickles - 1ª Temporada
Original:Mr. Pickles - Season 1
Ano:2014•País:EUA
Direção:Will Carsola
Roteiro:Will Carsola, Dave Stewart, Sean Conroy
Produção:Micheal J. Rizzo, Eric Binns, Ollie Green
Elenco:Brooke Shields, Dave Stewart, Frank Collison, Jay Johnston, Kaitlyn Robrock e Will Carsola

Pense em um universo doentio. Um universo doentio não estilo aquele que a nave de O Enigma do Horizonte vai parar, mas um universo doentio funcional, espelho da nossa estrutura social e ao mesmo com o que há de pior em cada um, repassado da forma mais bizarra e humoristicamente negra possível. Pensou? Então bem vindo a Mr. Pickles.

Mr. Pickles é uma animação criada pela dupla Will Carsola e Dave Stewart para o canal Adult Swim. Com dez episódios de 11 minutos cada um, a história gira em torno da família Goodman, cujo simpático filho Tommy, de seis anos e usuário de próteses nas pernas, vive aventuras diárias com seu fofo cachorro Mr. Pickles, da raça Border Collie.

Divertido, né? Sim, principalmente porque Mr. Pickles é na verdade uma entidade satânica, provavelmente o próprio diabo no corpo de um cachorro.

mr-pickles-2014-2

É surreal! Em sua primeira temporada Mr. Pickles irá matar, mutilar, estuprar, realizar rituais, genocídios, controlar mentalmente outros animais e transar até com humanos, além de sua casinha de cachorro esconder uma passagem para um covil diabólico, com tantos elementos satânicos que até o cristão menos praticante e cabeça aberta se incomodaria um pouco. Tudo isso da forma mais hilária possível.

Como os episódios são curtos, acontece muita coisa, de forma rápida, sempre iniciados pela abertura em metal já mostrando que não vem coisa leve por aí. Os dramas familiares dos Goodman acabam sendo o alicerce de cada trama, sempre causando uma situação que foge totalmente do controle. O pai sofre num emprego de telemarketing com um chefe abusivo, a mãe se sente limitada como mera dona de casa e Tommy sofre bullying constante.

O próprio primeiro episódio já é um dos mais ousados da série inteira. Em O grande trabalho de Tommy já temos de cara Mr. Pickles cheirando gasolina e causando um massacre numa festa de fetiches sexuais, envolvendo o Vovô, único personagem que vê o cachorro como satânico, mas com ninguém acreditando em suas palavras. E tudo isso envolvendo Tommy se apaixonar por uma garota da fazenda vizinha, com um mar de reviravoltas que termina com o menino tendo peitos.

mr-pickles-2014-3

É interessante ressaltar que embora o cachorro seja realmente uma entidade das trevas, seus atos são sempre “justificáveis”. Mr. Pickles não mata pessoas corretas (embora isso seja extremamente difícil de encontrar no universo da animação e essa regra seja quebrada no piloto) e embora pregue peças constantes (e bem pesadas) no Vovô, além de tentar bolinar a Mãe, tem um respeito notável pela sua família e devoção incondicional a Tommy.

Há também um punhado de referências à cultura pop, com destaque para o episódio da lenda do Homem Queijo, que claramente homenageia a série Sexta-Feira 13, além de outras como Velozes e Furiosos e o mito do Pé Grande.

Cada episódio funciona de forma independente, mas seu encerramento em O Covil – quando o Vovô consegue adentrar na caverna de Mr. Pickles para tentar provar a todos a verdade sobre o cachorro satanista – garante um bom gancho para sua segunda temporada.

A série foi uma das mais assistidas no Adult Swim estadunidense, com uma média de 1,5 milhão de telespectadores, garantindo sua renovação para uma segunda temporada.

Para quem realmente não se importa com simbologias, Mr. Pickles é um humor negro pesadíssimo de primeira. Só tente assistir sem deixar uma brecha para que seus pais vejam junto.

Leia também:

2 Comentários

  1. Guilherme

    Atualizando! Renovado para uma terceira temporada (Amém!).

  2. Vitor Marcelo

    amo essa animação!! um presente para os fãs do horror!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *