Quem Matou Rosemary? (1981)

5
(2)

GALERIA DE ASSASSINOS MENOS ILUSTRES:

Quando se fala em slasher movies, os primeiros nomes que vêm à cabeça, instantaneamente, são os de Jason Voorhees e Michael Myers, seguidos, talvez, pelo Ghostface da série Pânico e por Ben Willis da série Eu Sei o que Vocês Fizeram…, para citar alguns exemplos. Também aparecem alguns que geraram séries menos reconhecidas, tipo a Angela, da série Sleepaway Camp. Mas existem assassinos menos ilustres, que apareceram em um único filme e nunca voltaram em continuações, como o soldado psicopata de Quem Matou Rosemary?. Não que eles sejam menos profissionais do que os anteriormente citados, muito pelo contrário. O problema é que ou eles morreram violentamente no final do primeiro filme que estrelaram, ou então o tal filme não fez o merecido sucesso, e por isso nunca justificou uma continuação. Mas se fosse hoje em dia, cada um deles teria, pelo menos, mais uns 5 filmes pela frente – é só lembrar que até o pavoroso Ripper ganhou sequência!!!

Confira uma seleção com 13 destes assassinos do segundo escalão:

CROPSY (Lou David)

Chamas da Morte (1981) (9)

Número de vítimas: 9 (5 mulheres e 4 homens)

Em Chamas da Morte (The Burning, 1981), Cropsy era um sádico monitor de acampamento que acabava completamente deformado, com queimaduras de terceiro grau, depois de uma sacanagem armada por quatro garotos. Cinco anos depois, ele recebe alta do hospital e volta ao acampamento para chacinar alguns adolescentes, usando uma longa e afiada tesoura de jardineiro. Cropsy deixa saudades: poucas vezes um assassino foi tão feroz, brutal e eficaz quanto ele. Em uma cena, ele chegava a trucidar cinco jovens de uma só vez, cortando dedos, pescoços e cabeças. E pensar que o Jason precisava esperar suas vítimas ficarem a sós para pegá-las uma por uma… Tsc, tsc, tsc. Frescão!

O MUTILADOR (Jack Chatham)

Mutilator (1985)

Número de vítimas: 6 (4 homens e 2 mulheres)

O filme O Mutilador (The Mutilator, 1985) é péssimo, mas uma coisa você é obrigado a admitir: o “Mutilador” sabe o que faz. Traumatizado pelo assassinato de sua esposa pelo próprio filho pequeno, ele espera o rapaz crescer e se esconde na sua casa de praia. É para lá que o filho vai com alguns amigos adolescentes. A partir daí, papai malucão começa a fazer jus a sua alcunha de “Mutilador“: esquarteja um deles com um motor de lancha, enfia um enorme gancho de ferro na vagina de uma moça e, mesmo partido ao meio após ser atropelado por um carro (!), ainda reúne forças para “ressuscitar” e cortar a perna de um cara usando um machado! Esse é “o mutilador“!!!

RUSS THORN (Michael Villella)

Slumber Party Massacre (1982)

Número de vítimas: 11 (4 homens e 7 mulheres)

A série Slumber Party Massacre teve vários filmes, mas o famoso Russ Thorn apareceu apenas no filme original, de 1982. Os outros são estrelados por assassinos diferentes. Thorn é um psicopata sem passado, fugido do hospício, que não usa máscara nem roupa preta (pelo contrário, veste jeans normal), e só tem uma marca registrada: usar uma broca para matar suas vítimas (com tanta arma pra escolher…). Ele persegue e mata um monte de meninas gostosas numa festinha na casa de uma delas. Freud explica: Thorn usa a broca como símbolo fálico e parece ser uma espécie de metáfora para o início da vida sexual das garotas!!!

HARRY WARDEN (Peter Cowper)

DIa dos Namorados Macabro (1981)

Número de vítimas: 12 (7 homens e 5 mulheres)

Em Dia dos Namorados Macabro (My Bloody Valentine, 1981), Harry Warden era um minerador que ficou preso com seus colegas em um dos túneis da mina, enquanto toda a cidade festejava no Baile de Dia dos Namorados. Ele sobreviveu praticando canibalismo e, anos depois, voltou para se vingar da juventude promíscua. Na verdade, no fim descobrimos que não é Warden o assassino. Mas o que vale é o visual do matador: vestido de minerador, todo de preto, e levando uma picareta para esquartejar suas vítimas. Outro que deixou saudades. Era para ter voltado em uma continuação em 2001, com roteiro escrito pelo mesmo diretor do original, mas o estúdio responsável (Paramount) desistiu.

LEO ROOK (Christopher Adamson)

Farol da Morte (2000)

Número de vítimas: 10 (9 homens e 1 mulher)

Este é da nova geração. Apareceu no excelente O Farol da Morte (The Lighthouse, 2000), em plena época de filmes como Pânico e Lenda Urbana, ensinando para estas baboseiras “teen” como se faz um verdadeiro filme com assassino serial. Rook havia sido preso por crimes brutais e estava sendo levado de barco para a cadeia quando um naufrágio deixou-o livre, leve e solto para matar adoidado numa ilha onde só existe um farol e mais nada. O modus operandi de Rook é decapitar a cabeça das vítimas, e a simples menção do seu nome faz as pessoas tremerem de medo. Uma espécie de Michael Myers do século 21, mais humano e menos “bicho-papão“.

ROBERT “BOBBY” HENKEL (John C. Russell)

Número de vítimas: 8 (5 homens e 3 mulheres)

Uma cópia classe B de Michael Myers, “Bobby“, como é chamado pelos íntimos, apareceu em Mansão da Morte (Sorority House Massacre, 1987). Ele chacinou toda a sua família e foi internado em um manicômio, onde ficou quietinho, em estado catatônico (Michael Myers, alguém?). Isso até descobrir que uma das suas irmãs, Beth, escapou da chacina e já é uma adolescente, que não lembra de nada do seu passado. Então Bobby escapa do manicômio (simplesmente pulando a cerca!!!), pega um facão e vai até a fraternidade (“sorority house“) para matar uma porção de meninas de tetas de fora e seus namorados boçais. Se em comparação com Myers perde de feio, pelo menos ele mata mais que o “boogeyman” em seu primeiro filme.

IRVING WALLACE (Clain Parker)

O Pássaro Sangrento (1987)
Ensaio para um massacre

Número de vítimas: 9 (5 homens e 4 mulheres)

Em O Pássaro Sangrento (Aquarius, 1987), o italiano Michele Soavi deu uma aula de como se faz um slasher movie. O psicopata profissional Irving Wallace, recém fugido de um manicômio, infiltra-se no elenco de uma peça teatral sobre uma “coruja assassina“. Ali, vestindo a macabra roupa de coruja, Wallace transformará ficção em realidade – arrancando elogios do diretor da peça pelo realismo com que mata uma atriz, de verdade, obviamente! Como um Jason macarrônico, ele mostra uma ferocidade e brutalidade sem equivalente, fazendo uso de diversas armas para matar: serra elétrica, furadeira, machado e outras. Nota 10, muito eficiente.

FRANK ZITO (Joe Spinell)

O Maníaco (1980)
Assassinato não é nada bonito

Número de vítimas: 7 (2 homens e 5 mulheres)

Zito é o maníaco do filme Maniac (1980). Seria apenas um gordo escroto de olhos esbugalhados se seus crimes não fossem tão sangrentos (e, neste caso, o mérito é mais do maquiador Tom Savini do que do assassino em questão). Lelé da cuca, vive sozinho com um grupo de manequins, atacando principalmente mulheres, que mata para retirar o escalpo. Entretanto, vira um “fru-fru” ao se apaixonar por uma fotógrafa: além de parar de matar, até a convida para sair e faz piadinhas, como qualquer cara normal. Tsc, tsc… Quem te viu, quem te vê! Um caso clássico de “a bela e a fera“!

ANDREW GARTH (?)

Noite Infernal (1981) (1)

Número de vítimas: 6 (4 homens e 2 mulheres)

Andrew foi o quarto filho do milionário Raymond Garth, conforme nos mostra o filme Noite Infernal (Hell Night, 1981). Todos os Garth Jr. nasceram dementes ou deformados, tanto que o pai se desesperou e resolveu matar toda a família antes de cometer suicídio. Mas Andrew sobreviveu e ficou vivendo na mansão, que ganhou fama de mal-assombrada. Quando um grupo de universitários invade seu lar para fazer uma “iniciação” de fraternidade, o matador não faz nada mais do que “defender sua propriedade“. Nenhum tribunal do mundo poderia julgá-lo (até pelo fato de que ele não entenderia porcaria nenhuma!). Infelizmente, o pobre Andrew teve uma carreira muito curta, embora tenha desempenhado com profissionalismo o seu papel.

DAVEY/SLAUSEN (Chuck Connors)

Armadilha para Turistas (1979)

Número de vítimas: 5 (3 mulheres e 2 homens)

No ótimo Armadilha para Turistas (Tourist Trap, 1979), Slausen era um fazendeiro que vivia num casarão ao lado de um museu de cera. Mas também era Davey, um psicopata com poderes paranormais, que usava uma mórbida máscara de porcelana, movia objetos com o poder da mente e transformava pessoas em zumbis-manequins (é sério!). Infelizmente, como aconteceu também com seu colega Frank Zito, Davey/Slausen se apaixonou, e aí cometeu um grande erro. Entra com mérito na lista só por matar sadicamente uma garota, sufocando-a com gesso! E é um vilão realmente assustador em um filme muito estranho e mórbido.

O DEPREDADOR (Carel Struycken)

O Depredador (1980)

Número de vítimas: 8 (5 homens e 3 mulheres)

Filho deformado e gigante de um cigano, o “Depredador” (hahahaha) do filme The Prey (1980) é o único sobrevivente de um incêndio criminoso no acampamento de ciganos onde vivia. Acabou se transformando em um monstro e fugindo para a floresta, onde trata de eliminar brutalmente qualquer invasor, ou seja, campistas e guardas florestais, além de jovens com os hormônios em ebulição que insistem em acampar bem na área onde o “Depredador” (hahahaha) vive. Um dos raros que não leva o seu no final e fica vivo. E ainda ganha um herdeiro. Ou seja: pode aparecer um Depredador 2 por aí… Se até Lenda Urbana 2 já fizeram!

O ESTRIPADOR DE NOVA YORK (Andrea Occhipinti)

O Estripador de Nova Iorque (1982)

Número de vítimas: 7 (1 homem e 6 mulheres)

Num filme de Lucio Fulci (New York Ripper, 1982), é claro que o assassino seria profissionalíssimo. Assim, o Estripador de Nova York (cuja real identidade não pode ser revelada para não estragar o “segredo” do filme) deita e rola nas cenas de crime, entregando alguns dos momentos mais sangrentos do “giallo/slasher” da época. Só para citar um momento exemplar: a tortura de uma moça amarrada nua à cama, que tem o olho e o bico de um dos seios lentamente cortados com uma afiada gilete pelo Estripador! Infelizmente, o psicopata acaba sua carreira levando um violentíssimo balaço na cara, e não pode voltar para matar mais! Sua marca registrada era falar com voz igual à do Pato Donald!!!

ASSASSINO COM A ARMA DE PREGOS (?)

Nail Gun Massacre (1985)

Número de vítimas: 16!!!! (10 homens e 6 mulheres)

No obscuro e sanguinolento Nail Gun Massacre (1985), um assassino vestido com roupa camuflada e usando um capacete de motoqueiro aparece vindo do nada para matar um montão de pessoas, sempre com tiros de arma de pregos (por isso o nome do filme, ora bolas!). À la Freddy Krueger, o “assassino com a arma de pregos” ainda gosta de fazer piadinhas quando mata suas vítimas – e tem uma voz muito semelhante à do Darth Vader. Outro que merece estar na galeria pela quantidade de crimes cometidos (com simples pregos, ainda por cima!), agindo livremente graças à imbecilidade do policial que investiga o caso! Acredite se quiser, é o vencedor da nossa galeria, com o maior número de mortes entre os “colegas“!!!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

(Visited 1.679 times, 1 visits today)

Felipe M. Guerra

Jornalista por profissão e Cineasta por paixão. Diretor da saga "Entrei em Pânico...", entre muitos outros. Escreve para o Blog Filmes para Doidos!

15 thoughts on “Quem Matou Rosemary? (1981)

  • 20/12/2019 em 10:46
    Permalink

    Boa dica, eu não senti interesse quando vi ele no catálogo da Darkflix, mas lendo seu resumo eu irei assisti-lo esse final de semana.

    Resposta
  • 06/11/2017 em 12:54
    Permalink

    esse filme tem algo a ver com o bebe de rosemary?

    Resposta
  • 04/10/2017 em 10:03
    Permalink

    alem de eu achar Muito Bacana esse filme, uma hora da vontade de brincar e editar a capa e escrever Dia dos Namorados Macabro 2, embora o Assassino desde filme acima(Quem Matou Rosemary) é bem mais violento mas em alguns momentos a roupa lembra o Assassino do dia dos Namorados eu até me admirei não terem colocado como Marketing,o nome desse filme, assim por que pra quem ja colocou um Halloween 3 sem Michael Myers, poderiam tentar fazer essa sacada, por fim outra perola dos anos 80 que vale a pena Curtir embora muita gente esculacha como Trash ou Slasher que é um nome que chama a atenção na minha opinião sempre vai ser uma época que os filmes eram melhores!!!

    Resposta
  • 05/12/2016 em 23:37
    Permalink

    Caí na besteira de acreditar que o filme merecia ser assistido. Me arrependi. É péssimo. Roteiro bobo, musiquinha repetitiva e irritante. Concordo apenas que dá pra tirar soneca e que as cenas são cruas, mas de uma crueza ridícula e artificial assim como o tal assassino na sua roupa e forca de jardineiro breguíssimas.

    Resposta
  • 08/06/2016 em 16:50
    Permalink

    Acabei de assistir o filme. Vale muito a pena a conferida. Realmente o que se destaca são as mortes, porém elas são em pouco numero e o final desagrada bastante (quando o vilão é revelado e nada explicado). Fiquei com o sentimento de que é mais um filme com grande potencial mas que foi desperdiçado, poderia ser bem melhor, mas está acima da média (bem pouco, mas está acima). Mas para quem é fã de slasher vale a pena assistir.

    Resposta
  • 21/09/2015 em 16:47
    Permalink

    Realmente, as cenas dos assassinatos são muito bem realizadas, principalmente a do rapaz que tem a cabeça perfurada com a lâmina de baioneta, a cena é perfeita!!!!

    Resposta
  • 02/07/2015 em 15:18
    Permalink

    Procuro até hoje na rede algum lugar para assistir ou fazer dowload nunca acho…mas não desisto!

    Resposta
  • 16/03/2015 em 19:27
    Permalink

    com tantos elogios e o pessoal empolgado digitando tão bem sobre o filme até eu fiquei com vontade de assistir e saber quem matou a Rose?!?

    Resposta
  • 12/07/2014 em 21:01
    Permalink

    Ainda vou procurar “Quem matou Rosemary”. Mas encontrei “Chamas da Morte” no youtube e descobri dois detalhes interessantes sobre este último: Foi exibido na antiga sessão das dez do sbt com o título: “A Vingança de Cropsy” e eu pude reconhecer entre os campistas o ator Jason Alexander ( Uma Linda Mulher, O Amor é Cego, série de tv Seinfeld) que creio ter começado a perder cabelos cerca de oito anos depois desse filme. Vou ver pra saber se ele é uma das vítimas ou simplesmente desaparece do filme sem qualquer explicação.

    Resposta
  • 25/03/2014 em 16:53
    Permalink

    Comprei mês passado no Site das Americanas (DVD DUPLO)…, e olha, eu adoro esse filme! PQP…, como é bom ver essa resenha aqui. Nossa! Os assassinatos deixam os cabelos em pé…, pq, vamos levar em conta: O cara mata com requintes de maldade mesmo…, e ali na sua frente, tudo ON SCREEN!!!!
    Muito bom ver e rever o filme…, mostrar para amigos e escutar depois: cara, que filme é esse? Muito melhor dos filmes que saem no cinema hoje… Essa foi uma época muito boa…, muito boa mesmo! Parabéns pela Crítica e Resenha.

    Resposta
  • 25/03/2014 em 09:17
    Permalink

    vou procurar pra assistir 🙂

    Resposta
  • 23/03/2014 em 12:20
    Permalink

    O slasher mais violento q já vi! Tenho o DVD e me alegro muito por ter esta pérola. Um dos meu favoritos.

    Resposta
  • 23/03/2014 em 01:50
    Permalink

    ” Quem matou Rosemary ? ” obra sanguinolenta que merece respeito e mais atenção , slasher que surpreende qualquer um que o assiste , pra mim um dos melhores slashers da década de 80 . Injustamente desconhecido por muita gente , mais por mim não , tenho essa obra-prima em dvd original na minha coleção .

    Resposta
    • 23/03/2014 em 13:39
      Permalink

      eu também tenho em dvd ,este não deve faltar nas nossas estantes..

      Resposta
  • 22/03/2014 em 21:20
    Permalink

    clássico! gostei mais de quem matou Rosemary ? de que sexta -feira 13 parte 4 porém do mesmo diretor joseph zito..o artigo está show ,esta galeria de assassinos menos ilustres está d+

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.