Palhaços Assassinos (1988)

5
(2)

CRÔNICAS SOBRE PALHAÇOS ESPACIAIS

palhacos-assassinos-1988-17

No espaço ninguém pode comer sorvete“, dizia a frase original no cartaz de Killer Klowns From Outer Space na época da sua estreia nos cinemas americanos, em 1988. Era uma gozação com a clássica tagline da série AlienNo espaço ninguém ouvirá você gritar!“. Foi com esta e outras palhaçadas que os irmãos Chiodo transformaram seu pequeno e único filme, Palhaços Assassinos, em uma pérola cultuada do cinema classe B.

Os irmãos Chiodo são três e, no comentário de áudio que acompanha o DVD importado do filme, até brincam com o fato de vários “Chiodo” aparecerem nos créditos iniciais e finais da obra. Eles são Stephen Chiodo (que assina a direção, a produção e o roteiro), Charles Chiodo (que assina o design dos palhaços, a produção, o roteiro e ainda vestiu uma fantasia, a do imenso “Klownzilla” no final do filme) e Edward Chiodo (que assina a produção e o roteiro). O trio cresceu no Bronx, em Nova Iorque, e desde cedo usou a câmera Super-8 da família para criar filminhos com efeitos em stop-motion e coisas do gênero. Fizeram cursos de cinema, trabalharam em filmes conhecidos e, logo, surgiu a vontade de fazer o seu próprio.

palhacos-assassinos-1988-18

Na segunda metade da década de 80, os três se especializaram em efeitos especiais do tipo “bom e barato“, principalmente efeitos mecânicos e de stop-motion. Com sua empresa Chiodo Bros. Productions Inc., trabalharam em filmes tipo Criaturas (1986) e King Cobra (1999). Depois, voltaram ao mundo da palhaçada ao assinar a produção dos bonecos do extraordinário Team America (2004), comédia com marionetes realizada pela dupla do desenho South Park. O desejo de dirigir o próprio filme surgiu em 1987, quando eles começaram a conversar sobre um detalhe que os três têm em comum: o medo de palhaços!

Foi um trabalho de amor para nós, pois fazia anos que tínhamos conversas sobre este filme“, diz Charles Chiodo num dos featurettes que acompanha o DVD importado. “Porque achávamos que não havia nada mais assustador do que você dirigir por uma estrada deserta à noite e encontrar um palhaço dirigindo no carro ao lado“. Curiosamente, uma cena parecida com esta – onde um motorista é “ultrapassado” por um palhaço assassino numa estrada deserta à noite – foi utilizada no filme. Eles escreveram o roteiro de Palhaços Assassinos a seis mãos e o produziram por conta, com Stephen assumindo a direção. Decidiram, por unanimidade, não se envolver com os efeitos especiais desta vez, apenas coordenando o processo de criação dos vilões.

Como todo trabalho de baixo orçamento e de início de carreira, Palhaços Assassinos foi praticamente um parto. Os Chiodo rodaram o filme numa cidadezinha chamada Watsonville, perto de Santa Cruz, na Califórnia. Nem precisa dizer que os moradores do local receberam aquela trupe mambembe com desconfiança e até um pouco de medo. Uma série de limitações foi imposta aos produtores. Uma delas era que não poderiam filmar carros em alta velocidade nas ruas da cidade. E, para piorar, o roteiro previa uma cena onde um carro de polícia e uma van de sorvetes perseguiam velozmente o carro onde estavam os Palhaços Assassinos! Novamente, os irmãos Chiodo viram-se obrigados a usar a criatividade para driblar as dificuldades: simplesmente filmaram a perseguição com os carros numa velocidade permitida e depois aceleraram seu movimento na edição – o que é perceptível devido a alguns movimentos bruscos, mas não compromete em nada a cena.

Tudo era complicado para os pobres debutantes no cinema: até o cão farejador feito de bexigas deu dores de cabeça, pois os balões sempre estouravam ao tocar no chão – claro, o solo de uma floresta está coberto de espinhos e pedregulhos pontudos! Após várias tentativas frustradas de filmar a cena, que sempre encerravam com o pobre cachorrinho “explodindo“, os Chiodo resolveram o problema passando látex ao redor das bexigas para impedir que estourassem.

palhacos-assassinos-1988-19

No momento de escrever o roteiro, os três irmãos resolveram se basear em personagens da sua juventude, para dar mais realismo aos papéis principais. Assim, personagens como Mike Tobacco, os irmãos Terenzi e Joe Lombardo (uma das primeiras vítimas dos palhaços) são fielmente baseados em pessoas reais com quem os Chiodo cresceram. Eles contam que realmente existia um Mike Tobacco boa pinta que ficava com todas as gatinhas, realmente existiam dois irmãos Terenzi que só aprontavam coisas idiotas, e por aí vai. “Pegamos estes ícones da nossa juventude e colocamos no script“, justificou Stephen Chiodo. Em seguida, foi a vez de pegar as referências de seus filmes de ficção científica preferidos.

E por falar em “Joe Lombardo“, é interessante destacar uma curiosidade a respeito da concepção de Palhaços Assassinos: originalmente, o filme começaria com uma cena mostrando um casal aos amassos, no meio de uma floresta escura. Repentinamente, a moça começa uma discussão por causa da mão boba do rapaz e ele a deixa a pé, saindo sozinho com seu carro. O mal-educado, segundo os irmãos Chiodo, seria o tal “Joe Lombardo“. Nesta cena inicial, ele sairia com seu carro pela rua deserta e seria alcançado por um dos palhaços alienígenas, que usava os próprios pés como se fosse uma motocicleta. Então, o palhaço jogaria Lombardo para fora da estrada e entrariam os créditos iniciais. É por isso que alguns minutos depois, quando Mike e Debbie entram na nave espacial dos palhaços, encontram um cadáver envolto em algodão-doce que Mike identifica como “Joe Lombardo“. Claro, ele foi uma das primeiras vítimas!

palhacos-assassinos-1988-15

Os Chiodo chegaram a filmar toda esta cena de abertura. Mas, por problemas de iluminação, ela ficou muito escura. Como eles queriam muito começar o filme deste jeito, aceleraram o cronograma de filmagens para que pudessem refilmar a tal cena. E realmente o fizeram. Desta vez, a iluminação ficou boa. Mas a estrada escolhida para a filmagem era tão esburacada que a câmera só sacudia! Mais de metade dos takes ficaram impossíveis de aproveitar. Assim, os irmãos viram-se obrigados a dispensar a abertura do jeito que sonhavam, iniciando o filme diretamente com os créditos. Entretanto, alguns takes da cena do palhaço de “moto” jogando o carro para fora da estrada, os que não ficaram tão ruins, foram incluídos na edição final, só que na metade do filme. E, obviamente, o motorista passou a ser apenas um anônimo qualquer. “Joe Lombardo” aparece, em sua única cena, como o cadáver que Mike e Debbie encontram enrolado em algodão-doce na primeira vez que entram na nave.

A própria cena do carro saindo da pista foi filmada com enormes dificuldades. E tudo por causa de uma distração! Os Chiodo amarraram um cabo para puxar o carro e fazê-lo voar de um barranco. Armaram as câmeras, as luzes e saíram correndo do local, pois sabiam que o veículo iria voar vários metros e poderia até machucar alguém. Na hora em que gritaram “ação“, o problema: algum mané esqueceu de tirar as travas que prendiam as rodas dianteiras do carro! Resultado: ao invés de “voar“, como deveria, ele apenas andou alguns metros e deslizou mansamente barranco abaixo. A cena do carro caindo mal e porcamente foi mantida no filme (fazer o quê…), e os momentos dos bastidores da filmagem acabaram incluídos nos extras do DVD – inclusive com os comentários entristecidos de “oh no!” do pessoal que estava filmando. Com o carro destruído, e nem uma réplica para usar num novo take, os Chiodo viram-se obrigados a deixar a cena do “carro deslizante” no filme…

palhacos-assassinos-1988-16

Problemas de iluminação também estragaram outra cena bem legal de Palhaços Assassinos, que acabou cortada, mas está nos extras do DVD americano: nela, Mike, Debbie e Dave andam, sem saber, sobre uma corda bamba no interior da nave alienígena dos palhaços; absurdamente, uma das pontas da corda se transforma numa escada, por onde o trio de heróis sobe até outra sala! Como a cena ficou muito escura, e mal permitia ver a “corda bamba“, os Chiodo acabaram cortando tudo, bem como um curto diálogo entre Mike e Debbie, em que a garota fala que tem medo de palhaços devido a um trauma de infância.

Hoje, o trio Chiodo vive de trabalhar nos efeitos especiais de filmes dos outros (inclusive a bomba Piñata), do contato com fãs de sua primeira e única obra e da venda de bonequinhos dos Palhaços Assassinos, todos de confecção própria. Também sonham com um Killer Klowns from Outer 2. Mas, infelizmente, o mundo anda muito sério e chato para que projetos divertidos como este tenham algum futuro…

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Felipe M. Guerra

Jornalista por profissão e Cineasta por paixão. Diretor da saga "Entrei em Pânico...", entre muitos outros. Escreve para o Blog Filmes para Doidos!

12 thoughts on “Palhaços Assassinos (1988)

  • 12/05/2020 em 22:23
    Permalink

    Verdade Eu Mesmo Amo Demais Esse Filme Man

    Resposta
  • 30/12/2019 em 13:47
    Permalink

    Eu assisti esse filme dia 23/12/2019 no Darkflix, a versão Blu-Ray. Sensacional!

    Resposta
  • 17/12/2016 em 21:36
    Permalink

    muita gente fala mal deste filme.mas eu gosto e muito e divertido e gostoso de assistir do começo ao fim,

    Resposta
  • 02/12/2016 em 09:26
    Permalink

    Muito Bom esse filme me lembro quando eu era pequeno e assistia Na Band certamente uma boa historia e sabe quando se coloca um palhaço no filme é difícil um filme ser ruim pois palhaço é uma figura estranha embora sirva para divertir em um circo ao contrario dessa gente que só sabe colocar espirito e o coisa ruim como protagonista de dos filmes de terror a pessoa perde a vontade assistir agora quando escolhemos um personagem que as vezes ataca em massa a coisa muda ainda mais quando não sabemos sua origem aplausos pra esse filme merecia mais um Crânio!!!! kkkk

    Resposta
  • 31/10/2016 em 13:51
    Permalink

    Adorooooooooooooooo, assisto até hoje meu dvd piratinha, visto não ter sido lançado no Brasil. Muito criativo, divertido e com atuações bem convincentes. Um dos meus trashes favoritos, junto com Shakma.

    Resposta
  • 25/10/2016 em 20:37
    Permalink

    Rombos no roteiro, diálogos ridículos, situações absurdas. Defeitos que em outros filmes seriam criticados pelos colaboradores do site, aqui parecem ser bem aceitos. Ao meu ver o filme é uma bomba que receberia de mim duas caveiras por não se levar a sério.

    Resposta
  • 23/10/2016 em 22:18
    Permalink

    Um autêntico clássico trash. O filme não dá medo, mas conquista todo mundo com sua criatividade. Uma pena que ainda não ganhou continuação, mas continuaremos esperando por isso.

    Resposta
  • 16/10/2016 em 09:50
    Permalink

    “Palhaços Assassinos do Espaço Sideral | Filme da década de 1980 pode virar série de TV

    Nova versão está sendo desenvolvida pelo diretor do original
    29/03/2016 – 14:04 – CESAR GAGLIONI

    Em entrevista ao podcast The Movie Crypt, Stephen Chiodo afirmou que seu filme Palhaços Assassinos do Espaço Sideral pode virar uma série de TV em breve. O longa é um dos títulos mais cultuados do cinema-B dos anos 1980.

    “Nesse momento estamos buscando uma série com um arco narrativo mais longo. Nós pensamos: ‘será que devemos fazer uma sequência do primeiro filme ou fazer um remake?’ e concluimos que o ideal seria misturar as duas coisas. A ideia tem sido desenvolvida há algum tempo. É uma trilogia em quatro partes, vamos mostrar as aventuras de novas pessoas que tem sofrido com a invasão dos Palhaços. declarou Chiodo.

    Palhaços Assassinos do Espaço Sideral mostrava um casal de namorados combatendo a violenta invasão de palhaços alienígenas que aterrorizam a vizinhança onde vivem. Por enquanto, nenhum canal comprou a ideia da nova versão, que não tem previsão de estreia ou de filmagens.”

    Fonte: Omelete

    Resposta
  • 15/10/2016 em 21:29
    Permalink

    este sem duvida está no meu top 10 dos filmes de terror mais divertido de todos os tempos, até hoje espero a continuação..

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.