The Jungle (2013)

0
(0)

The Jungle (2013)

The Jungle
Original:The Jungle
Ano:2013•País:Austrália
Direção:Andrew Traucki
Roteiro:Andrew Traucki
Produção:Annmaree Bell, Andrew Traucki
Elenco:gusti Budianthika, Rupert Reid, Agoes Widjaya Soedjarwo

Larry (Rupert Reid) e seu irmão Ben partem para uma floresta na Indonésia para documentar em vídeo a presença dos leopardo-de-java para que as autoridades de preservação possam tomar atitudes que evitem a extinção da espécie. Uma atitude nobre e que justifica o uso das câmeras de vídeo na maior parte do projeto, embora o exagero – uma das armadilhas do estilo – não consiga ser evitado. Com o apoio de dois guias do local, Budi (Agoes Widjaya Soedjarwo) e Adi (Igusti Budianthika), eles entram na mata densa, ignorando as lendas da região que apontam para a existência de um “demônio da floresta” ou “lobisomem“, e registram todos os fatos, incluindo algo que parece estar à espreita com seus olhos brilhantes, alimentando-se dos incautos.

Essa é a premissa do horror found footage The Jungle, terceiro filme do gênero de Andrew Traucki, o que já lhe rendeu um segmento no primeiro The ABCs of Death (G para Gravidade). Traucki teve sua estreia em longas com o claustrofóbico filme de crocodilo assassino, Black Water, seguido pelo tenso Perigo em Alto Mar, um genérico de Mar Aberto. Agora, ele comete seu primeiro erro ao comandar uma produção que bebe totalmente da fonte do estilo, escondendo o vilão até os últimos minutos, com aquele corte brusco para uma tela preta com os créditos, após a queda do último integrante da equipe.

The Jungle (2013) (2)

Obstinado, Larry abandona a esposa entre lágrima, na única aparição feminina no longa, e segue com o irmão para o local onde um leopardo fora avistado recentemente e animais estão sendo mortos. Apesar da necessidade de documentar apenas a exploração na mata, Ben filma tudo, desde o passeio de avião até o percurso do carro até a região para que a narrativa fique linear. Só não filma o que realmente importa, como o momento em que Larry salva o filhote de uma cobra python de uma jaula: a câmera mostra o animal preso e depois na árvore, já que o ator provavelmente não deve ter intimidade com a selva. Reid já foi visto nas duas sequências de Matrix, além do sci-fi A Outra Terra, de 2011.

The Jungle realmente não tem muito a mostrar. Além dos olhos brilhantes, alguns barulhos na mata, itens de superstição, o espectador até ficará tenso para saber o que aconteceu com uma galinha, mas terá que se lamentar com algumas carcaças, o resto de um braço humano e o vulto de um indígena, nunca deixando claro se aquela aparição está relacionada com o monstrinho do filme. Para os desbravadores de películas ruins, use o controle remoto para os últimos dois minutos da produção para ver o que realmente importa, caso queira valorizar o seu tempo.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

2 thoughts on “The Jungle (2013)

  • 19/06/2014 em 20:27
    Permalink

    Além de ser found footage que eu não gosto , ainda por cima não mostra o monstro que é o principal atrativo do filme , que merda que deve ser isso .

    Resposta
  • 18/06/2014 em 09:52
    Permalink

    valeu por avisar,passo longe.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.