Calmaria (2019)

4.2
(5)

Calmaria
Original:Serenity
Ano:2019•País:EUA, UK
Direção:Steven Knight
Roteiro:Steven Knight
Produção:Steven Knight, Greg Shapiro
Elenco:Matthew McConaughey, Anne Hathaway, Diane Lane, Jason Clarke, Djimon Hounsou, Jeremy Strong, Robert Hobbs

Steven Knight é um roteirista cujo trabalho vem se consolidando ao longo do tempo. Prolífico, o homem por trás do sucesso de Peaky Blinders (2013-2022), que na minha opinião é seu melhor trabalho até o momento, também escreveu a joia que é Senhores do Crime (2007), o interessante Aliados (2016) até o mais recente Spencer (2021), que chamou a atenção ao fazer um recorte da vida da princesa Diana. Além de ser um roteirista que navega por diversos gêneros, ele vem tentando também a direção com bastante competência em filmes como Locke (2013) e neste Calmaria.

Massacrado pela crítica, quando vi que o filme estava disponível da HBO Max, fiquei curioso para constatar se esse craque no script havia realmente errado feio. Assim, comecei a projeção com uma expectativa muito baixa, esperando pelo pior… contudo, ao final, surpresa!!!, percebi que, se esse não é o seu melhor trabalho, o filme está longe de um desastre e é infinitamente melhor que outros tantos do gênero.

Calmaria é ousado, tem um criativo plot twist lá pela metade da projeção e a condução da narrativa é bem segura, sem firulas. Pela quantidade de críticas negativas, é lógico que o filme tem problemas, como a trama um pouco alongada pós revelação, a falta de cenas mais gráficas explorando o personagem de Jason Clarke (ameaçador no papel do marido meio mafioso) e o erro de escalação de Anne Hathaway, que não segura um papel que demandaria uma dose de malícia mesclada com fragilidade.

Na trama, Matthew McConaughey interpreta um pescador endividado com um passado misterioso que tem uma obsessão por fisgar um peixe que constantemente o desafia (ecos de Moby Dick), até o dia em que ele recebe uma proposta de cometer um crime por dinheiro. Aqui, os elementos das clássicas tramas noir (assassinato, sexo, mulheres fatais…) são rearranjados de forma moderna, num local paradisíaco, com um toque de ficção científica.

Quem esperava apenas uma releitura honesta dos melhores enredos policiais das décadas de 40 e 50 realmente se sentirá decepcionado. Agora, quem quiser arriscar uma trama de suspense diferente, poderá gostar da experiência. Steven Knight pode não ter acertado precisamente (falta o arrebatamento das pitorescas tramas da família Shelby da já citada Peaky Blinders), mas o leitor não sairá indiferente ao filme, e isso hoje em dia já é um mérito e tanto.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.2 / 5. Número de votos: 5

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Ricardo Gazolla

Formado em Direito e trabalhando no setor privado, apaixonado por cinema desde a infância quando assistiu Os Goonies (1985) na tela grande. Sua predileção pelo horror começou um pouco depois ao conhecer em VHS A Hora do Pesadelo (1984), Renascido do Inferno (1987) e A morte do demônio (1981). Desde então o cinema se tornou um hobby, um vício socialmente aceito, um objeto de estudo, um prazer público e, agora, no site Boca do Inferno, uma forma de comunicação com as pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.