12 filmes de horror gótico para ver antes (ou depois) de A Colina Escarlate

O horror gótico é conhecido por não colocar o sobrenatural como personagem principal
O horror gótico é conhecido por não colocar o sobrenatural como personagem principal

Os romances góticos são obras criadas desde 1700, mas Guillermo del Toro, com A Colina Escarlate, conseguiu trazer a história para o século XXI.

O roteiro do filme traz para as telas tudo o que um típico romance gótico teria: uma jovem mulher (Mia Wasikowska) levada por um homem misterioso (Tom Hiddleston) para sua longínqua e suspeita mansão, onde uma mulher mais velha (Jessica Chastain), no caso sua irmã, é responsável pelos cuidados da casa e por guardar seus segredos.

Mesmo classificado como sobrenatural, a audiência pode se surpreender em como o primeiro plano da história vai além dos fantasmas e maldições. Como foi dito, não é uma história sobre fantasmas, mas sim uma história onde fantasmas aparecem.

Com o tema gótico aparecendo em várias produções além de filmes como séries de TV (Penny Dreadful), comic books (The Secrets of Sinister House) e jogos (Bloodborne), del Toro conseguiu fazer uma nova abordagem no filme que estreou no começo do mês, e para os que se interessam pelo tema, logo abaixo há uma seleção de filmes necessários para um curso intensivo de cinema gótico!

Rebecca (1940): O trabalho realizado por Daphne du Murier foi uma influência direta para A Colina Escarlate, junte isso com uma pitada de suspense no estilo Alfred Hitchcock e você terá a receita de um dos clássicos das histórias de amor assombradas. Rebecca é um filme de terror psicológico onde todos devem preservar por um terrível segredo que não pode ser revelado para a atriz principal, papel que ficou nas mãos de Joan Fontaine.

Rebecca (1940)

Dragonwyck (1946): Junto com O Morro dos Ventos Uivantes, essa antiga produção hollywoodiana também se junta as grandes influências de del Toro para seu trabalho. Dragonwyck não é um filme B, mas sim um clássico produzido por Daryl Zanuck e dirigido por Joseph L. Mankiewicz. Como já foi dito anteriormente, este filme também apresenta uma história de amor onde os fantasmas são apenas parte do conto, e não seu personagem principal. Há apenas pequenos indícios fantasmagóricos no longa, embora ele possa ser sentindo constantemente, criando uma sensação de mau agouro e medo.

Os Inocentes (1961): Em uma entrevista para o site Shock Till You Drop, a personagem principal de A Colina Escarlate, Mia Wasikowska, referenciou diretamente este longa para ser visto pelos fãs da produção de del Toro. Segundo ela, Os Inocentes consegue criar o clima perfeito de horror gótico. Baseado no livro The Turn of the Screw, Wasikowska diz que “no final você não tem certeza sobre qual seria a perspectiva certa…você perdeu seu senso de realidade”.

Curse of the Crying Woman (1961): Este filme B mexicano tem de tudo, uma mulher fantasma sem olhos, atmosfera de névoa, cachorros demônios e as mais variadas formas mortes. O longa usa a lenda da La Llorona como plano de fundo.

A Mansão do Terror (1961): O diretor Roger Corman utilizou um dos contos de Edgar Allan Poe, chamado O Poço e o Pêndulo, para fazer esta adaptação para o cinema. Benicio del Toro emprestou sua voz para narrar esta história para Extraordinary Tales, filme que reúne vários contos de Poe e está em fase de pós-produção.

A Mansão do Terror (1961)

Kiss of the Vampire (1963): Produzido pela England Hammer Studios, este longa traz todas as marcas registradas do horror gótico; um castelo assustador, moradores supersticiosos, cenas que dão palpitações e muito sangue em vermelho vivo.

Nightmare Castle (1965): Este filme é considerado um dos mais sinceros e chocantes no estilo terror gótico. Ele conta a história de um cientista maluco que assassina sua falsa (e morena) esposa com ácido e eletricidade para depois se casar com sua irmã quase idêntica, porém loira, para conseguir sua herança e também muito sangue, pois seu plano final é rejuvenescer sua velha assistente em uma jovem sensual.

Kill, Baby, Kill (1966): Este longa é um dos vários trabalhos que envolvem o tema gótico realizados pelo cineasta Mario Bava, junto com Black Sunday – A Máscara de Satã e The Whip and the Body. A assustadora e fantasmagórica menininha loira que aparece neste filme serviu de inspiração para projetos dirigidos por Fellini, Scorsese e del Toro.

Kuroneko (1968): Horror gótico é horror gótico, mesmo que o corset dê lugar ao kimono. Neste longa, a história é sobre duas mulheres que foram estupradas e mortas por um grupo de soldados. Após o violento ataque, o espírito das duas vítimas volta para a Terra em busca de uma vingança sangrenta.

Kuroneko (1968)

Gothic (1986): O filme dirigido por Ken Russell conta uma versão ficcional do famoso e real evento que envolveu Lord Byron, Mary Shelley, Percy Bysshe Shelley e John William Polidori, onde o quarteto se hospedou em uma vila suíça e trocou histórias de terror. Foi a partir destas sessões que nasceu Frankestein e The Vampire (que por sua vez inspirou Bram Stoker com Drácula), dando assim origem ao horror moderno. No entanto, o filme de Russell deixou um espaço reservado para sequências oníricas e sexuais.

Drácula de Bram Stoker (1992): Quando se trata de uma produção suntuosa nos filmes de horror, é impossível não citar o clássico dirigido por Francis Ford Coppola e sua adaptação para o cinema da obra-prima da literartura de vampiros. Em seu filme, Coppola escolheu enfatizar os elementos românticos do Conde Drácula, retratando o vampiro mais famoso da Transilvânia como um herói trágico quase shakesperiano.

Stoker (2013): Depois de seus trabalhos envolvendo o tema gótico com del Toro, Tim Burton e Jim Jarmusch, Mia Wasikowska deixa seu espartilho de lado e usa um figurino moderno para esta produção dirigida pelo coreano Park Chan-Wook. A telecinese entre sobrinha e tio é o único elemento sobrenatural do filme, embora os estados emocionais dos três personagens principais crie um clima problemático que é de se apreciar.

A seleção foi realizada pelo site Shock Till You Drop, você acha que algum filme essencial ficou de fora? Dê a sua opinião!

(Visited 3.290 times, 5 visits today)
Laura Dourado

Laura Dourado

Jornalista, bailarina, amante irrecuperável de filmes de terror. Assiste todos os tipos possíveis, dispensando só os terríveis found footages.

6 comentários em “12 filmes de horror gótico para ver antes (ou depois) de A Colina Escarlate

  • 04/11/2015 em 19:56
    Permalink

    Kill, Baby, Kill! é excelente!
    Drácula de Bram Stoker é trágico e belo. E aquela brincadeira com as sombras no castelo deu um toque especial ao filme; é o que eu mais lembro quando penso neste filme.

    Resposta
  • 29/10/2015 em 01:23
    Permalink

    acho que cabinete do Dr. Calegare deveria ser citado .

    Resposta
  • 28/10/2015 em 21:22
    Permalink

    Creio que o clássico O Solar das Almas Perdidas poderia entrar nessa lista.

    Resposta
    • 04/11/2015 em 17:07
      Permalink

      Também concordo… Quando fui ver a Colina no cinema, só me vinha na cabeça o Solar das Almas Perdidas.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien