Stephen King diz que A Torre Negra “pode decepcionar alguns fãs”

0
(0)
Adaptação de A Torre Negra, de Stephen King, estreia em 2017
Adaptação de A Torre Negra, de Stephen King, estreia em 2017

A produção do primeiro filme da série A Torre Negra já está em andamento, com as gravações acontecendo na Cidade do Cabo, na África do Sul.

Mas enquanto os fãs do mundo inteiro estão pirando com a ideia de ver o pistoleiro Roland Deschain (Idris Elba) e seu adversário, o Homem de Preto (Matthew McConaughey), nas telas do cinema, King já avisou que a estrutura do filme “pode decepcionar um pouco alguns dos fãs“, pois o primeiro filme não será uma adaptação do primeiro livro.

O autor da obra original disse, durante a gravação do podcast da EW, que “[o filme] começa meio que em media res, no meio da história em vez do começo (…) o pistoleiro Roland Deschain percorre uma paisagem ao estilo do velho oeste em busca da torre negra, com a esperança de que alcançando-a ele preserve seu mundo moribundo“.

Dirigido por Nikolaj Arcel (O Amante da Rainha), A Torre Negra teve seu roteiro escrito originalmente por Akiva Goldsman e Jeff Pinkner, mas Arcel e Anders Thomas Jensen o estão reescrevendo. Também estão no elenco Abbey Lee (Mad Max), Jackie Earle Haley (Watchmen: O Filme), Claudia Kim (Vingadores: Era de Ultron) e Fran Kranz (O Segredo da Cabana).

A Torre Negra está prevista para estrear no Brasil no dia 16 de fevereiro de 2017, um dia antes da estreia nos cinemas dos Estados Unidos.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

(Visited 30 times, 1 visits today)

Laura Dourado

Jornalista, bailarina, amante irrecuperável de filmes de terror. Assiste todos os tipos possíveis, dispensando só os terríveis found footages.

One thought on “Stephen King diz que A Torre Negra “pode decepcionar alguns fãs”

  • 24/05/2016 em 20:32
    Permalink

    Eu acho que eles vão adaptar a HQ. Agora em Hollywood é moda transformar personagens caucasianos em personagens negros (ou afro se preferirem) mas isso pra mim não importa ja que o que conta é o roteiro, as interpretações, etc. Esse lance de trocar a etnia pra mim é o de menos, Sou muito fã de Stephen King mas vou ao cinema para conferir a adaptação com certeza

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.