Falando no Diabo 28 – Séries de terror para maratonar numa quarentena que nunca existiu

Falamos muito de cinema de horror por aqui, mas e as séries de TV? No episódio de hoje conversamos sobre algumas de nossas séries de terror favoritas, novas e antigas, dos mais diversos subgêneros. Qual é a sua série de terror favorita?

Links:
Coragem, o Cão Covarde (1999-2002)

Equipe de gravação:
Silvana Perez
Luana Damião
Ivo Costa
Filipe Falcão
Samuel Bryan

Edição:
Maurício Murphy

Se você acompanha nosso conteúdo e pode nos ajudar a manter o Falando no Diabo e o Boca do Inferno vivos, acesse nosso Padrim e conheça as formas de colaborar e as recompensas.

Estamos no Spotify!

(Visited 558 times, 1 visits today)

Silvana Perez

Escolheu alguns caminhos errados e acabou vindo parar na Boca do Inferno.

6 comentários em “Falando no Diabo 28 – Séries de terror para maratonar numa quarentena que nunca existiu

  • 19/07/2020 em 17:02
    Permalink

    Coletivo terror!
    Os episódios são curtinhos é bem legais, se não me engano a série é norueguesa
    Netflix

    Resposta
  • 09/07/2020 em 18:41
    Permalink

    São 11 temporadas, Silvana! Hehehehe. As 9 originais variando de 20 a 24 episódios e duas mais recentes, com 6 e 5 episódios, respectivamente. Confesso que não vi a última ainda de “medo” do resultado, pois a anterior já foi desnecessária.
    Mas vai lá, coragem! Comece aos poucos, vale a pena.

    Resposta
    • 10/07/2020 em 12:35
      Permalink

      Verdade, deixei de fora essas novas. Vou voltar a ver aos pouquinhos sim, hahah!

      Resposta
  • 27/06/2020 em 19:13
    Permalink

    Adorei esse podcast! E sou do grupo que adora uma série que já está encerrada ou com apenas uma, duas temporadas. Não tenho mais paciência.
    Concordo com as indicações “A maldição da residência Hill”, “Tábula rasa”, “Coragem, o cão medroso”, muito boas. Gostei também de “A louva-a-deus”. Não gostei de “Le chalet”, terrivelmente previsível. Mesmo tendo assistido a apenas uma temporada, detestei “Twin peaks”, não sei se foi por ter visto só recentemente, mas não curti o estilo. “Santa Clarita Diet” também abandonei na cena em que Sheila começa a chupar o dedo de um homem, que acha que é algo sensual, mas é comido por ela, achei de mau gosto.
    Como mencionaram várias séries antigas, senti falta de “Arquivo X”. Aaaaaamo!
    Também foi rapidamente mencionada “Les revenants”, fazendo comparação com “Glitch”. Suuuuuuuperindico “Les revenants”, a série é maravilhosa, embora a segunda temporada tenha dado uma decaída e o final pudesse ter sido melhor. “Glitch” até lembra a série francesa no que se refere a mortos voltando e querendo se reinserirem em suas antigas vidas, com suas histórias sendo mostradas aos poucos, tendo os que ficam felizes com o retorno e os que querem eliminá-los, mas são séries bem diferentes. A australiana começa muito bem, parecia muito boa, vi vários episódios em sequência, mas logo começa a desandar e só piora.
    Uma série que recomendo muito e que merece uma crítica no Boca do Inferno é “Salem”. Achei muito boa, figurino lindo, fotografia e clima sombrios, bom elenco. Adoro a abertura também, a inusitada união de uma série de época com uma música de Marylin Manson é algo tão inesperado, que ficou perfeito.

    Resposta
    • 30/06/2020 em 15:52
      Permalink

      Muito bem lembradas Arquivo X e Salem, Joana! Inclusive queria muito ver Arquivo X direitinho agora que tá na Amazon Prime (assisti tudo fora de ordem na Record e na Fox), mas aí volto ao começo do seu comentário: não tenho paciência. São o que, 9 temporadas de 24 episódios cada? É coisa demais, hahaha!

      Resposta
  • 22/06/2020 em 19:24
    Permalink

    Comecei Twin Peaks ontem! Incrível como só o piloto já conseguiu me deixar totalmente fisgado na história. Grande David Lynch.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *