Morre o ator John Hurt aos 77 anos

0
(0)
A Chave Mestra (2005)

Sempre lembrado pela icônica cena em que seu peito se arrebenta para o nascimento de Alien, o oitavo passageiro da nave Nostromo, John Hurt teve uma vasta carreira cinematográfica, com mais de 200 participações no cinema e nas séries de TV, desde 1962. Entre os seus grandes papéis, o ator inglês, que completou 77 anos no último dia 22 de janeiro, emocionou com a trajetória do Homem Elefante, foi colega de cárcere de Brad Davis em O Expresso da Meia-Noite, se apaixonou por Julia em 1984 e enfrentou o vingativo V.

No gênero fantástico, o incansável Hurt também esteve em O Carniçal (1975), ao lado de Peter Cushing, Frankenstein – O Monstro das Trevas (1990), Dominação (2000), Hellboy (2004), A Chave Mestra (2005), Perfume: A História de um Assassino (2006), Enigmas de um Crime (2008), Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (2008), Hellboy II: O Exército Dourado (2008), Harry Potter e as Relíquias da Morte (2010 e 2011) e Expresso do Amanhã (2013).

Diagnosticado com câncer no pâncreas, desde o ano passado, perdeu a batalha ontem, dia 27. Deixou um legado bem expressivo para quem aprecia um bom cinema, incluindo três filmes que estão em fase de pré-produção. Estamos feridos pela perda de Hurt, mas agradecidos por tudo o que ele nos proporcionou!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.