AR: conheça o curta-metragem LGBT realizado em meio à pandemia

A quarentena não é fácil pra ninguém, mas pode ser muito pior para algumas pessoas. A dupla Marcelo Oliveira e William Oliveira lança nessa sexta-feira, 7 de agosto, o curta-metragem AR, uma produção LGBT realizada em parceria com o SESC Pernambuco, dentro do projeto Cultura em Rede SESC PE. Marcelo e William escreveram, dirigiram e atuaram no curta, além de formarem a 7ª Arte do Vale, produtora de curtas LGBT que, durante a quarentena, produziu ainda os curtas A Invasão, O Toque e Bom Ar.

AR é um curta de terror psicológico que tem como referências filmes de terror da década de 1990, em especial os slashers. O filme acompanha um artista independente durante a quarentena: Gleydson, 35 anos, gay, morador do bairro Boa vista, em Recife-PE, está dentro de casa, isolado, sozinho, sem contato com seus familiares e tentando enfrentar o medo da morte.

Um artista independente gay está vivendo isolado devido a uma ameaça mortal. Ele tenta escapar do perigo que está cercando sua casa.

Marcelo e William basearam o enredo de AR em suas próprias vivências e em relatos de amigos LGBT relacionados à ansiedade por que passam durante a pandemia. Sobre a representatividade da comunidade LGBT no audiovisual, Marcelo comenta: “É importante, principalmente nesse momento político, de incentivos cortados para conteúdos LGBTs, que a gente possa protagonizar histórias que até então são representadas pelo modelo heteronormativo.”

William falou sobre os sentimentos que o público LGBT vem sentindo em meio à quarentena: “Nas primeiras semanas do isolamento social foi assustador sentir o coração acelerar, suar frio e ter um medo inexplicável da morte. Tive sorte de ter um companheiro ao meu lado, mas imagino o quanto deve ter sido difícil pro LGBT que esteve sozinho ou que conviveu com uma família preconceituosa.”

Vídeos dos bastidores de AR estão sendo divulgados no Instagram da 7ª Arte do Vale, e a estreia do curta acontece amanhã às 17:00 no canal do YouTube do SESC PE!

 

(Visited 189 times, 1 visits today)
Silvana Perez

Silvana Perez

Escolheu alguns caminhos errados e acabou vindo parar na Boca do Inferno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *