A Praga (2006)

A Praga (2006)
“E as crianças deverão liderá-los…”
A Praga
Original:The Plague
Ano:2006•País:EUA
Direção:Hal Masonberg
Roteiro:Hal Masonberg, Teal Minton
Produção:Clive Barker, Anthony DiBlasi, Matt Milich, Tim O'Hair. Jorge Saralegui, Martin Wiley
Elenco:James Van Der Beek, Ivana Milicevic, Brad Hunt, Joshua Close, John P. Connolly, Dee Wallace, Brittany Scobie, Jon Ted Wynne, Gene Pyrz, Chad Panting

O cultuado escritor inglês Clive Barker, autor de muitas histórias de horror que foram adaptadas para o cinema em filmes e franquias como Hellraiser, O Mistério de Candyman, Nightbreed, Rawhead Rex, Underworld e O Mestre das Ilusões, ganhou tanta notoriedade com seu talentoso trabalho que quando um filme tem o seu nome envolvido na equipe de produção, é despertado um interesse especial nos fãs do gênero. Tanto que, numa jogada oportunista para o filme A Praga (The Plague, 2006), que tem Clive Barker apenas como produtor, meio que perdido no meio de vários outros nomes, foi feita uma campanha publicitária com o nome do famoso escritor à frente do projeto.

Com direção do desconhecido Hal Masonberg e roteiro dele em parceria com Teal Minton (outro desconhecido), A Praga é um filme curto, com apenas 85 minutos de duração, e conta basicamente uma história apocalíptica, com o mundo ensandecido caminhando para a extinção da raça humana.

A Praga (2006) (1)

Certo dia, de forma aleatória, todas as crianças até os nove anos de idade repentinamente entram num estado de coma, gerando pânico entre os pais e confusão nos hospitais. Não encontrando explicações para o ocorrido nem formas de reverter o processo, o mundo fica perplexo diante de um fenômeno que faz com que todas as crianças nascidas nesse período misterioso permaneçam em estado de catatonia. O governo reage criando resoluções para um controle da natalidade, gerando com isso revoltas e tumultos na população. Até que repentinamente também, após longos dez anos de silêncio, todas as antigas crianças (e agora adolescentes) acordam de seus sonos profundos. Porém, seus olhares são sinistros e carregados de um ódio vingativo que os guia para atacar e matar violentamente todos os adultos.

David Russell (Arne MacPherson) e seu filho Eric (Jordan Dock, aos seis anos, e Chad Panting, aos dezesseis), estão entre as vítimas da fúria da inexplicável praga que assolou a humanidade. Seu irmão mais novo, Tom (James Van Der Beek, da série de TV Dawson´s Creek), está voltando para casa após cumprir pena na prisão por matar um homem numa briga de bar. Ele pede abrigo na casa de David, uma vez que está tentando se readaptar na sociedade e se reaproximar da magoada ex-esposa, a enfermeira Jean Raynor (Ivana Milicevic, de Gritos de Horror, o Renascimento). Mas ele não imaginaria que a volta à liberdade traria a surpresa de ter que enfrentar uma legião de adolescentes enfurecidos prontos para aniquilar os adultos. Ele sai à procura de Jean no hospital e juntos eles formam um grupo de sobreviventes que tenta combater a ameaça dos jovens assassinos. O grupo é ainda formado pelo cunhado Sam (Brad Hunt), o xerife Cal Stewart (John P. Connolly), sua esposa Nora (Dee Wallace-Stone, de ET e Cujo), o policial assistente Nathan (Bradley Sawatzky), e um jovem casal de namorados Kip (Josh Close, de Diário dos Mortos) e Claire (Brittany Scobie).

A Praga (2006) (2)

A Praga foi lançado em DVD no Brasil pela Sony em dezembro de 2006, trazendo entre os materiais extras a opção de ver o filme com comentários do elenco e a apresentação de interessantes cenas excluídas e com diálogos adicionais.

Particularmente, sempre apreciei filmes com temáticas apocalípticas, ou seja, a ideia de repentinamente o mundo tornar-se um caos exerce um fascínio mórbido justamente por imaginarmos como reagir numa situação dessas. Cidades vazias, desoladas, e com uma praga misteriosa transformando os jovens em assassinos que querem infringir dor e espalhar seu sangue pelo chão. De uma hora para outra, você precisa se adaptar ao horror instaurado em sua volta e se defender contra o ataque violento de pessoas que querem matá-lo sem uma razão lógica aparente. Você é obrigado a reagir, resgatando um instinto selvagem interior para tentar permanecer vivo num ambiente caótico. Imagine a atmosfera perturbadora que se forma ao seu redor se o mundo que você conhece e está acostumado a interagir transforma-se num inferno de morte e destruição. A Praga é um filme dentro dessa temática, e que consegue transmitir uma sensação de desconforto com a ideia de um exército de jovens despertados de um estado catatônico, decididos a eliminar a humanidade do planeta, como um tipo de punição.

Apesar de faltar um pouco mais de ousadia aos realizadores em explorar o caos resultante da praga, e por uma certa discrição nas cenas de mortes que poderiam ser mais intensas e sangrentas, além do oportunismo na exploração do nome de Clive Barker para chamar a atenção do filme, A Praga é recomendável e vale a pena ser conhecido.

Na noite passada eu sonhei que fui levado ao sono pelas mãos de crianças. Elas sussurraram no meu ouvido e as palavras familiares. O reino do céu está próximo e se alguém oferecer sua alma a uma dessas crianças, esse alguém libertará os que através do medo são vítimas da escravidão por toda vida.

(Visited 306 times, 1 visits today)
Juvenatrix

Juvenatrix

Uma criatura da noite tão antiga quanto seu próprio poder sombrio. As palavras são suas servas e sua paixão pelo Horror é a sua motivação nesse Inferno Digital.

Um comentário em “A Praga (2006)

  • 30/04/2013 em 10:03
    Permalink

    DEVE SER RUIM DEMAIS ,NUNCA VI NEM QUERO VER.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien