Retrograde (2004)

5
(1)

Retrograde
Original:Retrograde
Ano:2004•País:Luxemburgo, Itália, EUA, UK
Direção:Christopher Kulikowski
Roteiro:Christopher Kulikowski, Tom Reeve
Produção:Gianluca Curti, Tom Reeve, Jamie Treacher
Elenco:Dolph Lundgren, Silvia De Santis, Joe Montana, Gary Daniels, Joey Sagal, Ken Samuels, David Jean Thomas, Jamie Treacher, Scott Joseph, James Chalke

“Por 50 mil anos os meteoros e suas pragas permaneceram enterrados na vasta paisagem da Antártida. Desde o seu descobrimento quase 200 anos atrás, o destino da humanidade chegou ao limiar da extinção. Por tempo demais, vimos famílias inteiras, parentes e pessoas queridas transmutarem, morrerem e queimarem em incontáveis piras funerárias e valas comuns. Nossa única esperança de sobrevivência reside num punhado de homens e mulheres geneticamente singulares, cujo sistema imunológico possui a força necessária para combater os efeitos dessa bactéria mortal de outro mundo. Mas o tempo está se esgotando…”

A narração de abertura reproduzida acima procura em poucas palavras situar rapidamente o espectador sobre o argumento básico do filme de ação com elementos de Ficção Científica Retrograde (Retrograde, 2004), com Dolph Lundgren, lançado no mercado brasileiro de DVD em junho de 2005, pela “Europa Filmes“.

A história inicia-se em Los Angeles no ano 2204, quando o planeta está assolado por uma grave doença de origem extraterrestre, que causa loucura e deterioração da pele nos infectados. A humanidade está à beira do caos e extinção, graças a essa praga que veio junto com meteoros que caíram na Terra há milhares de anos e que estavam adormecidos e esquecidos nas geleiras da Antártida, até serem descobertos há duzentos anos por uma expedição científica à bordo do navio “Nathaniel Palmer“, iniciando a disseminação da doença ao redor do mundo.

Um grupo de homens geneticamente especiais no combate à doença, liderados por John Foster (o sueco Dolph Lundgren, de Soldado Universal, 1992), é então enviado na nave espacial “Parsival“, tendo entre os membros da tripulação os oficiais Dalton (Joe Montana) e Vacerri (James Chalke), entre outros. A missão consistia numa viagem pelo tempo, chegando ao passado momentos antes da descoberta dos meteoros, com o objetivo de destruí-los e impedir a propagação da bactéria mortal na humanidade.

O navio quebra gelo “Nathaniel Palmer” é comandado pelo Capitão Robert Davies (Ken Samuels), e foi contratado por um empresário sem escrúpulos, Andrew Schrader (Joe Sagal), o líder de uma expedição de pesquisas que tem ainda no grupo a bela astrobióloga Renne Diaz (Silvia De Santis), seu companheiro de laboratório Mackenzie (Jamie Treacher), além de outros como o médico Dr. Jefferson (David Jean Thomas), o chefe das máquinas Bruce Ross (Marco Lorenzini) e o marinheiro Markus (o inglês Gary Daniels).

Porém, quase chegando no destino da missão, o truculento Foster, vindo do futuro, é surpreendido por uma sabotagem através de um motim liderado por Dalton, dificultando ainda mais seu trabalho de destruição dos meteoros, tendo que enfrentar além dos tripulantes do navio de pesquisas, também seus companheiros traidores que queriam “controlar o passado para poderem determinar o futuro“.

Com direção de Christopher Kulikowski, Retrograde é basicamente mais um filme de ação e veículo de divulgação para o ator Dolph Lundgren, que não tem o mesmo carisma e popularidade de Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger, mas que faz parte do mesmo time de astros que estão sempre com seus nomes à frente de filmes de ação, porradas e tiroteios, juntamente com outros como Jean Claude Van Damme, Steven Seagal e Chuck Norris. A única diferença para as dezenas de outros filmes similares é a ideia central com elementos de Ficção Científica como a ambientação num futuro caótico para a humanidade e a viagem temporal para o passado, que aliás são clichês já exaustivamente explorados pelo cinema do gênero. Tanto que o roteiro apenas se preocupa com as cenas de ação, com muitas brigas, tiroteios e perseguições, não dando a menor importância para questões científicas pertinentes como por exemplo não explicar o procedimento de viagem ao passado e não especular sobre os efeitos causados pela alteração de eventos do passado que influenciariam no futuro. Essas questões são tratadas com muita superficialidade, sendo apenas meramente coadjuvantes para a trama central de ação.

Mas é interessante notar como Retrograde não é um filme pretensioso, muito pelo contrário, é até bastante honesto com suas próprias limitações, deixando claro que é apenas mais um filme de ação, estrelando o troglodita Dolph Lundgren fazendo sua especialidade (porradas e tiroteios), numa história que utiliza sutilmente elementos de Ficção Científica e que de forma proposital não são explorados mais detalhadamente.

E dentro dessa proposta o filme até consegue atingir seu objetivo, e talvez até agradar os fãs não exigentes que estão apenas interessados numa sessão despretensiosa de uma hora e meia de cinema, com uma história simples e sem nenhuma novidade, oferecendo aventura, ação e muita correria e barulho, além de um final super previsível, onde qualquer espectador um pouco mais atento já deve imaginar o que irá acontecer com o herói valentão, o destino do vilão malvado e o resultado da missão para destruir os meteoros contaminados e salvar a humanidade.

“Quem controla o passado, determina o futuro” – frase do vilão Dalton e também a tagline de divulgação

N.E. Texto escrito em 29/10/2005 e já publicado anteriormente em outra versão do Boca do Inferno

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

(Visited 331 times, 1 visits today)

Juvenatrix

Uma criatura da noite tão antiga quanto seu próprio poder sombrio. As palavras são suas servas e sua paixão pelo Horror é a sua motivação nesse Inferno Digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.