Falando no Diabo 40 – Na guerra dos streamings, só quem perde é seu cartão de crédito

0
(0)

Nos últimos dez anos, o mundo assistiu a uma das transformações mais intensas no cenário do entretenimento. O consumo de filmes pelas plataformas de streaming já vinha crescendo há bastante tempo, e a pandemia e o consequente fechamento dos cinemas por tempo indeterminado ajudou a consolidar essa tendência. Netflix, Prime Video, Darkflix, Cinebrac e, mais recentemente, Disney+, chegaram para ficar e para tomar conta do nosso cartão de crédito.

No episódio de hoje conversamos sobre os streamings como um todo e indicamos algumas das produções originais de terror favoritas da nossa equipe – e algumas que poderiam bem não ter sido feitas.

Equipe de gravação:
Silvana Perez
Samuel Bryan
Luana Damião
Filipe Falcão
Ivo Costa

Edição:
Maurício Murphy

Arte:
Chris Costa

Se você acompanha nosso conteúdo e pode nos ajudar a manter o Falando no Diabo e o Boca do Inferno vivos, acesse nosso Padrim e conheça as formas de colaborar e as recompensas.

Estamos no Spotify!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

(Visited 400 times, 1 visits today)

Silvana Perez

Escolheu alguns caminhos errados e acabou vindo parar na Boca do Inferno.

5 thoughts on “Falando no Diabo 40 – Na guerra dos streamings, só quem perde é seu cartão de crédito

  • 27/12/2020 em 09:46
    Permalink

    Segui algumas dicas e assim vi “I am mother” (muito bom), “Errementari” (já estava na minha lista há tempos, gostei), ” “#Alive” (também já estava na minha lista há tempo, gostei), “Vampiros X The Bronx” (muito “sessão da tarde”…).
    Não gostei muito de “1922”, mas não por considerar um filme ruim. Assisti esperando um filme com mais horror e vi um drama sobre culpa e remorso.
    As plataformas de streaming trouxeram muita facilidade, mas concordo com essa desvantagem do imediatismo. Não que eu “gostasse” de ficar esperando ou de ter de assistir no horário de exibição ou perderia, mas acho péssimo ser “obrigada” a ver imediatamente após o lançamento ou vou ser bombardeada de spoilers por amigos ou mídia. E tem a questão do tempo até o lançamento de outra temporada, realmente, eu me esqueço até da trama, pois já terei acompanhado muitas outras nesse intervalo. Dessa forma, acabo optando por minisséries, séries já canceladas. Antigamente um cancelamento após oito temporadas era uma choradeira, agora, na segunda ou terceira, é um alívio. Não dá para assistir em três dias e esperar um ano ou dois para a próxima, haja paciência e memória!

    Resposta
    • 28/12/2020 em 13:19
      Permalink

      Concordo com tudo o que vc disse sobre o imediatismo. Amo séries curtas e canceladas. Sempre indico Good Omens pra todo mundo, pq são 6 episódios maravilhosos e pronto acabou hahaha!

      Resposta
      • 28/12/2020 em 19:57
        Permalink

        Vou assistir essa, então! Já basta a raiva que passo com as que já estou acompanhando e não tem mais o que fazer, hehehe.

        Resposta
        • 04/01/2021 em 10:07
          Permalink

          Hahahahaha! Depois me conta se gostou!

          Resposta
  • 12/12/2020 em 22:21
    Permalink

    I am mother é algo simplesmente sensacional.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.