Diretor conta o que gostaria de ver em Um Lugar Silencioso 2

0
(0)

O espantoso sucesso de Um Lugar Silencioso surpreendeu não somente o público, mas o próprio diretor, John Krasinski, principalmente quando a Paramount Pictures logo anunciou uma continuação. Animado e ao mesmo tempo assustado, o cineasta contou ao site Deadline que imaginava que seu filme de estreia no gênero seria um produto único.

“Passou pouco tempo desde que o filme foi lançado, mas as pessoas estão dizendo ‘Nós queremos viver mais nesse mundo’, o que é realmente interessante. Estou surpreso que o público não tenha dito ‘Não, nós sabemos como é isso e queremos apenas deixar como está’. Para ser completamente honesto, isso nunca esteve em minha mente, enquanto fazíamos o filme. Nunca pensei nele como um mundo a ser expandido, mas como algo único.”

Sem saber se assumirá o comando da parte 2, Krasinski apenas disse o que gostaria de ver no novo filme:

“O que eu amei no filme, levando minha mente a continuar vagando enquanto o fazíamos, era a questão sobre quem estaria do outro lado dos incêndios quando o pai acende o fogo e é notado à distância outros se acenderem. Como essas pessoas sobreviveram? Como aquele homem velho sobreviveu?  No limite pelo qual estão passando esses personagens não há tempo para pensar sobre isso. Eles estão lá, há um velho que está prestes a gritar, e precisam lidar com isso. Eu acho que seria interessante ver o que está acontecendo em outro lugar ao mesmo tempo.”

Exato, pois realmente não há necessidade para continuar a explorar a mesma família. Embora o público queira ver como foi o enfrentamento proposto na sequência final, seria também curioso apresentar a situação extrema por outros ângulos, como foi feito em Extermínio 2, por exemplo. O que vocês acham?

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.