Stay Alive – Jogo Mortal (2006)

Stay Alive (2006)
Uma porcaria de filme, uma vergonha para os jogadores
Stay Alive - Jogo Mortal
Original:Stay Alive
Ano:2006•País:EUA
Direção:William Brent Bell
Roteiro:William Brent Bell, Matthew Peterman
Produção:McG, Matthew Peterman, Peter Schlessel
Elenco:Jon Foster, Samaire Armstrong, Frankie Muniz, Jimmi Simpson, Wendell Pierce, Milo Ventimiglia, Sophia Bush, Adam Goldberg, Billy Slaughter

Antes de fã do cinema fantástico eu me considero muito mais fã de jogos eletrônicos – tanto que lembro com nostalgia do meu primeiro console, um Odyssey, quando eu era um pivetinho ainda. Por conta disso eu estava interessado em conferir Terror em Silent Hill, mas infelizmente os cinemas da minha cidade resolveram ignorar o filme.

Foi então que chegou primeiro o tão (mal) falado Stay Alive: Jogo Mortal bateu aquela comichão da curiosidade e, por falta de alternativa, resolvi conferi-lo. Optei por deixar de fora da sala todas as criticas negativas e como sou um gamer acima de tudo fui ver com os meus próprios olhos, sem maiores expectativas, afinal quem em sã consciência pensaria que um filme sobre um vídeo game que mata pessoas ficaria bom, não é?

Entretanto, mesmo assim foi decepcionante, tanto pelo lado do terror quanto pelas referências aos jogadores e a indústria de games! O filme é fraco, sem graça e repleto de clichês, muuuuitos clichês. Se eu fosse fazer um resumo do roteiro em uma linha, seria mais ou menos assim: Troque o telefone de Pânico por um joystick, adicione uma pitada de O Chamado e Cabana do Inferno, misture tudo e deixe apodrecer. O resultado é Stay Alive.

O filme começa, como começaria qualquer terror teen adolescente: Loomis (Milo Ventimiglia) é um “beta tester” (como são chamados os jogadores que avaliam os jogos para as empresas de desenvolvimento para ajustes finais) que está jogando um novo jogo de “survival horror” (do mesmo gênero de Silent Hill, Resident Evil, Alone in the Dark, etc.) chamado Stay Alive e seu personagem morre enforcado. Um pouco assustado com a experiência realista, ele liga para Hutch (Jon Foster) e conta sobre este achado. O amigo então vai dormir e durante a noite acaba morrendo de verdade, enforcado como no jogo. As duas pessoas que estavam na casa e que também jogaram, morrem estripados na vida real.

Stay Alive (2006) (2)

Hutch vai ao enterro do amigo e lá conhece seu futuro interesse romântico, Abigail (Samaire Armstrong), e ganha os pertences de seu amigo falecido, entre eles uma cópia do sinistro jogo. O rapaz então junta alguns amigos e coloca o game pra rodar. O jogo é sobre a condessa Elizabeth Bathory, que vive em uma mansão, e seu objetivo é montar um personagem e descobrir como resolver o mistério e matar a condessa, “mantendo-se vivo“, como na tradução título original.

Aí o resto você já conhece: um maluco morre no jogo, morre do mesmo jeito na vida real; os amigos ficam assustados; a polícia não acredita; os sobreviventes investigam por conta; outro morre e blá, blá, blá… Até sobrar o casal de heróis pra tentar terminar o jogo e finalizar com aquele manjado e previsível gancho.

Buracos e inverossimilhanças de roteiro a parte, este é muito tedioso, pouca coisa acontece por muito tempo e pra você “lembrar” que assiste a um filme de terror (ou acordar quem está cochilando) tem aquele “salto de música“, que convenhamos, já não assusta mais ninguém faz muito tempo.

Por pressão dos produtores e a fim de atrair mais moleques alienados para o cinema, o filme teve de baixar sua classificação de R (menores de 17 anos só acompanhado pelos pais) para PG-13 (recomendado para maiores de 13 anos) cortando 15 minutos (!!) de cenas mais fortes – na prática isto significa mortes off-screen, pouco sangue e mais sustos fáceis, fazendo os 85 minutos de filme parecerem horas que logo depois serão esquecidas como se nada tivesse acontecido.

Se como cinema já é ruim, como “homenagem” aos jogadores é muito pior: Existem algumas poucas citações a games reais como Silent Hill, Fatal Frame, Q*bert e até Pac Man, porém o negócio aperta na maneira com que os gamemaníacos são mostrados pelo pseudo-diretor e pseudo-roteirista William Brent Bell: sejam como tarados, drogados, retardados mentais ou todas as alternativas acima. Sério, a humilhação foi tamanha que eu saí da projeção com vergonha de ser um gamer – foi de doer o fígado. Para sintetizar o sentimento, vou utilizar uma frase de uma outra crítica da Internet: “Este é o filme de terror mais idiota do ano e que não foi dirigido por Uwe Boll“.

Stay Alive (2006) (3)

Se o público alvo deste filme são os fãs de games e filmes de terror, a conclusão que se toma é que Brent Bell e os produtores dessa coisa subestimam os dois, até porque ambos evoluíram, estão mais espertos e exigentes. A diferença é que a indústria de jogos eletrônicos acompanhou seus seguidores e cada vez mais excede as suas expectativas. Já o cinema…

Curiosidades:

– Além da citação em diálogo ao jogo Fatal Frame, a velha câmera fotográfica utilizada pela personagem Abigail é muito semelhante a utilizada no game. A referência a Pac Man está nos efeitos sonoros quando Hutch entra na Lan House pela primeira vez (jogando Pac Man em uma Lan House???).

– Este foi a última produção finalizada na cidade de New Orleans antes do furacão Katrina.

– O papel de Miller seria feito por Steve Zahn (Sahara, Bandidas), mas foi substituído na última hora por Adam Goldberg;

– Para o papel do herói Hutch foi escalado inicialmente o ator Ben Foster (que fez o Anjo em X-Men 3), porém o espertalhão deixou a bocada (e o mico) pra seu irmão Jon Foster.

(Visited 4.937 times, 4 visits today)
Gabriel Paixão

Gabriel Paixão

Colaborador e fã de bagaceiras de gosto duvidoso. Um Floydiano de carteirinha que tem em casa estantes repletas de vinis riscados e VHS's embolorados.

15 comentários em “Stay Alive – Jogo Mortal (2006)

  • 13/07/2018 em 15:23
    Permalink

    De ruim só essa crítica mal feita mesmo. Porque o filme apesar de não ser nada incrível, é bem divertido coloca muito filme atual no chinelinho.

    Resposta
  • 13/07/2016 em 23:23
    Permalink

    Deem uma olhada de passo em passo que eu estou dando pra criar o jogo nessa pag vcs vão ver tudo que eu faço no nosso game ” Stay Alive ” Fique vivo ” !

    Resposta
    • 13/07/2016 em 23:20
      Permalink

      Oii Eu estou criando o jogo stay alive Só não esta exatamente igual mais ta mto parecido , sou viciado nesse filme e em breve teremos o jogo !

      Resposta
  • 28/09/2015 em 16:20
    Permalink

    Affs mano cade o jogo W kero jogar e não ouvir palavras sobre esse filma affs….

    Resposta
  • 13/08/2014 em 19:16
    Permalink

    Foi bem produzido, podia ate ser um filme bom, porem nao gostei da história abordada entao nao é do tipo que eu assistiria uma segunda vez…

    Resposta
  • 04/02/2014 em 11:00
    Permalink

    Assisti e não me lembro de quando foi…, mas, depois desta crítica, vou rever, pq olha, faz teeeeeempo!

    Resposta
  • 02/02/2014 em 14:49
    Permalink

    Realmente lembro pouca coisa de Stay Alive. Tá na minha lista de “Filmes que vi, não gostei e pretendo rever”.

    Ter visto os 4 joguinhos que tu citou, Gabriel, na época em que foram lançados, deve ter sido emocionante pros fãs de terror! Por mais modestos que sejam, eram uma prova de que Jason, Leatherface, Michael e Freddy ficariam imortalizados na cultura pop e, portanto, marcando presença como foi o caso do mundo dos games.

    Resposta
  • 01/02/2014 em 03:00
    Permalink

    Tem um jogo baseado também no Drácula de Bram Stoker, romance do Coppola. Lembro que eu tinha pra GameBoy.

    Resposta
  • 30/01/2014 em 13:22
    Permalink

    Alguém, enfim, concordou comigo,
    Filme cansativo. Você assiste até o final para ver se ele ainda consegue te mostrar algo interessante.
    A capa dele é bem feita. Mas o conteúdo, sem comentários.

    Resposta
  • 29/01/2014 em 23:38
    Permalink

    não acho esse filme tão ruim assim não, é razoável,assim como silent hill revelação.

    Resposta
  • 29/01/2014 em 23:32
    Permalink

    realmente eu esperava muito desse filme mas me decepcionei , este é um filme que se esquece menos de meia hora..

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien