Renascida do Inferno (2015)

Renascida do Inferno (2015)

Renascida do Inferno
Original:The Lazarus Effect
Ano:2015•País:EUA
Direção:David Gelb
Roteiro:Luke Dawson, Jeremy Slater
Produção:Jason Blum, Matthew Kaplan, Jimmy Miller, Cody Zwieg
Elenco:Olivia Wilde, Mark Duplass, Evan Peters, Sarah Bolger, Donald Glover, Ray Wise, Scott Sheldon, Emily Kelavos, James Earl, Amy Aquino, Sean T. Krishnan, Ator Tamras

Em Renascida do Inferno, um grupo de cientistas liderado por Frank (Mark Duplass) e Zoe (Olivia Wilde, de Cowboys e Aliens e O Preço do Amanhã) desenvolve em suas pesquisas um tipo de soro que é capaz teoricamente de reativar áreas neuronais mortas, o que poderia fornecer uma cura para diversas doenças, mas na prática é utilizado com segundas intenções, já que o médico líder da equipe, Dr. Frank, pretende utilizar a descoberta para desfazer o processo da morte, utilizando cobaias animais no processo. Após conseguirem trazer um cão de volta à vida, o grupo percebe um comportamento estranho do animal, causado pela não dissipação do soro em seu organismo, o que causa potencialmente um aumento anormal da capacidade cerebral. Não é preciso bola de cristal (inclusive o próprio trailer revela) para adivinhar que após a morte acidental de Zoe no laboratório, o desesperado Frank imediatamente testa o soro na moça, o que a traz de volta ao mundo dos vivos, “levemente” alterada, com capacidade, por exemplo, de mover objetos com a mente e ouvir os pensamentos de seus colegas, aspectos aliados a um ligeiro instinto assassino. É isso mesmo que o infernauta deve estar pensando: uma mistura indigesta de elementos de Cemitério Maldito, Lucy, Linha Mortal e Carrie, A Estranha.

Dirigido pelo estreante em longas-metragens David Gelb, o filme aposta o cerne da sua narrativa num imbróglio envolvendo uma experiência traumática na infância da personagem Zoe e nos eventos de quase-morte, apostando em sustos burocráticos que são previsíveis e sequer servem para fazer o espectador pular da poltrona, já que todos são antecipados. Além disso, a trama apresenta personagens unidimensionais e estereotipados (o pesquisador irresponsável e piadista, a mocinha certinha, a cientista obstinada, mas religiosa, etc), e em nenhum momento procura criar empatia para com aquelas pessoas, que são basicamente os únicos personagens do filme.

Ao todo, poucas cenas se salvam, naqueles que são raríssimos momentos onde há alguma tentativa de construir uma atmosfera sombria, como na cena em que dois personagens se encontram em desespero após um blecaute, quebrado apenas por rápidos flashes que parecem revelar uma presença cada vez mais ameaçadora.

Renascida do Inferno (2015)

Não conseguindo se concentrar em nenhum ponto de sua história, o filme soa apressado, pois logo abandona qualquer tópico que apresenta a serviço de algum sustinho ou alguma cena esquemática. Esse aspecto, apesar de conferir mais fluidez à narrativa, acaba deixando a impressão (não só a impressão) de que o roteiro de Luke Dawson e Jeremy Slater tem dificuldade em encontrar um rumo, indo “direto ao ponto” em várias situações e não desenvolvendo nenhuma delas, sendo incompetente em criar tensão ou suspense, e perdendo a chance de desenvolver minimamente os personagens.

Raso como um pires em suas tentativas de abordar questões complexas concernentes à ciência e religião, o filme acaba descambando para um final atabalhoado e genérico, apostando em um CGI de gosto e qualidade duvidosos e deixando a desagradável sensação de um gancho para uma eventual sequência que esperamos nunca ter que ver.

(Visited 1.213 times, 1 visits today)
Marcus Augusto Lamim

Marcus Augusto Lamim

Um seguidor fiel do cinema em todos seus formatos e gêneros, amante de rock e do gênero fantástico, roteirista amador e graduando em química.

11 comentários em “Renascida do Inferno (2015)

  • 15/09/2018 em 15:05
    Permalink

    Pra mim esse filme vale umas 3 caverinhas. Se você não tiver nenhuma implicância com a Olivia Wilde (e por que teria né?), pode assistir de boa, é até criativo.

    Resposta
  • 02/06/2016 em 00:26
    Permalink

    Tentativa séria de copiar Reanimator. Não se copia filme como Reanimator! Dá nisso!!

    Resposta
  • 05/08/2015 em 20:19
    Permalink

    Eu até gostei do filme. Mas valeu mesmo pela olivia, lembrou a Alex, do the O.C.

    Resposta
  • 02/04/2015 em 14:15
    Permalink

    Eu estava animado com a sinopse desde muito tempo atrás, que li aqui no Boca mesmo.
    Aí eu vi o trailer…
    Poxa, achei que o filme flertava com aquela ideia de uma pessoa que seria capaz de dizer o que existe do outro lado da vida (e se existe o outro lado), o que aos poucos seria difícil de se concluir se esta seria mesmo uma pessoa ou qualquer outra coisa. Algo mais preso ao terror vindo da ciência
    Mas essa coisa de poderes sobrenaturais (afastando o filme da ficção científica) já me broxou. Nem fui assistir. -.-

    Resposta
  • 25/03/2015 em 14:49
    Permalink

    Não vi ainda. Mais o sinopse me lembrou o de outro filme: Síndrome de Frankeinstein.

    Resposta
  • 24/03/2015 em 00:30
    Permalink

    filme sem sentido , com algumas parte de suspense , cenas copiadas de a hora do pesadelo! esperava mais desse filme..

    Resposta
  • 17/03/2015 em 03:39
    Permalink

    Pior de tudo mesmo é esse título brasileiro enganador quem nos remete ao clássico Hellhaiser – Renascido do inferno (1987).

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien