Devil Backbone, Texas (2015)

0
(0)

Devil Backbone Texas (2015) (2)

Devil Backbone, Texas
Original:Devil Backbone, Texas
Ano:2015•País:EUA
Direção:Jake Wade Wall
Roteiro:Jake Wade Wall
Produção:Sean Cooley, Nick Phillips, Jake Wade Wall, Andrew Wilson
Elenco:Haley Buckner, James Carrington, Alexandria Fierz, David Z. Roberts, Jodi Bianca Wise

Não mexa com o Texas! Embora o nome do estado americano tenha origem na palavra indígena “Tejas“, que significa “amigos“, o gênero fantástico já provou o quanto a região pode ser perigosa! É a moradia de uma família de canibais, que vende a carne em seu próprio estabelecimento; há chupa-cabras escondidos no deserto; caronistas insanos; e até fantasmas. Resolver fazer um documentário nas proximidades pode ser o seu atestado de óbito, mesmo que seja por uma causa nobre: homenagear seu falecido pai, enquanto tenta entender o motivo que o levou à morte.

Em 1996, o programa Unsolved Mysteries – a principal fonte de inspiração do extinto Linha Direta – exibiu um episódio intitulado Devil Backbone referente a um proprietário de terras, Bert Wall, apresentado como escritor, que teria alguns contatos com espíritos que rondam a região, em San Marcos. Entre os relatos, havia a narração sobre um acontecimento envolvendo três cowboys que alegavam terem sido seguidos pelo fantasma de um nativo-americano e pela assombração de um soldado da Guerra Civil. Pelos relatos, o local teria sido palco de confrontos violentos, resultando em diversos corpos enterrados nas terras áridas.

Devil Backbone Texas (2015) (1)

Quase vinte anos depois, sem novidades sobrenaturais na região, um dos filhos de Bert, Jake Wade Wall (o diretor do filme; roteirista de Quando um Estranho Chama, A Morte Pede Carona, Diversão Macabra e Cabin Fever: Patient Zero), resolveu produzir um documentário, apresentando os fatos misteriosos envolvendo a morte de seu pai. A primeira parte do documentário traz várias entrevistas com parentes e conhecidos de Bert, relatando sua vida na região, a separação e a mudança para Devil Backbone, com a inserção de cenas do episódio do Unsolved Mysteries. Algumas narrações são interessantes – como o fantasma da mulher de branco -, assim como as fotos tiradas no local, com uma em específico evidenciando a presença de uma criança nas ruínas da residência.

Aparentemente, Jake assistiu o eficiente Lake Mungo, de Joel Anderson, pois a montagem lembra bastante essa produção de 2008. Na segunda parte, o documentário passa a ser um típico found footage, com o diretor e conhecidos indo até o local em busca de informações. Uma cena envolvendo uma caverna, quando Jake resolve investigar o “ouro maldito“, é arrepiante, embora a revelação final a contradiga, soando como um furo do roteiro. Aliás, essa revelação é também chupada de Lake Mungo, deixando para o último frame a lembrança de que você está apenas vendo mais um filme de horror.

Devil Backbone Texas (2015) (3)

Se ganha pontos pelo elenco não composto por adolescentes cheios de hormônios, ao mesmo tempo perde por transformar um episódio supostamente real em um found footage facilmente esquecível.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

One thought on “Devil Backbone, Texas (2015)

  • 07/09/2015 em 07:32
    Permalink

    gostei de saber da Origem do nome do Estado do Texas significa Amigos!! o Boca não é só Excelentes criticas de filmes de Terror também é Cultura!!! pena que esse enquadramento de documentário vai ser esquecido como uma dor de cabeça de fim de semana!!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.