A Noite do Terror (1961)

A Noite do Terror
Original:Night Tide
Ano:1961•País:EUA
Direção:Curtis Harrington
Roteiro:Curtis Harrington
Produção:Aran Kantarian, Jules Schwartz, H. Duane Weaver
Elenco:Dennis Hooper, Linda Lawson, Gavin Muir, Luana Anders, Marjorie Eaton, Tom Dillon, Marjorie Cameron

Embora alguns fãs de filmes de terror enalteçam com carinho o nome de Curtis Harrington (1926-2007), a obra desse excêntrico diretor ainda é vista por muitos com desprezo. Lembrado por seus trabalhos na década de 70, no cinema (Obsessão Sinistra, Fábula Macabra) e principalmente para a TV (Abelhas Assassinas, O Cão do Diabo), Curtis teve uma trajetória de curtas-metragens de vanguarda nas décadas de 40 e 50, vale lembrar que seu primeiro curta, uma adaptação de A Queda da Casa de Usher, foi lançado quando o diretor tinha míseros dezesseis anos. A Noite do Terror foi o primeiro longa da carreira do diretor. Uma obra que mostra sua transição, dos curtas surreais ao cinema comercial de horror.

Baseado no conto “The Secrets of the Sea”, de autoria do próprio Curtis Harrington, inédito na época, a história acabaria sendo lançada postumamente apenas em 2013, A Noite do Terror conta a história de Johnny Drake (Dennis Hopper em sua primeira vez como protagonista), um marinheiro, que numa noite de folga resolve perambular pelos bares e parques a beira-mar. Em um desses bares o moço conhece uma bela e misteriosa garota chamada Mora (Linda Lawson, estreando no cinema depois de vários trabalhos na TV). Embora inicialmente seja tratado friamente, ou talvez por isso, o jovem marinheiro fica obcecado com a moça.

O jovem está tão apaixonado que nem estranha o fato da moça trabalhar no parque de diversões local, como atração de freak show, se apresentando como uma sereia. Não estranha nem mesmo quando a garota insiste em lhe dizer que ela é realmente uma sereia. Que está sob a tutela de um velho lobo do mar, o capitão Samuel Murdock (Gavin Muir, em papel oferecido a Peter Lorre, que pediu um cachê alto demais), que teria achado a garota, ainda criança, em uma ilha grega.

Johnny Drake descobre que a polícia também está interessada em Mora, já que dois rapazes que ficaram anteriormente com ela apareceram mortos nas águas do mar. Aparentemente a sereia teria a necessidade de matar seus amantes na maré alta da lua cheia. Há ainda uma mulher misteriosa que apavora Mora toda vez que a vê (interpretada por Marjorie Cameron, que além de amiga de Dennis Hooper, era discípula do místico Aleister Crowley e é menos conhecida pelos seus trabalhos como atriz e mais pelo seu envolvimento com ocultismo e sexo livre).

Johnny Drake tirará a prova de que sua amada seria mesmo uma lendária sereia, mesmo arriscando sua própria vida.

Quem espera em A Noite do Terror um filme brutal e de arrepiar os cabelos vai quebrar a cara, é um longa sutil e poético, calcado nos filmes de terror psicológico produzidos por Val Lewton na década de 40, principalmente O Sangue de Pantera (1942), de Jacques Tourneur, onde tem em comum não só a ideia de uma mulher que pode se transformar em um animal (aqui no caso seria meio animal, numa condição antropozoomórfica), como também temos uma mulher estrangeira misteriosa, além de que em ambos os filmes temos momentos chaves envolvendo as pegadas das protagonistas.

Este é um trabalho de transição na carreira de Curtis Harrington, onde se pode notar resquícios de seus projetos anteriores, em seus curtas-metragens experimentais, em cenas como quando o marinheiro segue pela praia a mulher misteriosa ou quando Mora dança hipnoticamente num luau à beira mar. Ou ainda a famosa cena do sonho de drake, em que Mora o ataca com tentáculos, como um polvo.

No elenco se destaca Dennis Hooper, na fase pré-Easy Rider, numa interpretação bem contida. Linda Lawson está adequada ao papel – interessante é que ela veio da televisão e, após esse filme, retornou para lá não tendo feito nada de mais significativo no cinema. O papel de Mora fora oferecida anteriormente a Susan Harrison, amiga de Curtis Harrington, porém, a moça, sob influência do namorado, pediu um cachê alto para a produção mirrada do filme, e acabou ficando de fora. E ainda temos Luanda Anders (Sem Destino, Demência 13), da turma de Roger Corman e que trabalharia com Harrington em outros filmes (O Terceiro Tiro, Raça Maldita).

A produção barata não atrapalha tanto; a fotografia em preto-e-branco tira umas boas tomadas noturnas, com destaque para as sombras, dando um tom expressionista a obra, embora as cenas aquáticas sejam bem fracas. Porém a derrapada feia é o final fraco e nada convincente. O filme vale também pelas citações literárias (o título original é tirado do poema “Annabel Lee” de Poe, além disso há uma citação a Hamlet de Shakespeare). Sem falar nas citações ao ocultismo que há  ao longo do filme, como o endereço do capitão, cuja o número da casa é 777. Como curiosidade final: os negativos originais da obra pertencem atualmente ao diretor Nicolas Winding Refn!

Enfim, A Noite do Terror é uma interessante pedida para quem procura um filme de terror mais sutil e poético. Além de ser o primeiro longa de um diretor que se dedicou bastante ao gênero e que merece mais consideração.

(Visited 274 times, 1 visits today)
Paulo Blob

Paulo Blob

Nascido em Cachoeirinha, editou o zine punk: Foco de Revolta e criou o Blog do Blob. É colunista do site O Café e do portal Gore Boulevard!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien