Mutação 2 (2001)

3.5
(2)

Mutação 2
Original:Mimic 2
Ano:2001•País:EUA
Direção:Jean de Segonzac
Roteiro:Donald A. Wollheim, Joel Soisson
Produção:Michael Leahy, Joel Soisson
Elenco:Alix Koromzay, Bruno Campos, Will Estes, Gaven E. Lucas, Edward Albert, Jon Polito, Jody Wood, Jim O'Heir

Nos cinemas, apesar de toda a sua narrativa criativa e interessante, Mutação (Mimic, 1997) não fez o sucesso esperado: os 25 milhões do orçamento foi o que o filme conquistou no box office dos EUA e do Reino Unido. Mesmo assim rendeu duas continuações, os inferiores Mutação 2, de 2001, dirigido por Jean de Segonzac; e Mutação 3 – O Sentinela, de 2003, por J.T. Petty, com Lance Henriksen. Esses, sim, fizeram jus ao conceito original, copiando algumas fórmulas já usadas à exaustão pelo gênero fantástico.

Aliás, pode-se dizer que a parte 2 é praticamente uma refilmagem do original, mas sem o mesmo carisma do elenco e ambientação sinistra. No enredo, a professora de Ensino Fundamental e entomologista Remi Panos (Alix Koromzay, que teve uma participação discreta no primeiro filme) tem sérios problemas para se relacionar com homens, preferindo sempre sua paixão pelos insetos. Tem o hábito sociopata de tirar fotos do próprio rosto com uma Polaroid, expressando seus sentimentos particulares para cada pessoa que conhece em seu dia-a-dia. No entanto, seu mundo complicado está prestes a ruir quando os homens que cruzam seu caminho estão sendo assassinados pelo inseto gigante, tendo o rosto destruído evidenciando que se trata de uma relação de afeto da criatura.

Remi se torna a principal suspeita dos crimes, exceto para o Det. Klaski (o semi-brasileiro Bruno Campos, de O Quatrilho, 1995), que aparenta um interesse especial na professora, disputando sua atenção com as criaturas. Assim como o filme original, aqui também temos a participação importante de um menino, Sal Aguirre (Gaven E. Lucas), estabelecendo a conexão com o mal iniciado com as crianças. Os dois e mais outra paquera de Remi, Nicky (Will Estes, de May – Obsessão Assassina, 2002), ficarão isolados na escola, obrigando-os a encontrar meios de escapar desse pesadelo claustrofóbico.

Com a direção trivial de Jean de Segonzac, que depois se dedicaria ao comando de episódios de séries de TV como Lei & Ordem, Mutação 2 tenta trazer algo novo para a franquia, fazendo os insetos imitarem suas vítimas, a partir da carcaça adquirida. No entanto, suas limitações são evidentes. Sonolento e sem grandes surpresas, a continuação parece claramente aproveitar a boa avaliação do original para atrair público, numa atitude apenas oportunista.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3.5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

One thought on “Mutação 2 (2001)

  • 24/08/2021 em 16:41
    Permalink

    fraquinho. sem graça, não indico.nota 4

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.