The Alpines (2021)

5
(3)

The Alpines
Original:The Alpines
Ano:2021•País:EUA
Direção:Dante Aubain
Roteiro:Mally Corrigan
Produção:Joe Reizer
Elenco:Mally Corrigan, Katrina Diehm, Stephen Kazakoff, Aaron Latta-Morissette, Jessie Mac, Niguel Quinn, Michael Taveira

Logo na primeira cena de The Alpines, Zach (Aaron Latta-Morissette) está sendo consultado por um terapeuta (Stephen Kazakoff) sobre algumas situações conflitantes de seu passado e que renderam reflexos em suas atitudes atuais. Mas, ele sente que haverá uma oportunidade de melhora no encontro que terá com velhos amigos em uma isolada casa à beira de um lago, o que é visto pelo médico como um bom exercício psicológico. É difícil, principalmente quando ele reencontra conhecidos que serviram para construir seus traumas, e que também determinaram outros percalços na tênue relação dos demais. Aquele final de semana saudosista regado a banhos, brincadeiras e muitas drogas terá fim quando surgir a enigmática mensagem no porão, escrito com sangue: “Segredos. Segredos não são divertidos. Sete pecadores. Um está feito.

Os tais sete amigos escondem dos demais seus incômodos. Embora Rowan (Katrina Diehm) e James (Niguel Quinn) sejam casados há dois anos, ela mantém um relacionamento extraconjugal e toma pílulas anticoncepcionais para não realizar o sonho do rapaz de ter um filho. Já ele, esconde da companheira um momento íntimo que teve com alguém do grupo no dia do casamento. Próximos de ficarem noivos, Logan (Mally Corrigan, responsável pelo roteiro e pela produção executiva) e Gil (Michael Taveira) se separaram porque ela nutria e ainda nutre um interesse por Roger (Daniel Victor), o que levou Gil a torná-lo um dependente químico e complicar qualquer perspectiva de relacionamento dos dois. E ainda há Andy (Jessie Mac), o interesse de Zach, e que chegou a abortar um filho de Roger, sem que este saiba.

Todas essas complicações são expostas em diálogos, e surgem em dados momentos das discussões do grupo. Ela despontam no momento em que os personagens percebem que não sabem quem é a pessoa que fez o convite para esse fim de semana de reencontro. Um foi convidado pelo outro, sem que este confirme o ato, o que mostra que há entre eles alguém que deseja lavar as roupas sujas, confrontar o passado e até mesmo se vingar – mas quem dentre todos não soube lidar com alguma rusga e está disposto a por um fim no que parecia ter sido deixado para trás?

The Alpines é um thriller psicológico com atmosfera claustrofóbica, bem conduzido por Dante Aubain, cuja força se estabelece na relação conturbada dos conhecidos. Não há um serial killer ou entidade sobrenatural que irá empilhar corpos, e, sim, a tensão promovida pelas descobertas. Entre eles, chama a atenção Logan, que trabalha com advogados criminalistas e entende como encontrar evidências, assim como eliminá-las. Ninguém está disposto a assumir a culpa pelo que aconteceu no verão passado, apenas que o pesadelo termine e possa voltar a sua vida de antes. Assim, boa parte do longa se baseia na construção de diálogos, na esquizofrenia de Zach e na situação de insegurança, quando se percebe, como no sempre lembrado Cova Rasa, que nem tudo pode ser simplesmente enterrado.

Sabendo do que se trata pode ser que você se envolva nesse jogo psicológico até a descoberta da verdadeira ameaça ou veja tudo como um motivador para uma boa soneca. Na narração do epílogo, The Alpines apresentará sua profundidade, na tênue relação entre velhos conhecidos, mas pode ser que você não esteja disposto a esperar até lá.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.