Cláudio (2022)

5
(3)

Cláudio
Original:Cláudio
Ano:2022•País:Brasil
Direção:Calebe Lopes
Roteiro:Calebe Lopes
Produção:Klaus Hastenreiter, Nana Lacrima
Elenco:Marcus Curvelo, Nana Lacrima

Lançado em 2022, Cláudio é um curta musical de Calebe Lopes, cineasta independente que já teve produções exibidas no Festival Boca do Inferno (FBI) como Contos da Morte (2016), Um Dia é da Vida, Outro é da Morte (2017) e Pelano! (2019). Agora fez parte da programação do 4º Festival de Cinema Fantástico de Jacareí, após passagens em diversos festivais e mostras, como o CineFantasy e o Fantaspoa, na apresentação de uma produção ao estilo videoclipe, com elementos de giallo.

No enredo, uma garota sombria caminha pela noite. Trata-se de uma noiva (Nana Lacrima), com luvas pretas e uma máscara, cujo percurso se cruzará com Cláudio (Marcus Curvelo). Seria um encontro por acaso ou uma vingança? Ora, vagando como uma assombração ou como uma mulher numa ação determinada, pelas ruas soturnas de Salvador, logo sua navalha se manchará de um sangue em vermelho intenso, e ela apresentará seu rosto e a belíssima voz e canções como a belíssima “Nuda in mezzo alla Città“.

Com uso de recursos de imagens, intercalando sequências sombrias em um leve tom pessimista, e assassinato, Calebe faz uma produção que me lembrou bastante a visão giallo de Dario Argento, em sua melhor fase, com referências ao cinema setentista, na passagem por vias desertas na noite, explorando cores fortes em variadas lentes e narrativa. E Nana Lacrima tem uma presença bem marcante, dialogando a letra da música com a sua expressividade – e como canta bem! Vale a pena conhecer outras produções de Calebe Lopes, deixar Cláudio tocar sua alma, e prestigiar o talento da cantora.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Avatar photo

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *