Sobrenatural: Capítulo 2 (2013)

Longa nos levará a The Further.

Sobrenatural: Capítulo 2
Original:Insidious: Chapter 2
Ano:2013•País:EUA
Direção:James Wan
Roteiro:Leigh Whannell, James Wan
Produção:Jason Blum, Oren Peli
Elenco:Patrick Wilson, Rose Byrne, Barbara Hershey, Ty Simpkins, Lin Shaye, Steve Coulter, Leigh Whannell, Angus Sampson, Andrew Astor, Hank Harris, Jocelin Donahue, Lindsay Seim

Falar em sequências no universo de filmes de terror é sempre um tema polêmico. Algumas franquias apelam para a mesmice praticamente produzindo refilmagens das tramas originais enquanto outras se distanciam tanto das primeiras obras que mais se assemelham a produtos independentes. Raras são as continuações que conseguem não apenas manter o nível do filme original como respeitar a mitologia apresentada na primeira obra. Quando isto acontece, a sincronia entre os dois filmes pode ser tão grande que estes capítulos 1 e 2 soam como um filme único porém dividido em duas partes.
Halloween 1 e 2 e Hellraiser 1 e 2 são alguns destes exemplos. Em ambas as séries, as continuações começam poucas horas depois dos eventos vistos nos primeiros filmes, o que exige um esforço muito grande não apenas em criar um bom roteiro que amarre as pontas deixadas pelas obras originais como também expandir o que já foi visto. Além disso, o elenco original tem papel fundamental em ajudar a manter uma linha narrativa sólida o que faz com que todos os personagens do capítulo anterior sejam bem-vindos na parte 2, mesmo aqueles já morreram. Em alguns casos, os que já desencarnaram são os mais festejados quando vistos novamente em cena.

Lançado em 2010, Sobrenatural (Insidious) foi a grande surpresa do ano por trazer uma história de fantasma que bebeu muito da fonte de Poltergeist (1982), mas com linguagem e narrativa própria. A película foi dirigida por James Wan, mais conhecido então por ter sido o nome por trás do primeiro Jogos Mortais (2004). O roteiro foi assinado por Leigh Whannell, que também roteirizou os três primeiros Jogos Mortais. Na trama, conhecemos a família Lambert composta pelo pai Josh (Patrick Wilson), a mãe Renai (Rose Byrne), além dos filhos Dalton (Ty Simpkins ), Foster (Andrew Astor) e a recém-nascida Sally. Após se mudarem para uma casa nova, tudo parece bem até que Dalton não acorda em uma manhã após um acidente no sótão e passa os meses seguintes em um coma misterioso que os médicos não sabem o motivo. Insidious também trouxe os personagens da mãe de Josh, Lorraine (Barbara Hershey), a médium Elise (Lin Shaye) e seus dois ajudantes Specs (o também roteirista Leigh Whannell) e Turker (Angus Sampson).

Sobrenatural 2 (2013) (1)

Não demora muito para que coisas estranhas aconteçam na casa. Logo Elise descobre que Dalton tem o dom de se desprender do corpo durante o sono e viajar para diferentes planos espirituais. Em um destes passeios noturnos, a alma do guri foi aprisionada por uma entidade maligna que tem como objetivo possuir o corpo dele. Parte do sucesso de Sobrenatural se deu justamente pela forma encontrada por Wan em mostrar este mundo do além e suas assombrações. Aqui, os fantasmas aparecem sutilmente e deixam tanto os personagens quanto o público na dúvida se realmente viram algo ou não. Além disso, o filme trabalha de forma muito inteligente com a escuridão, que permeia importantes momentos da trama. O único defeito de Sobrenatural se mostra nas poucas cenas do final com uso de cgi, o que acaba quebrando a linguagem visual do que foi visto antes com fantasmas caracterizados principalmente através de maquiagens simples em uma alusão ao medo que se tem ao ver uma pessoa parada em um corredor escuro coberta com o lençol branco.

Pelo excelente final de Sobrenatural, já era de se esperar por uma parte dois. As primeiras informações sobre o segundo capítulo foram animadoras, já que Whannell iria escrever novamente o roteiro e Wen logo confirmou que estaria mais uma vez como diretor do projeto. Além disso, todo o elenco principal estaria de volta. Para melhorar ainda mais, a trama iria começar no dia seguinte ao que fora visto no primeiro filme. Para aguçar o interesse do público, teasers e trechos de Sobrenatural 2 logo começaram a ser liberados na web. A curiosidade foi satisfeito na sexta-feira 13 de setembro de 2013 quando aconteceu o lançamento nos Estados Unidos e tanto a crítica quanto o público aprovaram a sequência.

Longa chega ao Brasil no dia 22 de novembro.

Com um atraso de quase dois meses, o filme finalmente chegou ao Brasil. Insidious 2 mostra a família Lambert indo morar na casa de Lorraine, uma vez que a polícia está investigando a morte da personagem Elise, que acontece no final do primeiro filme. O clima de que nem tudo deu tudo certo no final original logo se mostra realidade uma vez que as assombrações parecem ter seguido a família para o novo endereço e mais uma vez se mostram dispostas a interagir com uma pessoa específica da família, neste caso, Josh.

Diferente do primeiro filme onde naturalmente havia um tempo específico para conhecermos os personagens e nos ambientarmos com a trama, Insidious 2 é muito mais direto. O elenco já começa tenso e inseguro, visto tudo pelo que passaram no filme (dia) anterior. Aqui temos novamente assombrações simples, mas extremamente funcionais em cenas escuras que geram bons momentos de tensão. Tudo isso aliado a uma interessante investigação que não apenas expande o universo criado no primeiro capítulo como também amarra os pontos deixados em aberto.

E como resultado, realmente é fácil acreditar que Insidious 1 e 2 podem ser um único filme. A direção de arte tomou bastante cuidado em recriar cenários do original para o segundo filme de forma muito fiel. O elenco parece ter gravado os dois filmes de uma só vez e até as crianças aparentam não terem envelhecido um dia. Wan pensou nos mínimos detalhes e chegou até a usar a voz de Lin Shaye para dublar a atriz Lindsay Seim, que interpreta Elise na juventude em cenas de flashback. E se o primeiro filme pecou unicamente pela utilização de cgi em algumas cenas finais, Sobrenatural 2 corrigiu esta falha, embora traga outro problema na sua conclusão. Diferente do surpreendente final do original, a resolução aqui é no mínimo simplória, o que contraria a essência dos dois filmes. Uma pena visto que poderia ter sido a cereja do bolo dos dois filmes.

De qualquer forma, é quase certo dizer que não voltaremos a ver a família Lambert já que Wan deixou claro que já deu sua contribuição para Sobrenatural com os dois filmes. Na verdade o diretor confirmou que não pretende mais fazer filmes de terror visto que seus últimos projetos foram Sobrenatural 1 e 2 além do também sucesso Invocação do Mal, de 2013. Atualmente ele está trabalhando em Velozes e Furiosos 7. No entanto, é possível imaginar que a franquia deve seguir adiante. O terceiro filme acabou de ser anunciado com lançamento previsto para 2015 e terá roteiro novamente de Leigh Whannell. Nos resta saber o que o futuro aguarda para uma série com dois ótimos exemplares no currículo.

Sobrenatural 2 (2013) (2)

Curiosidades:

– Uma das marcas do primeiro filme, a música Tiptoe Through The Tulips é tocada no trailer de Insidious 2, mas não aparece na película.

– O diretor Wan pode ser visto no filme em uma imagem de descanso de tela em um computador ao lado dos personagens Specs e Tucker.

– Quando Specs e Tucker entram na casa de Elise, é possível ver uma pintura africana na parede. Trata-se do mesmo quadro visto no quarto de estudo de Daniel em Atividade Paranormal 2 e da casa da avó em Atividade Paranormal 3.

(SPOILER) – Após a conclusão com a família Lambert, Insidious 2 mostra um epílogo no qual é possível prever qual será o rumo de um possível terceiro filme.

(Visited 965 times, 1 visits today)
Filipe Falcão

Filipe Falcão

Jornalista formado e Doutor em Comunicação. Fã de filmes de terror, pesquisa academicamente o gênero desde 2006. Autor dos livros Fronteiras do Medo e A Aceleração do Medo e co-autor do livro Medo de Palhaço.

Um comentário em “Sobrenatural: Capítulo 2 (2013)

  • 07/12/2013 em 18:09
    Permalink

    Gostei do comentário sobre o uso de cgi no primeiro filme.
    A combinação de maquiagem malacabada, caretas dos próprios atores e a trilha sonora horripilante são responsáveis pelas melhores cenas de horror do filme! Foi capricho fazer o demônio rastejar pelas paredes. Aliás, aquela entidade do capítulo 1 não era um humano, era?

    Quanto à sequência, eu gostei bastante! Acho que em matéria de enredo, o primeiro ganha. Mas, a produção e as cenas de susto foram bem aperfeiçoadas na continuação.

    Parabéns pelo review! Espero que os próximos lançamentos venham mais ou menos neste nível.

    Resposta

Deixe uma resposta para João Henrique Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *