MedopontoComBr (2002)

Medopontocombr (2002)

Medopontocombr
Original:Feardotcom
Ano:2002•País:UK, Alemanha, Luxemburgo, EUA
Direção:William Malone
Roteiro:Moshe Diamant, Josephine Coyle,
Produção:Limor Diamant, Moshe Diamant
Elenco:Stephen Dorff, Natascha McElhone, Stephen Rea, Udo Kier, Amelia Curtis, Jeffrey Combs, Nigel Terry, Gesine Cukrowski, Michael Sarrazin, Siobhan Flynn

Abandone toda a esperança, acesse todo o mal. Este será o último site que você verá

A tagline promocional instiga-nos a desafiar o medo do desconhecido e romper a fronteira que separa a realidade que conhecemos e um mundo regido por forças sobrenaturais. A maior questão é se estamos preparados para enfrentar as prováveis consequências que podem ser decorrentes dessa violação ao acessarmos um site proibido da internet, cujo preço a pagar é a morte após dois dias da invasão. Essa é a premissa básica de Medopontocombr (FeardotCom), que entrou em cartaz nos cinemas brasileiros em 14/11/03, após mais de um ano de constantes adiamentos, e entrando em circuito em poucas salas com horários igualmente menos favoráveis.

A história é ambientada em Nova York, onde o detetive da polícia Mike Reilly (Stephen Dorff) se une a uma pesquisadora do departamento de saúde, Terry Huston (Natascha McElhone), para juntos tentarem desvendar um mistério que envolve a morte de quatro pessoas que tem em comum hemorragias nos olhos e nariz e o fato de acessarem um obscuro site da internet chamado feardotcom.com. Com um visual que incita a curiosidade do visitante, apresentando imagens confusas e carregadas de um teor bizarro, numa viagem alucinógena, além da interação com uma sedutora voz virtual feminina, a dupla de investigadores, auxiliados eventualmente ainda pelo policial Sykes (Jeffrey Combs), descobre que as vítimas morreram após 48 horas do contato com o misterioso site, e para encontrarem uma resposta decidem percorrer o mesmo caminho navegando pelo amaldiçoado endereço eletrônico.

Agora, com apenas dois dias para resolverem o caso e salvarem também suas próprias vidas, eles mergulham num pesadelo assombrado, enfrentando seus piores medos e temores, descobrindo estranhas relações entre as mortes, o tormento de um fantasma de uma criança, o misterioso site, uma jovem brutalmente torturada até a morte e sedenta de vingança, e finalmente um antigo serial killer, Alistair Pratt (Stephen Rea), sádico torturador e assassino de mulheres, auto denominado como O Doutor, por seus conhecimentos na arte de mutilar os corpos de suas vítimas, e que havia escapado da polícia e do detetive Reilly tempos atrás, retornando para continuar seu legado de sangue através da internet, na transmissão de snuff movies financiados por assinantes ávidos por violência e morte reais.

O argumento básico de Medopontocombr também utiliza como tema central a internet, a rede mundial de computadores que disponibiliza para o usuário uma quantidade quase sem fim de informações de todo tipo e para todos os interesses. Sua história gira em torno de um site amaldiçoado que misteriosamente está relacionado à morte dos visitantes que o acessam. Outros filmes recentes de horror que exploraram igualmente a mesma ideia foram a oitava parte da saga do psicopata Michael Myers, Halloween: Ressurreição, e o thriller O Olho Que Tudo Vê (My Little Eye), ambos apresentando um reality show transmitido ao vivo pela internet.

Medopontocombr (2002) (2)

Medopontocombr possui uma proximidade muito grande com a história do filme japonês Ringu, produzido anteriormente em 1998, e que depois foi refilmado nos Estados Unidos em 2002 como O Chamado (The Ring). Entre as similaridades, destaca-se a existência de uma maldição motivada por vingança, que leva à morte a pessoa que entrou em contato com seus poderes proibidos e sobrenaturais, após um determinado intervalo de tempo. Em Ringu, quem assistia uma estranha fita de vídeo VHS amaldiçoada acabava morrendo no prazo de sete dias exatos, e em Medopontocombr a vítima morre em 48 horas após interagir com um jogo acessando um obscuro site da rede.

Apesar do argumento não original, aparentemente aproveitado de outros filmes, e de um final previsível ainda que razoavelmente satisfatório, Medopontocombr foi injustamente atacado com uma quase unanimidade de críticas negativas e desprezado pelo público, pois o filme se esforça em apresentar uma história sobrenatural motivada por vingança, utilizando a internet como meio de propagação de violência. Existe uma investigação interessante, um show de imagens bizarras num universo macabro de alucinação, a ação de um frio psicopata mutilador, e uma crítica à sociedade sedenta de violência real alheia,  criando alguns momentos exagerados de fantasia. Mas como filme de entretenimento, e independente da falta de originalidade, funciona bem e merecia uma reconhecimento maior.

Curiosamente, no início da campanha de divulgação, o filme iria se chamar no Brasil Medopontocom, numa tradução literal do original, e depois o nome foi alterado para o definitivo Medopontocombr. O filme é o típico caso de uma produção que não despertou grande interesse comercial nos responsáveis pelo lançamento em nosso país, tanto que estreou nos Estados Unidos em agosto de 2002 e somente chegou por aqui em meados de novembro do ano seguinte, tendo a estreia nos cinemas adiada inúmeras vezes para não coincidir com o lançamento de algum concorrente poderoso que poderia lhe prejudicar o desempenho nas bilheterias. Já que não estava recebendo nenhum prestígio com o lançamento super atrasado nos cinemas brasileiros, o filme poderia então ter sido lançado diretamente para o mercado de vídeo, evitando com isso tanta demora em estrear por aqui. Sem contar a avalanche de críticas desfavoráveis que o filme recebeu, contribuindo bastante para seu fracasso de público.

O cineasta William Malone já teve experiências anteriores com o gênero, dirigindo dois episódios da série de TV Contos da Cripta (1989/96) e o filme A Casa da Colina (99), pela Dark Castle, uma refilmagem de House on Haunted Hill (58).

Medopontocombr (2002) (4)

O elenco principal é formado por Stephen Dorff, americano nascido em 1973, e com passagens em filmes como O Portão (87), ainda bem jovem, e Blade – O Caçador de Vampiros (98), além da inglesa Natascha McElhone, nascida em Londres em 1971, e com participações em O Show de Truman (98), Cidade Fantasma e Solaris (2002). Completam ainda o time Jeffrey Combs, ator bastante lembrado por sua ligação com o horror, em filmes como Re-Animator (85), Do Além (86), Os Espíritos (96), A Casa da Colina (99), entre outros. Tem também o experiente Udo Kier numa participação especial e muito rápida no início do filme como Polidori. Alemão nascido em 1944, ele é dono de uma carreira com mais de 200 trabalhos, com destaque para os papéis do Barão Frankenstein e do vampiro Drácula, respectivamente nos filmes italianos Flesh for Frankenstein (73) e Blood for Dracula (74), produzidos por Andy Warhol, além de participações em Suspiria (77), de Dario Argento, Armageddon, Blade, Fim dos Dias e A Sombra do Vampiro. E ainda o veterano irlandês Stephen Rea, que fez o papel de um sádico assassino, e que já havia participado de Entrevista com o Vampiro (94), A Premonição (99). V de Vingança (2005), Anjos da Noite: O Despertar (2012), entre outros.

(Visited 1.279 times, 1 visits today)
Juvenatrix

Juvenatrix

Uma criatura da noite tão antiga quanto seu próprio poder sombrio. As palavras são suas servas e sua paixão pelo Horror é a sua motivação nesse Inferno Digital.

4 comentários em “MedopontoComBr (2002)

  • 02/02/2014 em 15:03
    Permalink

    Como assisti Medopontocombr no ano seguinte ao da estreia de O Chamado (2002), ele me pareceu realmente uma cópia bem chupada do remake de Ringu (Ringu este que eu só vim a conhecer depois da refilmagem americana), principalmente nas cenas da guria fantasma. Tá na minha lista “Vi, não gostei e pretendo rever”, tal qual Stay Alive.

    Resposta
  • 29/01/2014 em 23:46
    Permalink

    deve ser fraco mesmo,perdi a vontade de ver.

    Resposta
  • 29/01/2014 em 23:29
    Permalink

    filme razoável o elenco é fora de sério , vale apena conferir..

    Resposta

Deixe uma resposta para vanessa vasconcelos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *