Star Wars: A Ascensão Skywalker (2019)

Star Wars: A Ascensão Skywalker
Original:Star Wars: Episode IX - The Rise of Skywalker
Ano:2019•País:EUA
Direção:J.J. Abrams
Roteiro:J.J. Abrams, Chris Terrio
Produção:J.J. Abrams, Kathleen Kennedy, Michelle Rejwan
Elenco:Carrie Fisher, Mark Hamill, Adam Driver, Daisy Ridley, John Boyega, Oscar Isaac, Anthony Daniels, Domhnall Gleeson, Richard E. Grant, Lupita Nyong'o, Keri Russell, Joonas Suotamo, Kelly Marie Tran, Naomi Ackie, Ian McDiarmid, Billy Dee Williams

O último filme da terceira trilogia da saga Star Wars finalmente estreou no dia 19 de dezembro. Com uma produção marcada por um roteiro que precisou ser reescrito em função da morte da atriz Carrie Fisher e a troca de diretores, A Ascensão Skywalker apresenta uma trama ancorada em uma zona de conforto, o que pode ser um ponto tanto positivo quanto negativo ao depender do que se espera deste filme.

Depois de uma segunda trilogia, os episódios 1, 2 e 3, repleta de crítica negativa, em parte pelos fracos roteiros e péssima direção de George Lucas, era grande a expectativa desta terceira trilogia, principalmente depois da compra da marca Star Wars pela Disney.

O primeiro filme da terceira trilogia, O Despertar da Força, foi lançado em 2015 e contou com direção de J J Abrams, que também participou do roteiro. O filme foi feliz na apresentação de novos e carismáticos personagens ao lado de nomes importantes do universo Star Wars. Apesar do sucesso de crítica e público, O Despertar da Força trabalhou em uma zona de conforto. Muitos fãs inclusive consideram este episódio 7 quase como um reboot de A Nova Esperança, de 1977. No entanto o resultado foi satisfatório e deu fôlego para os próximos dois filmes.

O segundo filme, Os Últimos Jedi, saiu em 2017. Com direção de Rian Johnson, o episódio 8 marcou a saga pela ousadia do seu roteiro, que surpreendia com cada arco fílmico tanto na trama como nos personagens. Os Últimos Jedi tende a ser tratado como um ótimo filme justamente por surpreender quem assistiu não apenas por efeitos especiais e cenas bem gravadas, mas pelo desenvolvimento dos acontecimentos. Os fãs saíram das salas de cinema já contando os dias para o episódio 9.

Infelizmente a morte de Carrie Fisher em 2017 foi um primeiro grande problema do episódio 9, que tinha reservado um grande destaque para Leia. Logo após a morte de Fisher, foi anunciado que uma Leia recriada digitalmente não seria feita e muito menos outra atriz seria escalada para o papel. Com a data de estreia já marcada, a produção precisou correr para reescrever o roteiro de modo a incluir Leia de alguma forma, ela não poderia simplesmente não estar presente, ao mesmo tempo em fazer com que a nova história funcionasse. Além deste problema, Colin Trevorrow, de Jurassic World, foi anunciado como diretor ainda em 2015, mas desistiu do projeto durante a pré-produção, em 2018. Coube a Abrams voltar a assumir o cargo, assim como também se envolver no novo roteiro.

A Ascensão Skywalker é um filme grandioso com momentos épicos, bom desempenho dos atores e uma montagem acelerada e dramática. No filme, reencontramos Rey (Daisy Ridley) completando seu treinamento de jedi sob a coordenação de Leia enquanto o vilão Kylo Ren (Adam Driver) vai ao encontro de Palpatine (Ian McDiarmid) nos confins da galáxia.

Apesar dos trailers, da premissa e de ser o último episódio tecnicamente falando da saga Star Wars, falta alma ao filme. Como dito no primeiro parágrafo, A Ascensão Skywalker trabalha em uma zona de conforto que chega a incomodar. Não existe ousadia, não existem grandes revelações, não existem momentos de fazerem a sala de cinema vibrar ou permanecer em silêncio absoluto como tantas vezes aconteceu no episódio 8.

Basta lembrar que no filme anterior tivemos a morte inesperada de Snoke (Andy Serkis), Leia usando a força, a luta lado a lado de Rey e Kylo Ren após a morte de Snoke, um destróier sendo partido ao meio, a aparição de Yoda, a épica batalha de Luke (Mark Hamill) contra Kylo Ren assim como a conclusão do embate. Estes são apenas alguns momentos do episódio 8 que o fizeram um filme tão único e vibrante. Faltaram momentos assim no episódio 9.

Tudo está presente no episódio 9, mas comportado demais. A sensação que fica é que a produção do novo filme ficou com medo de ousar. Por se tratar de um último episódio, ousadia seria algo bastante necessário. Infelizmente isto tirou um pouco do brilho que o filme poderia ter tido.
Outro problema foi a inclusão de Palpatine. Morto no episódio 6, parece que a inclusão dele foi feita de última hora como modo de remendar a história. O personagem é importante e está mais sombrio do que nunca, mas nada sobre ele foi falado ou mostrado nos episódios 7 e 8, de modo que soa estranho tê-lo de repente como super vilão no episódio 9.

Dos pontos positivos, destaca-se novamente Adam Driver com seu Kylo Ren e Daisy Ridley com a sua Rey. A participação e o destino de Leia também são satisfatórios. A solução para ter a personagem em cena se deu por uma técnica conhecida como rotoscoping, na qual cenas não aproveitadas dos episódios 7 e 8 com Fisher foram recortadas de modo a retirar a atriz do cenário original das filmagens e incluí-la em novos cenários. A técnica também permite trocar roupa e cabelo assim como dublar novas falas feitas por gravações de áudio da atriz. É claro que gostaríamos de ter Leia mais tempo em cena, mas ao menos tivemos uma conclusão digna da personagem.

Com relação ao futuro da saga estrelar, este pode ser o último filme da terceira trilogia, mas com certeza continuaremos a ter novos produtos Star Wars muito em breve. A série O Mandalorian coleciona elogios por onde passa enquanto uma série sobre Obi Wan, mais uma vez interpretado por Wean McGregor, segue em pré-produção.

Provavelmente em breve pode-se ter o anúncio de novos filmes. Quem sabe de uma nova trilogia. Aos 42 anos, a saga iniciada por George Lucas parece não dar sinais de ter realmente um último capítulo. Desta forma, que a força esteja conosco. Para sempre.

(Visited 780 times, 1 visits today)
Filipe Falcão

Filipe Falcão

Jornalista formado e Doutor em Comunicação. Fã de filmes de terror, pesquisa academicamente o gênero desde 2006. Autor dos livros Fronteiras do Medo e A Aceleração do Medo e co-autor do livro Medo de Palhaço.

6 comentários em “Star Wars: A Ascensão Skywalker (2019)

  • 27/12/2019 em 20:04
    Permalink

    Star Wars 9 é o pior Star Wars de todos, é até pior do que o famigerado Ultimos Jedi. O filme não se arrisca em momento algum e ainda esquece de que a Rey não teve treinamento algum e mesmo que tenha passado por um momento no Star Wars 9, o treinamento dela não convence nada.
    Os novos poderes da força de Rey e Kylo são pessimos. Anakin Skywalker,o Escolhido nem chegou a ter habilidade de cura, e nem de telatransportar objetos. A força vem aos dois com novos poderes, mas em nada convence de como essas habilidades surgiram.
    O retorno do Palpatine é ridículo é o mesmo deixa ser morto facilmente. O verdadeiro Palpatine nunca faria da forma apresentado ao filme, ele é o maior manipulador da história do star wars e a volta dele não traz essa característica dele.
    É ridículo que a Rey, uma mary sue derrote o imperador sendo que nem um Conselho jedi inteiro conseguiu derrota-lo. Sem falar que não ter a aparição ou renascimento do Anakin estraga todo o sacrifício dele em matar o Darth Sidius no Retorno do Jedi.
    O filme inteiro não apresenta nada de novo que seja convincente e não utiliza nada da mitologia extendida do Star Wars.

    Resposta
    • 27/01/2020 em 07:57
      Permalink

      Primeiro olha como vc é burro, seu treinamento foi iniciado pelo Luke e concluído pela Leia, entre 1 filme e outro tem um leque de 1 ano, as habilidades já existia no universo star wars antigo que hoje é o legends então não é anormal isso agora se vc quer explicação de onde vem os filme não respondem nada e sim nos livros va estudar, kkkkkkkko retorno do palpatine é tão ridículo como aconteceu nas mãos do lucas através de clonagem resumindo voltou do mesmo jeito porem como foi ainda veremos, pqp mano tu é burro ou tu só viu os filmes, o conselho jedi desconhecia que Palpatine era um sith, muito disso foi por causa que ele negligenciaram alguns fatos e fizeram vista grossa pra muita coisa, e Windu quase matava ele se o Anakin não tivesse interferido no episodio 3, mano vai assistir tudo de nov vá, quanto a o Anakin vc é burro de novo, o sacrifício dele não foi desvalorizado ou em vão pois o próprio cânon do Lucas o Palpatine volta, outra coisa e que o sacrifício do Vader foi pra salvar seu filho que iria ser morto e não porque ele queria estabelecer o equilíbrio como fez, ponha uma coisa na cabeça equilíbrio não é dizimar o lado negro sempre vai existir, Palpatine retornar dos mortos, poder de cura, equilíbrio da força, sacrifício de um Skywalker mano tem certeza que não tem nada da mitologia estendida do Star Wars.

      Resposta
  • 24/12/2019 em 09:14
    Permalink

    Não quero dar uma de chato, mas não entendi o por que dessa matéria? Esse tipo de filme não tem nada de terror.
    Achei estranho Boca.

    Resposta
    • 25/12/2019 em 19:43
      Permalink

      O site também fala de filmes de fantasia e ficçao cientifica.

      Resposta
  • 23/12/2019 em 21:29
    Permalink

    Obrigado por esse review… falaram tão mal do filme que quase desisti de ir assistir… ainda bem que fui. Ótimo filme

    Resposta
  • 22/12/2019 em 22:29
    Permalink

    Pelas notícias meio soltas que saíram ultimamente, espero mesmo que os caras deem um descanso pro universo que ronda o Vader e explorem um pouco da Velha República. Tem tantos cavalheiros Sith interessantes pra mostrar.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *