Pulse 2 (2008)

Pulse 2
Original:Pulse 2 - Afterlife
Ano:2008•País:EUA
Direção:Joel Soisson
Roteiro:Joel Soisson
Produção:Michael Leahy
Elenco:Todd Giebenhein, Diane Ayala Goldner, Georgina Reylance, Dodie, Jamie Bamber Claudia Templeton, Lee Garlington, Karley Scott Collins, Boti Bliss, John Gulager, Grant James

Sequência do filme de 2006, Pulse 2 mostra como a Terra se tornou um lugar morto… e perigoso. Depois de quase matar a filha Justine (Scott Collins), Michelle (Reylance) se torna, ao morrer, em um fantasma que a persegue constantemente. Para protegê-la, seu pai (Bamber) parte com Justine em busca de um local seguro, longe dos fantasmas que utilizam a rede para se manifestar.

Como não assisti ao primeiro filme (que por sua vez já é um remake do japonês Kairo), analisarei o título de forma independente. O filme começa meio desconexo, apresentando personagens e situações não identificáveis à princípio. Porém o filme consegue crescer a partir do segundo ato, com o diretor-roteirista Soisson conseguindo criar um clima interessante com o apoio de parte de trilha sonora e parte da fotografia, que consegue estabelecer um ambiente de desolamento e morte, e desenvolve bem a trama até certo ponto. Outro ponto interessante foi o fato de usarem a frequência vermelha como proibida aos fantasmas (M. Night Shyamalan sempre usou em seus filmes a cor com este significado de proibido ou perigoso).

Entretanto, o filme se entrega por muitas vezes às chatas convenções do gênero, como os sustos baseados no repentino aumento da trilha e algumas situações simplesmente impossíveis de acontecer diante do contexto do filme, como na cena em que um homem, mesmo sabendo dos perigos de uma infecção, faz sexo com uma mulher. Assim, se por um lado ficamos mais desolados do que com medo, graças também aos pouquíssimos diálogos presentes no filme que aumentam esta sensação; ficamos decepcionados com o excessivo caráter comercial representado pela falta de boas ideias.

No final fiquei positivamente impressionado devido à baixa receptividade pelo público e críticas americanas. Um daqueles filmes para se assistir quando não há nada mais interessante na TV ou no streaming.

(Visited 541 times, 2 visits today)
Marcus Augusto Lamim

Marcus Augusto Lamim

Um seguidor fiel do cinema em todos seus formatos e gêneros, amante de rock e do gênero fantástico, roteirista amador e graduando em química.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *