American Crime Story: O Povo Contra O.J. Simpson (2016)

American Crime Story: O Povo Contra O.J. Simpson
Original:The Run of His Life:The People v. O.J. Simpson
Ano:2016•País:EUA
Autor:Jeffrey Toobin•Editora: Darkside Books

O caso que parou os Estados Unidos, considerado o julgamento do século e com uma das maiores repercussões da história. O julgamento de O.J. Simpson pela morte de sua ex esposa, Nicole Brown, e seu amigo, Ronald Goldman, e todas suas nuances são expostas nessa edição da DarkSide Books.

Orenthal James Simpson, mais conhecido por O.J., era um aclamado astro de futebol americano na época, já aposentado.  Após diversas idas e vindas com a sua até então esposa, Nicole, enfim decidem se divorciar. O divórcio foi conturbado. O.J. ameaçava tirar a propriedade que anteriormente dera a Nicole para morar com os filhos, tinha histórico de violência doméstica e apresentava comportamento ora explosivo, ora carinhoso.

No dia 12 de junho de 1994, Nicole foi encontrada morta à porta de sua casa, sendo esfaqueada sete vezes no pescoço. Porém, ela não estava sozinha. Seu amigo, Ronald Goldman, também foi encontrado morto na residência, enquanto os filhos de O.J. e Nicole dormiam no andar de cima.

Chegando no local, a polícia encontra uma luva e rastros de sangue. Ao chegarem na residência de O.J., encontram um Ford Bronco branco estacionado a alguns metros. O carro pertence a O.J, e parece ter sido estacionado às pressas.

Os policiais não suspeitam de celebridades logo de cara.  Muitos são amigos dele, de modo que sempre faziam vista grossa com as denúncias de violência doméstica. Porém, algumas novas evidências surgem. O Bronco possui manchas de sangue, e Simpson vira agora um suspeito.

O advogado Robert Shapiro assume a defesa, em busca de fama. Agarra toda e qualquer oportunidade de coletivas de imprensa defendendo seu cliente e se auto promovendo, apesar de, intimamente, acreditar que Simpson é culpado. Do lado da promotoria, temos Marcia Clark, que desde o começo tem certeza da culpa de O.J. e acredita que sua vitória no tribunal é certa. Clark não contava que Johnny Cochran entraria para a equipe de defesa e transformaria o julgamento em algo muito maior do que um simples caso de assassinato.

Antes do julgamento, O.J. é solicitado a se apresentar na delegacia, e Shapiro garante que seu cliente irá de livre e espontânea vontade, afinal, é inocente. Eis que acontece o episódio que fez o caso ser conhecido internacionalmente, parando a América: Simpson foge em seu Ford Bronco, resultando em uma perseguição histórica digna de filme, que durou mais de duas horas. O país parou, as transmissões das finais da NBA foram interrompidas. Todos os canais mostravam a fuga de O.J. para mais de 90 milhões de espectadores, que só acabou quando o ex-astro chegou na casa de seus pais e resolveu se entregar, após ameaças de suicídio.

O julgamento levou 372 dias até enfim ser concluído. Jeffrey Toobin acompanhou o caso de perto, e aborda no livro todo o processo de escolha do júri e estratégias tomadas por ambos os lados, abordando questões extremamente atuais.

Nos anos 90, a polícia de Los Angeles era considerada a mais racista dos Estados Unidos e com uma taxa elevadíssima de morte de pessoas negras em operações policiais, e isso motivou Johnny Cochran a levar o caso para um cunho racial. Simpson era uma celebridade egocêntrica e fazia questão de ser tratada como tal, não gostava de ser chamado de negro e nada fazia para ajudar a comunidade. Mas Cochran ignorou esses detalhes e se concentrou em apenas uma coisa: estavam tentando incriminar O.J. apenas por ele ser negro. Alegou que as provas eram falsas, plantadas por um policial racista com um histórico extremamente problemático.

Tais alegações inflamaram a comunidade negra, cansada dos abusos policiais. O povo estava ao lado de Simpson, afinal ele era carismático e tinha estrelado diversos comerciais e filmes, seria impossível cometer uma atrocidade dessas.  A imprensa viu uma oportunidade de botar ainda mais lenha na fogueira, muitas vezes de forma exagerada, chegando a atacar a aparência de Marcia Clark e sua vida pessoal.

Além disso, o livro mostra uma ineficiência tanto policial quanto do sistema judiciário. Ambos os lados, defesa e promotoria, se utilizaram de informações sensacionalistas para tentar virar o caso a seu favor. O juiz cedia facilmente às pressões externas, alguns policiais bajulavam Simpson apenas por ser famoso. Provas foram contaminadas por falta de cuidado, outras foram rejeitadas, quando eram cruciais, informações divergentes chegavam de todos os lados. Com tantos problemas e exposição, os assassinatos de Nicole e Goldman ficaram em segundo plano.

Após longos e exaustivos meses, O.J. Simpson é inocentado de todas as acusações por falta de provas conclusivas.

Em 2007, Simpson foi preso por assalto à mão armada e sequestro em Las Vegas. Após cumprir a pena, atualmente segue em liberdade.

Jeffrey Toobin expõe como o sistema era e ainda é falho, a manipulação de informações pela mídia, os detalhes que levaram à decisão final e o forte racismo presente até os dias de hoje não só nos Estados Unidos, mas no mundo.

American Crime Story: O Povo Contra O.J. Simpson foi adaptado para a excelente minissérie da FX por Ryan Murphy, contando com Sarah Paulson, John Travolta e Cuba Gooding Jr. e ganhou diversos prêmios, incluindo o Globo de Ouro de melhor minissérie.

(Visited 446 times, 1 visits today)

Louise Minski

Um experimento de Schrödinger entediado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *