The Appearance (2018)

5
(3)

The Appearance
Original:The Appearance
Ano:2018•País:EUA
Direção:Kurt Knight
Roteiro:Kurt Knight
Produção:Jennifer Griffin
Elenco:Jake Stormoen, Kristian Nairn, Adam Johnson, Michael Flynn, Baylee Self, Cameron Samora, Nathan Stevens, Oscar R. Sanchez, Eric Millward

Quando se cria uma imagem mental da Idade Média, certamente ela é envolta em cavaleiros em confrontos de espada, gigantescos castelos e abadias, doenças e ignorância religiosa como motor propulsor do medo. A ausência de conhecimento, o que a apelidou de Idade das Trevas – embora existam estudiosos que enxerguem o período como bastante fértil para o desenvolvimento plantio e industrial -, fomentou o gênero fantástico com contos macabros e fábulas envoltas por uma atmosfera de perturbação e bruxas em estilos diversos como a do subestimado terror The Appearance, de Kurt Knight.

Com baixa aprovação no site IMDB, que costuma servir de termômetro para o cinema e séries de TV, o longa tem vários dos elementos que agradam os fãs de horror que apreciam histórias ambientadas no período, lembrando – com as devidas e vastas diferenças de qualidade- o excelente O Nome da Rosa (1986), de Jean-Jacques Annaud, inspirado no romance de Umberto Eco, ao mesclar elementos sobrenaturais com investigação. Ambos os enredos são ambientados nas gélidas abadias, sendo que neste mais recente uma moça aguarda para ser morta, condenada pela ignorância de uma comunidade amaldiçoada. Não traz reflexões filosóficas e nem provocações religiosas, não explora conceitos históricos e sociais, apenas instiga o infernauta sobre o que realmente está acontecendo ali, propondo sustos e algumas doses de entretenimento.

Depois que um monge é encontrado morto numa abadia, sem saber se foi vítima de suicídio ou assassinato, o escrivão Felix (Adam Johnson) convoca o inquisidor Mateho (Jake Stormoen), conhecido por sua racionalidade, para descobrir o que aconteceu, uma vez que uma moça do lugar, Isabel (Baylee Self), fora presa e considerada responsável pela morte, com o abade Scipio (Michael Flynn) sugerindo que a dita seja levada à fogueira. Mateho acredita que não se trata de um caso de bruxaria, mas, sim, de ignorância pela crença exacerbada em forças ocultas e influências negativas, e está disposto a provar a inocência da garota.

Assim que encontra pela primeira vez a jovem condenada, nas celas escuras de um labirinto sombrio com corredores estreitos, Mateho investiga o corpo da vítima e descobre cortes que representam uma espécie de cruz com três hastes, um sinal que será visto em outros corpos e lugares, indicando uma possível mensagem secreta. Com a pressão psicológica dos eclesiásticos e até mesmo do seu gigante parceiro Johnny (Kristian Nairn), Mateho resolve realizar um teste que permite saber se a condenada é realmente uma bruxa, e, a partir de então, tudo muda: seus conceitos e crenças e a relação de tudo aquilo com um pesadelo constante que envolve um episódio da infância. O terceiro ato é o que promove os momentos de verdadeiro terror claustrofóbico, em cenas que remetem – também de maneira desproporcional – os primeiros filmes da franquia Alien, quando a criatura era perseguida pelos túneis.

É claro que The Appearance deve ser compreendido como uma produção de orçamento menor. Contudo, dentro de suas limitações, há bons efeitos, boa direção e a ótima atuação de Michael Flynn, que compõe um abade indigesto, além de uma fotografia escura e que compactua com o tom do período. Ainda assim, o que se nota de melhor é o roteiro do próprio Knight, que soube explorar os principais contextos do período como a ignorância dos cidadãos pelo temor de uma entidade maligna e a rotina de sofrimento, clausura e orações. Com mais créditos como Diretor de Arte, o cineasta atualmente está no comando de episódios da série The Outpost, em sua quarta temporada. É um nome a ser observado com mais atenção em seus próximos projetos!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.