Tales Told In Technihorror – Season One (2021)

5
(2)
Tales Told In Technihorror - Season One
Original:Tales Told In Technihorror - Season One
Ano:2021•País:EUA
Páginas:32• Autor:Kiyarn Taghan, Christian Dibari•Editora: Scout Comics

Lançado a poucos dias neste mês de julho, Tales Told In Technihorror (Season One) se trata de um antologia de histórias curtinhas de horror abraçando subdivisões do gênero, do natural horror ao gore. Uma obra publicada pela editora Scout Comics sob o selo Black Caravan, que tem como alvo um público adulto.

Uma grata surpresa inesperada na prateleira, apesar de o título já ter chamado atenção quando anunciado nos catálogos de lançamento com a capa acima facilmente atiçando a curiosidade da qualquer fã de horror.

A princípio essa capa de Christian Dibari, com uso de cores incomuns para o gênero porém com um forte apelo nostálgico aos anos 80 — não é de ser admirar nas produções artísticas de hoje, vide o efeito Strange Things nas demais obras —, traz uma promessa interessante: “Regular horror shorts, For Irregular People”, algo que pode ocorrer com qualquer antologia da qual há o interesse nela completa ou ser apenas agradado por uma história.  De uma forma ou de outra, ela acaba se pagando.

No requisito “shorts” de fato levado ao pé da letra, são 5 histórias com uma média de 5 páginas cada e 1 página de capa cada. E sem sombra de dúvida cumprem a promessa do horror em cada página, que vão de contos sobrenaturais ao sci-fi gore. Sendo elas:

  • In Cold Pursuit
  • Imposter Syndrome
  • Roots of Evil
  • One-Thousand Teeth
  • Unsafe

Normalmente decorreria por cada uma delas mas pelas mesmas serem tão curtas é possível que o mínimo que eu descreva já iria ser o suficiente para entregar demais. Todas escritas por Kiyarn Taghan, responsável também pelos letramento, e que passeia as temáticas por diversos subgêneros do horror mantendo uma narrativa de perspectiva intimista. Todas as histórias pagam tributos diretos a diversas obras icônicas desde Monstro do Pântano, O Abismo a Hellraiser.

Infelizmente é justamente essa características de serem extremamente curtas a minha maior crítica. Todas começam e terminam em um ritmo frenético com ápice sempre deixando um gosto de quero mais. Talvez seja um ensaio para depois serem desenvolvidas. E outro detalhe que pode incomodar algumas pessoas -não é o meu caso — é o fato de carregarem o DNA tão cravado nos clássicos clichês do horror sem grandes reviravoltas ou conclusões não vão tão longe do esperado; é um fan service aos amantes do gênero e muitas vezes é isso mesmo que esperamos.

O traço ficou por conta de Christian Dibari, que também desenhou a capa. Extremamente competente para a natureza da obra, que, variando de uma história para outra, deixa seu próprio traço de indefinidas maçarocas amorfas ou um rudimentar na arte-finalização propositalmente desleixada ou inexistente.

As cores são um detalhe à parte (talvez daí a força no título da antologia), mas cada uma das histórias mantém sua cor base demarcando bem as mudanças entre uma história e outra. E as cores ficaram a cargo de Simon Gough.

Kiyarn, Simon e Christian tem como outra obra em parceria, Provenance of Madness, e agora Tales Told In Technihorror — Season One, dando seus primeiros passos com o público, valendo seu preço de capa. É algo para ficar no radar do que mais pode vir do selo Black Caravan.

Scout Comics: https://www.scoutcomics.com/

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Ed "Toy" Facundo

Cearense nascido e criado na capital, apaixonado pela ideia de dar vidas aos seus brinquedos ou resolver intrigantes configurações do lamento - talvez esteja em um copo de cerveja - e vocalista da banda de death/thrash metal Human Heritage. Veio à Newcastle (Upon Tyne) em busca daquilo que traumatizou Constantine e sobrando tempo para exercer sua profissão de desenvolvedor de jogos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.