Terror no Pântano 4 (2017)

4.2
(10)

Terror no Pântano 4
Original:Victor Crowley
Ano:2017•País:EUA
Direção:Adam Green
Roteiro:Adam Green
Produção:Will Barratt, Sarah Elbert, Adam Green, Cory Neal
Elenco:Parry Shen, Kane Hodder, Laura Ortiz, Dave Sheridan, Krystal Joy Brown, Felissa Rose, Brian Quinn, Tiffany Shepis, Chase Williamson, Katie Booth, Kelly Vrooman, Jonah Ray, Tony Todd

Quarto filme da famigerada cinessérie Hatchet (na tradução literal “Machadinha”, ou Terror no Pântano, conforme adotado pelos distribuidores brasileiros), Victor Crowley aka Hatchet 4 foi lançado em 2017 em comemoração a uma década da franquia. O longa, que se passa vários anos após os eventos dos três primeiros filmes, traz o retorno de Adam Green à direção, além de manter Kane Hodder (conhecido entre os fãs do gênero por dar corpo a Jason Voorhees em quatro oportunidades, dos capítulos sétimo ao décimo de Sexta-Feira 13) no papel do icônico vilão Victor Crowley. Quem retorna também é o sempre presente Parry Shen, agora como o protagonista que teria escapado da carnificina anterior. Curiosamente Shen participou dos outros filmes interpretando sempre personagens diferentes. Na ocasião do lançamento oficial de Terror no Pântano 4, vários eventos comemorativos foram realizados nos Estados Unidos, incluindo a impressão de uma revista em quadrinhos chamada Adam Green’s Hatchet, que posteriormente derivou outros títulos e que, acreditem ou não, são publicados até os dias de hoje.

No roteiro, escrito por Green, Andrew Yong (Parry Shen) está divulgando seu livro I, Survivor. A obra conta como ele superou todos os obstáculos e escapou vivo do massacre ocorrido no filme anterior. Um adendo aqui: este livro realmente existe e está disponível para venda na Amazon! Enquanto isso, Chloe, seu namorado Alex e Rose estão desenvolvendo um longa-metragem independente sobre os assassinatos ocorridos no pântano e associados a Victor Crowley. O grupo de cineastas, em uma sessão de autógrafos de Andrew, tenta convencê-lo a participar da produção. Ele nega veementemente, mas em pouco tempo já está em um voo (junto com a ex-mulher e parte da equipe de cineastas) em direção ao pântano Honey Island. Como era mais que esperado, tudo dá muito errado, começando pelo avião que sofre uma pane e cai exatamente no lugar amaldiçoado onde aconteceram os crimes. Durante o acidente, Rose está vendo no celular um vídeo em que o Reverendo Zombie está declamando uma maldição vodu. O aparelho acaba caindo e fica em loop repetindo as palavras que ressuscitam Victor Crowley, que retorna ávido por novas vítimas. Enquanto o avião afunda no pântano, Andrew e o resto do grupo têm que decidir se utilizarão os restos da aeronave como abrigo ou enfrentarão a criatura que está do lado de fora. Neste meio tempo, Victor já matou parte da equipe que aguardava no local, com direito a um empalamento utilizando os braços da própria vítima (sim, você leu certo).

Com muito gore e um humor pra lá de mórbido, Terror no Pântano 4 dá continuidade ao conceito original de Adam Green, que é emular e celebrar os slashers da década de 80. Apesar do orçamento limitado (para se ter ideia, as filmagens ocorreram em apenas 11 dias), Green continua deixando de lado os recursos digitais e apostando acertadamente na maquiagem e nos efeitos práticos. Um primeiro aviso, este formato que investe sem medo no exagero e na galhofa faz do longa ser indicado, antes de tudo, para os fãs que aprovaram os demais filmes da franquia. Ainda em relação à violência explícita, são pelo menos 15 mortes: além do empalamento já citado, cabeças são cortadas, amassadas, arrancadas, olhos perfurados e por aí vai. Porém, a proposital falta de seriedade do enredo e o sangue em quantidade desmedida afastam qualquer possibilidade de uma leitura mais realista, ou seja, todas estas atrocidades têm pouco impacto, principalmente para o espectador mais hardcore, já acostumado às produções mais “intensas” do gênero horror.

Em relação ao elenco, além de Parry Shen e Kane Hodder, assim como nas partes anteriores, Terror no Pântano 4 traz algumas rápidas participações especiais, como Felissa Rose (de Acampamento Sinistro, 1983), Tiffany Sheppis (Abominável, 2006) e Laura Ortiz (Viagem Maldita, 2006).

Para conhecer melhor Adam Green

Adam Green criou em 2015 a série Adam Green’s Scary Sleepover. Segundo o próprio release do programa, que está disponível no Youtube (em inglês): O icônico cineasta do gênero Adam Green oferece festas do pijama no estúdio ArieScope Pictures apresentando um artista famoso diferente a cada semana como seu convidado. Enquanto estão vestidos de pijama, dormindo no chão, comendo junk food, assistindo filmes e jogando jogos de tabuleiro, Green descobre o que realmente assusta as mesmas pessoas que ganham a vida assustando o público. Já passaram pelo programa: Kane Hodder, Tom Holland (o roteirista/diretor, não o Homem-Aranha), Danielle Harris e Darren Lynn Bousman, entre outros.

Mas afinal, qual a origem de Victor Crowley?

Victor Crowley, em sua infância, era portador de uma doença rara que lhe causava grandes deformidades no rosto. Para protegê-lo de algumas crianças, que lhe atormentavam por causa de sua aparência grotesca, seu pai passou a trancá-lo na cabana em que viviam no pântano. Certo dia, em uma brincadeira tão maldosa quanto inconsequente, alguns adolescentes atiraram fogos de artifício em direção ao local, causando um incêndio. Desesperado, tentando salvar o filho, o pai arrombou a porta da casa com uma machadinha, entretanto acabou atingindo o jovem, que morreu em seus braços. No segundo filme, outros detalhes sobre a origem do personagem são revelados, atribuindo à trama uma pequena camada sobrenatural: Thomas Crowley vivia feliz com a esposa em Nova Orleans até que a companheira adoeceu gravemente. Durante o tempo em que Shyann definhava, Thomas se envolveu emocionalmente com a enfermeira contratada para auxiliar nos cuidados médicos da esposa. Em seus últimos momentos de vida, Shyann amaldiçoou o marido e a amante, então grávida. A maldição afetou o bebê, que nasceu com a doença incomum que lhe afetava a aparência. No dia do nascimento do pequeno Victor, uma centena de animais teriam morrido inexplicavelmente no pântano, alertando que uma força cruel e demoníaca acabava de despertar.

Infelizmente, para os curiosos que pensam em conferir Terror no Pântano 4, o filme não está disponível em nenhum canal de streaming no Brasil enquanto este texto é escrito, portanto, não será possível vê-lo sem quebrar algumas regras legais, o que não é aconselhável.

Enfim, Victor Crowley aka Terror no Pântano 4 encerra a quadrilogia mantendo todo o conceito e “qualidade” original e ainda confirma a inserção de Victor Crowley na galeria dos grandes vilões do gênero, ao lado de outros ícones menos undergrounds como Jason, Myers ou Jigsaw. É um filme para iniciados, daqueles para assistir sem pretensões, regulando a suspensão de descrença para o nível máximo e tendo como expectativa apenas se divertir.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.2 / 5. Número de votos: 10

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Avatar photo

João Pires Neto

João Pires Neto é apaixonado por livros, filmes e música, formado em Letras, especialista em Literatura pela PUC-SP, colaborador do site Boca do Inferno desde 2005, possui diversos contos e artigos publicados em livros e revistas especializadas no gênero fantástico. Dedica seu pouco tempo livre para continuar os estudos na área de literatura, artes e filosofia

3 thoughts on “Terror no Pântano 4 (2017)

  • 06/12/2023 em 14:25
    Permalink

    É um filme fraco, mas divertido. Dá pra passar o tempo e a cena pós crédito é maravilhosa!!!!! Espero que eles voltem com mais um filme.

    Resposta
  • 04/12/2023 em 16:12
    Permalink

    Esse filme me decepcionou, achei o mais fraco da franquia. Não sei porque o diretor achou que seria uma boa idéia passar praticamente todo o filme dentro daquele avião destruido.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *