Os Violentos (1957)

Os Violentos
Original:The Executioners
Ano:1957•País:EUA
Páginas:175• Autor:John D. MacDonald•Editora: Editora Record

John D. MacDonald foi um dos grandes autores de livros policiais dos Estados Unidos, mas hoje a maior parte da sua obra caiu no esquecimento. O leitor brasileiro geralmente se lembra do seu nome apenas como o autor do fantástico prefácio do livro Sombras da Noite, de Stephen King, mas MacDonald deixou livros de excelente qualidade como Mais um Domingo, Condomínio de Luxo e a série do detetive praiano Travis McGee, que merecem ser redescobertos.

A obra mais conhecida de MacDonald é Os Violentos (The Executioners, 1957) lançado no Brasil pela Editora Record em em 1970. Você conhece esse livro, mas provavelmente não por esse nome. A culpa é de Gregory Peck, que, ao produzir a adaptação do livro para o cinema, mudou o título para Cape Fear (Cabo do Medo, ou, como o filme foi lançado por aqui, Círculo do Medo) já que acreditava que um título geográfico atrairia mais público pro cinema. A história sofreu diversas mudanças ao ser adaptada para o cinema, e mais ainda no remake de 1991 dirigido por Martin Scorcese, que guarda poucas semelhanças com o livro original.

No livro, o advogado Sam Bowden vive tranquilo com a esposa Carol e os filhos pequenos Bucky, Jamie e Nancy. Mas essa tranquilidade está prestes a acabar, pois um estuprador chamado Max Cady, contra quem Sam prestou testemunho no tribunal, está prestes a sair da cadeia. Cady tem fome de vingança e vai fazer de tudo para infernizar a vida da família Bowden. Ao ser pressionado além do seu limite, a família Bowden decide montar uma tocaia para pegar o criminoso, com a ajuda de amigos na polícia.

Os Violentos (1957) (2)

O Max Cady do livro é um criminoso comum, menos ameaçador que o sexy beast interpretado por Mitchum no filme original e a anos-luz de distância do exagerado monstro tatuado interpretado por De Niro na refilmagem de Scorcese. Outra grande diferença é que no livro Sam tem três filhos, enquanto nas adaptações cinematográficas ele tem apenas uma filha, que se torna o alvo predileto de Cady. Não há nenhuma menção ao Cabo do Medo no livro, e o confronto final se dá na casa dos Bowden. Curiosamente as edições americanas mais recentes do livro foram lançadas com o título Cape Fear, e o nome The Executioners foi praticamente esquecido. Já passou da hora de esse livro ganhar uma nova edição no Brasil, proporcionando aos fãs das adaptações cinematográficas uma chance de compará-los com o material original.

(Visited 173 times, 1 visits today)
Matheus Ferraz

Matheus Ferraz

Mineiro, autor publicado e mestre em Biografia pela University of Buckingham

Um comentário em “Os Violentos (1957)

  • 03/03/2015 em 02:05
    Permalink

    Eu só assisti ao remake do Scorsese, nem sabia que tinha livro.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *