CCXP 2018: Conversando sobre terror no estande da Warner Bros.

0
(0)

Pelo segundo ano consecutivo, o Boca do Inferno foi convidado pela Warner Bros. para falar sobre terror em um mini-painel em seu estande. Desta vez, só estávamos eu e o amigo Jefferson Cândido, diretor das câmeras escondidas do SBT, para comentar como são feitas as “Pegadinhas de Terror“.

Além de explicar a diferença entre Medo e Sustos, falamos sobre o processo de criação das pegadinhas (as relacionadas aos filmes Annabelle, Annabelle 2, Invocação do Mal, Invocação do Mal 2, A Freira e até a Loira do Banheiro), se o público realmente se assusta, qual foi a que possui mais visualizações…

Jefferson disse que todas elas passam pela avaliação do próprio Silvio Santos. E que para desenvolvê-las, eles assistem ao filme bem antes da estreia e tentam recriar cenários da produção. Muitas vezes utilizam até mesmo material original da própria produção para dar mais realismo ao que será exibido e convencer a “vítima“, escolhida depois de algumas questões observadas. Nem todas permitem que sua imagem seja exibida na TV, até descobrir que se trata do programa do Sílvio.

Falamos sobre as expectativas em torno de Annabelle 3, It: A Coisa – Parte 2, A Maldição da Chorona e até mesmo um possível filme com O Homem Torto, monstro que apareceu em Invocação do Mal 2. Qual será a próxima tendência do gênero? Tanto eu quanto Jefferson não tivemos uma opinião muito definida a respeito, mas demonstramos estar satisfeitos pelo fato do brasileiro estar mais receptivo para o gênero no Brasil, vide o lançamento de Os Exterminadores do Além contra a Loira do Banheiro, Animal Cordial e A Mata Negra.

Respondemos à opinião de um espectador do Facebook sobre o filme A Freira, antes de encerrarmos o painel Universo Terror da Warner.

É sempre bom falar sobre o gênero…

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

(Visited 110 times, 1 visits today)

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

One thought on “CCXP 2018: Conversando sobre terror no estande da Warner Bros.

  • 23/04/2020 em 02:44
    Permalink

    Nenhuma dessas pegadinhas me convencem serem reais. É tanto exagero na produção, que se alguém acreditar nisso, tenho que chamar de idiota.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.