O Grito 2 (2006)

O Grito 2 (2006)

O Grito 2
Original:The Grudge 2
Ano:2006•País:EUA, Japão
Direção:Takashi Shimizu
Roteiro:Stephen Susco, Takashi Shimizu
Produção:Sam Raimi, Robert G. Tapert, Takashige Ichise
Elenco:Amber Tamblyn, Edison Chen, Arielle Kebbel, Sarah Michelle Gellar, Takako Fuji, Sarah Roemer, Matthew Knight, Yuya Ozeki, Jennifer Beals, Christopher Cousins

Fazer sequências é uma tarefa difícil. Mais complicado ainda se for uma continuação de uma refilmagem. Representando esta categoria, O Grito 2 (The Grudge , 2006), que teve estreia mundial no dia 12 de outubro de 2006, até possui algumas falhas, mas consegue ser um bom filme, com uma produção bem cuidada, roteiro criativo e uma trama macabra e interessante.

O Grito original (Ju-on), dirigido por Takashi Shimizu, foi lançado no Japão em 2000. A trama contava a história de uma maldição na qual quando alguém bate as botas em um momento de raiva, seu espírito rancoroso e vingativo não perdoa e faz as pessoas morrerem vitimas por uma poderosa

ira. A versão norte-americana, batizada de The Grudge, veio quatro anos depois e foi também comandada por Shimizu e produzida por Sam “Evil Dead” Raimi.

Estrelado por Sarah Michelle Gellar (Scooby-Doo, 2002), o remake, que teve boa aceitação de público e crítica, conta a história da estudante americana Karen Davis, que vai trabalhar em Tóquio e passa a ser assombrada pelo fantasma de uma mulher e de um garoto. Na trama, japonesa e americana, a maldição começou após Kayako (Takako Fuji) e o pequeno Toshio (Yuya Ozeki), terem sido assassinados pelo marido dela, que após os crimes, se matou. Desde então, a casa na qual a família morreu passou a ser assombrada.

O Grito 2, também dirigido por Takashi Shimizu, consegue levar a história original para um clima mais denso, com bons momentos de suspense e sequências bem construídas. A nova trama acompanha a jovem Aubrey (Amber Tamblyn, de O Chamado), que parte para Tóquio quando recebe a notícia de que a irmã Karen está internada em um hospital. Após um fatal acidente com a irmã, Aubrey acaba se envolvendo na mesma maldição que perseguiu Karen no primeiro filme.

O Grito 2 (2006) (2)

Paralelamente, a trama mostra um grupo de amigas que, conhecendo a lenda em torno da casa na qual Karen trabalhou, resolve visitar o local e pregar uma brincadeira de mau gosto da novata da turma, a pobre Allison (Arielle Kebbel, de Be Cool). Enquanto isso, acompanhamos o drama de uma família de Chicago que, com a chegada de uma estranha vizinha, passa por estranhas e violentas mudanças de comportamento.

Com roteiro bem construído, O Grito 2 narra essas três histórias, que aparentemente não possuem ligação entre si, gerando bons momentos de suspense. Com os já tradicionais fantasmas pálidos / azulados e com longos cabelos negros, o filme consegue gerar interesse ao mesclar as três histórias, cada uma com narrativa própria.

O filme ainda possui uma ambientação mórbida, típica das produções orientais, o que também ajuda em um bom interesse pela trama. Embora essa qualidade não seja exclusiva das locações japonesas, pois o prédio em Chicago é de deixar qualquer pessoa com receio de andar pelos corredores do local. O interessante roteiro também consegue prender a atenção do público, que fica aflito acompanhando a evolução das três tramas, até a hora da ótima conclusão, que termina por ligar as três partes.

Claro que O Grito 2 também possui falhas, como alguns personagens sem graça que entram na trama apenas para morrer, a exemplo do jornalista ou a mãe da fantasma. Outros momentos têm intenção de assustar, mas acabam soando cômicos, especialmente para uma plateia composta por adolescentes, como quando o fantasma de Toshio começa a miar.

O filme ainda apela para algumas sequências de susto fácil, o que, por pouco, não tira a credibilidade do produto. Outras cenas que também teriam função de dar medo acabam soando exagerada como quando Allisson é atacada pelos fantasmas das “amigas”. A ideia foi ótima, mas a performance dos espíritos deixou um pouco a desejar soando trash demais e mórbido de menos.

Deja vu

Mesmo com eficientes momentos de suspense, é inegável que O Grito 2 possui algumas cenas que foram literalmente clonadas de filmes já existentes. A começar pelo formato da película, que possui três histórias narradas ao mesmo tempo. Tal ideia havia sido realizada pelo próprio diretor Shimizu quando produziu o primeiro Ju-On, que possui narrativa dividida em três histórias.

Curioso observar que para a versão americana do primeiro O Grito, Shimizu utilizou uma dessas três tramas originais para criar o enredo da refilmagem. No caso, a da estudante que vai trabalhar na casa assombrada por uma maldição. A história das amigas que vão visitar o local assombrado também é originalmente do primeiro Ju-On, no entanto, Shimizu decidiu adaptar o enredo apenas para a sequência norte-americana.

O Grito 2 (2006) (4)

Um outro exemplo gritante acontece na cena na qual o jornalista Eason (Edson Chen) está em um laboratório fotográfico e é surpreendido pelo fantasma de Kayako que começa a sair do tanque de revelação das fotos. Primeiro é mostrado apenas os longos cabelos negros da moça e depois a cabeça dela começar a se levantar. Tal cena foi literalmente plagiada do excelente Espíritos – A Morte está ao seu Lado (Shutter, 1998). Embora a versão de O Grito 2 seja muito boa, a de Espíritos é de tirar o fôlego.

O Grito 2 ainda possui toda uma seqüência que é idêntica ao prólogo de Halloween – Ressurreição (Halloween: Resurrection, 2002), no qual é mostrado o desfecho da personagem Laurie Strode (Jamie Lee Curtis). No caso de O Grito 2, reencontramos Karen internada em um hospital acusada de incendiar a casa na qual trabalhava, o que resultou na morte do namorado. Perturbada, a garota logo recomeça a ter visões com o fantasma de Kayako, que passa a perseguir a moça pelos corredores do hospital.

Encurralada, Karen é morta por Kayako em uma cena bem realizada. Exatamente como o oitavo filme da franquia Halloween, no qual Laurie Strode começa internada em um hospital e logo volta a ser perseguida pelo irmão Michael Myers. Esfaqueada, ela se despede da série caindo do telhado da instituição, embora não seja mostrado o corpo sem vida dela.

Sarah Michelle é uma boa atriz, mas não é Jamie Lee Curtis. Assim como Karen é uma personagem interessante, mas não é uma Lauria Strode, que esteve presente em quatro filmes da franquia Halloween. De qualquer forma, essa participação de Karen, com cerca de 10 minutos de duração, é um dos pontos fortes de O Grito 2. Aliás, a queda de Karen do prédio também é muito semelhante a uma cena de Visões (The Eye 2 / Jian Gui 2, 2004), na qual um corpo cai, repentinamente, no chão surpreendendo personagens e público.

Semelhanças aparte, O Grito 2 faturou, apenas no final de semana de estreia, mais de US$ 22 milhões ocupando assim o primeiro lugar no ranking dos filmes mais assistidos na semana, o que ocasionou uma terceira parte das aventuras dos espíritos rancorosos.

Curiosidades:

– Apesar de ter levado dois anos para ser produzido e lançado, O Grito 2 foi autorizado pela produtora Sony Pictures três dias após o lançamento de O Grito.

– A Atriz Takako Fuji esteve presente nas seis versões existentes de O Grito, quatro japonesas e duas americanas, como a fantasma Kayako. Já o ator mirim Yuya Ozeke trabalhou em quatro filmes como o fantasma Toshio.

– A participação de Sarah Michelle Gellar em O Grito 2 foi tida como falsa várias vezes durante a produção e só foi confirmada quando as primeiras fotos de divulgação do filme apareceram.

– O diretor Takashi Shimizu foi a Los Angeles para um encontro com os produtores Rob Tapert, Taka Ichise e Sam Raimi e o roteirista Stephen Susco, em um pequeno escritório da Columbia Pictures. O objetivo da reunião era discutir possíveis histórias para uma sequência de O Grito. Segundo Tapert esta reunião durou de 7 a 8 horas, em que vários dos presentes apresentaram sugestões à história.

(Visited 1.293 times, 1 visits today)
Filipe Falcão

Filipe Falcão

Jornalista formado e Doutor em Comunicação. Fã de filmes de terror, pesquisa academicamente o gênero desde 2006. Autor dos livros Fronteiras do Medo e A Aceleração do Medo e co-autor do livro Medo de Palhaço.

3 comentários em “O Grito 2 (2006)

  • 16/01/2014 em 13:04
    Permalink

    Eu desconhecia essa continuação! O.O
    Pensava q todas as duas continuações para O Grito eram japonesas: assisti O Grito 2 e o achei muito confuso.
    Vou procurar essa.

    Resposta
  • 12/01/2014 em 13:01
    Permalink

    Gostei da critica, ele é muito legal!

    Resposta
  • 04/01/2014 em 15:27
    Permalink

    desse filme só gostei do começo,pois o resto achei risível,

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien