Os Inocentes (1961)

0
(0)

Os Inocentes (1961) (1)

Os Inocentes
Original:The Innocents
Ano:1961•País:EUA, UK
Direção:Jack Clayton
Roteiro:Henry James, John Mortimer, William Archibald, Truman Capote
Produção:Jack Clayton
Elenco:Deborah Kerr, Peter Wyngarde, Megs Jenkins, Michael Redgrave, Martin Stephens, Pamela Franklin, Clytie Jessop, Isla Cameron

A década de 60 foi muito interessante para o cinema de horror,  marcada por vários clássicos absolutos, que são referências e sempre encabeçam listas de “melhores e mais assustadores“: O Bebê de Rosemary (1968), de Roman Polansky, Psicose (1960) e Os Pássaros (1963) de Hitchcock, A Noite dos Mortos-Vivos (1968), de George A. Romero…estão entre os mais famosos do gênero. Tirando o filme do Romero, os outros citados traziam um terror psicológico, que chocam muito mais pelo que sugerem do que mostram. Os Inocentes trabalha esse tangente do terror ao narrar a história de uma jovem governanta que acredita que a casa onde trabalha está assombrada, e que duas crianças podem ser vítimas das entidades.

Dirigido pelo jovem Jack Clayton (na época com 30 anos), Os Inocentes é uma adaptação do livro A Volta do Parafuso (1898), do escritor americano Henry James. A trama se passa ao redor de Miss Giddens (Deborah Kerr), contratada como governanta de uma mansão para principalmente cuidar dos órfãos Flora (Pamela Franklin) e Miles (Martin Stephens). Ao chegar à casa, a governanta passa a ver aparições de antigos empregados, que ela acredita que estão influenciando as crianças. Miss Giddens começa então a tentar descobrir qual a relação que os falecidos empregados tinham com as crianças, e o motivo da morte de ambos. O ambiente soturno da enorme mansão, com seus intermináveis corredores, criam várias situações de tensão enquanto a governanta caminha segurando seu candelabro. O diretor cria uma ambiguidade entre o sobrenatural e a insanidade da protagonista, gerando muitas dicussões. Há quem defenda que tudo o que acontece não passa de uma loucura da governanta; outros que realmente existe a presença dos fantasmas na mansão.

Os Inocentes (1961) (4)

O filme tem vários nomes conhecidos em sua equipe. A fotografia estupenda em p&b fica a cargo do talentoso Freddie Francis, vencedor de vários prêmios, inclusive dois Oscars por Filhos e Amantes (1960) e Tempo de Glória (1989). Ele é conhecido também por outros trabalhos sensacionais como O Homem Elefante (1980) e Cabo do Medo (1991) do Scorcese. O roteiro ficou a cargo de Willian Archibald, que trabalhou com Hitchcock em A Tortura do Silêncio e com o famoso escritor Truman Capote, do famoso A Sangue Frio.

No elenco o destaque fica para o trio principal: Deborah Kerr trabalha muito bem a questão da ambiguidade do tema e retrata uma mulher que, mesmo fragilizada, tem coragem ao tentar livrar as crianças do mal que ela acredita estar influenciando-as. Pamela Franklin, que veio a trabalhar com o diretor novamente no belo Our Mother’s House, é uma criança linda e elegante, com olhares expressivos e inocentes. Já Martin Stephens cria um personagem com personalidade forte e arrogante, além de se mostrar um pequeno galanteador.

Os Inocentes (1961)

Os Inocentes se tornou um clássico do gênero e ainda é uma grande referência. Os Outros (2001), por exemplo, bebe na fonte e não nega a influência. Houve um prequel em 1971 – Os que chegam com a Noite, dirigido por Michael Winner e estrelado por Marlon Brando – onde mostram os acontecimentos que levaram a morte do caseiro Peter Quint e da Sra. Jessel. Os Inocentes é um filme que tem uma bela estética, elegante, soturna, além de uma atmosfera assustadora, resultando num trabalho primoroso, que não envelhece com o tempo e sempre será um excelente exemplar do gênero.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

(Visited 1.139 times, 1 visits today)

Ivo Costa

Cineasta formado pela Escola Livre de Cinema, dirigiu os curtas “Sexta-feira da Paixão”, “O Presente de Camila”, “Influência” e “Com Teu Sangue Pagará. Produziu o curta ‘Vem Brincar Comigo’. Atualmente é crítico no site Boca do Inferno e professor do Curso Cinema de Horror, da Escola Livre de Cinema. Fez parte do Júri Popular do Festival Cinefantasy em 2011, Júri Oficial do Festival  Boca do Inferno 2017, Juri Oficial da Mostra Espanha Fantástica no Cinefantasy 2020.  Realizou a curadoria da Mostra Amador do Cinefantasy 2019 e do Festival Boca do Inferno 2019.

3 thoughts on “Os Inocentes (1961)

  • 29/09/2014 em 14:36
    Permalink

    Eu li o livro e adorei, mas ainda não tive paciência pra ver o filme. Esse, eu gostaria de ver um Remake. (Não me crucifiquem)

    Deixo aqui meu Blog para os amantes de filmes de Terror
    Você encontra esse e outros filmes pra baixar em:

    http://bautrash.blogspot.com.br/

    Resposta
  • 31/01/2014 em 23:01
    Permalink

    não me assustei com esse filme,e o acho superestimado,me desculpem.

    Resposta

Deixe uma resposta para Cristina Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.