The Walking Dead: 10ª Temporada (2019/2020) (16 episódios)

The Walking Dead - 10ª Temporada
Original:The Walking Dead - Season 10
Ano:2019/2020•País:EUA
Direção:Greg Nicotero, David Boyd, Michael Cudlitz, Laura Belsey, Dan Liu, John Dahl, Michael E. Satrazemis, Bronwen Hughes, Sharat Raju, Daisy von Scherler Mayer, Laura Belsey
Roteiro:Angela Kang, Nicole Mirante-Matthews, Jim Barnes, Geraldine Inoa, Eli Jorné, Kevin Deiboldt, Corey Reed, Julia Ruchman, David Leslie Johnson-McGoldrick, Jim Barnes, Julia Ruchman & Vivian Tse, Eli Jorné & Nicole Mirante-Matthews, Channing Powell, Kevin Deiboldt & Julia Ruchman
Produção:Ryan DeGard, Kevin Deiboldt
Elenco:Norman Reedus, Danai Gurira, Melissa McBride, Christian Serratos, Josh McDermitt, Seth Gilliam, Ross Marquand, Khary Payton, Ryan Hurst, Samantha Morton, Jeffrey Dean Morgan, Eleanor Matsuura, Cooper Andrews

Ninguém poderia imaginar que uma pandemia, assunto tão comum nos cinemas e na TV, fosse atingir o mundo, como aconteceu em 2020. Houve até um quase cenário apocalíptico, quando os comércios e escolas encerraram suas atividades, e a movimentação nas ruas passou a ser menor. Não chegou a ser a tal quarentena prevista, até porque muitos não respeitaram o distanciamento e a necessidade de se manter em casa – e ainda continuam nesse ritmo, na relutância em usar máscaras e evitar aglomerações. Imagina se essa pandemia viesse com uma ameaça zumbi? De qualquer forma, esse espaçamento atingiu a produção de séries e filmes, adiando estreias e finais de temporada, além de mudar conceitos sobre a longevidade de produtos em cena. The Walking Dead teve seu décimo sexto episódio adiado (só foi exibido em 1 de outubro) e também veio com duas mudanças em sua estrutura: a décima temporada agora irá comportar 22 episódios (os próximos 6, apenas em 2021) e o anúncio de que a 11ª Temporada será a última.

Com o final intenso promovido pela nona, com o domínio absoluto dos Sussurradores, a principal dúvida era saber se a série manteria o mesmo fôlego na nova temporada. Sem Rick Grimes e com o informe da saída de uma outra personagem, a expectativa estava em saber como a ameaça iria se manter intensa desse grupo que controla os passos lentos dos mortos. Assim, com a estreia de “Lines We Cross“, em 6 de outubro de 2019, sob a direção de Greg Nicotero, a partir de um roteiro de Angela Kang, as ações mostraram a ressaca pós o massacre promovido pela temível Alpha (Samantha Morton), com o apoio do agressivo Beta (Ryan Hurst). Com o passar dos meses, depois do inverno, o respeito à linha que não deve ser cruzada se mantinha, até perceberem a aproximação dos sussurradores e a queda de um satélite na mata, que poderia promover um incêndio em grandes proporções. Uma vez ultrapassado o limite, não há mais volta.

Destaca-se no grupo dos vilões Gamma (Thora Birch), que adquire a confiança de Alpha ao matar a irmã, e passa a se aproximar do outro lado, principalmente de Aaron (Ross Marquand). Ao mesmo tempo em que se torna uma informante, ela também começa a perceber que os “da cara limpa” não são tão ruins quanto são pintados como tal. E é nesse segundo episódio, “We Are the End of the World“, também de Nicotero, que o passado de Alpha e Beta é conhecido. Enquanto ela perde a afeição pela filha, Lydia (Cassady McClincy), considerando-a morta, Beta expõe sua frieza e que posteriormente irá revelar que a máscara que usa esconde uma pessoa que já foi popular.

Devido a matança promovida pelos sussurradores, principalmente pela morte de Henry, Carol (Melissa McBride) passa a agir sozinha (ou comprometida com alguém em segredo) para buscar meios de se vingar de Alpha até encontra uma oportunidade no terceiro episódio, “Ghosts“, de David Boyd, mas é impedida por Daryl (Norman Reedus) e Michonne (Danai Gurira). E ainda existe a ameaça constante de mortos-vivos a Alexandria, o que leva o grupo a crer, com o apoio de Gamma, que os inimigos ainda continuam impondo sua capacidade de combate. Com menos espaço, pelos limites impostos por Alpha, um outro nome começa a ganhar força: Negan (Jeffrey Dean Morgan), que já havia ajudado o grupo na temporada anterior, salva Lydia, mas consegue fugir para futuramente se unir aos sussurradores. Será que o velho Negan está de volta?

Ganhando a confiança de Alpha e incomodando cada vez mais Beta, ele terá que mostrar confiança em um ataque de grandes proporções que acontecerá ainda na temporada. Até lá, muitos ficarão doentes, como Rosita (Christian Serratos) com a água infectada por alguém que se mostrava de confiança. E Alpha conseguirá a proeza de prender Daryl, Carol, Aaron, Magna (Nadia Hilker), Jerry (Cooper Andrews), Connie (Lauren Ridloff) e Kelly (Angel Theory) em uma caverna com zumbis, finalizando a metade da temporada em 24 de novembro, com o episódio “The World Before“, de John Dahl.

Somente em 23 de fevereiro, com “Squeeze“, de Michael E. Satrazemis, a temporada retornou, já com o mundo avançando com os infectados pelo Covid-19. O embate entre os heróis e os sussurradores se torna maior a partir de então. Negan ganha mais confiança ao denunciar Gamma, enquanto Beta encontra meios de invadir Alexandria e promove algumas matanças. Mas, nada surpreende mais que o confronto entre Daryl e Alpha, com o público realmente preocupado com a vida do rapaz, gravemente ferido, e principalmente o momento em que Negan anuncia o local onde poderia estar Lydia, apenas para surpreender a líder dos sussurradores, no décimo segundo episódio, “Walk with Us“, de Nicotero, o melhor da temporada.

No episódio seguinte, Michonne encontra evidências de que Rick possa estar vivo, anunciando sua despedida da série para fazer parte do filme que está sendo produzido. Outro ponto importante dessa temporada, além da vingança de Beta, que une a maior horda de zumbis já mostrados na série, é o contato de Eugene (Josh McDermitt) com uma moça pelo rádio, que se autodenomina Stephanie. Combinando um encontro com a estranha, ele, o moribundo Ezekiel (Khary Payton) e Yumiko (Eleanor Matsuura) partem numa narrativa própria para encontrá-la, o que determinará os passos dos episódios finais e prováveis novos inimigos da série. No caminho, conhecem a insana Juanita ‘Princess’ Sanchez (Paola Lázaro), com suas roupas extravagantes e métodos ainda mais esquisitos.

A batalha na torre é bem interessante e tensa, e traz o retorno rápido de uma velha conhecida, já anunciada em algumas notícias da série. Não acontecerão grandes perdas, como é comum em finais de temporadas na série, mas há o fechamento do ciclo sussurradores de maneira satisfatória. Agora resta saber o que os seis últimos episódios trarão para a décima temporada, e quais serão os próximos desafios do grupo. É difícil imaginar que caminhos The Walking Dead pretende seguir nesses seis episódios e na próxima e última temporada, embora a última cena tenha dado algumas pistas.

De todo modo, pode-se dizer que a série realmente melhorou bastante nessas duas últimas temporadas, sem se concentrar em apenas um líder. Manteve um grupo grande, com bons acréscimos e poucas perdas, menos dramaticidade e apostando mais nas sequências de ação e combate.

(Visited 197 times, 4 visits today)
Marcelo Milici

Marcelo Milici

Fundou o Boca do Inferno em 2001. Formado em Letras, fez sua monografia sobre o Horror Gótico na Literatura. É autor do livro "Medo de Palhaço", além de ter participado de várias antologias de horror!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *