Spiders 2 (2001)

5
(2)

Spiders 2
Original:Spiders 2
Ano:2001•País:Israel, EUA
Direção:Sam Firstenberg
Roteiro:Stephen David Brooks, Boaz Davidson
Produção:Boaz Davidson, Danny Lerner, David Varod
Elenco:Stephanie Niznik, Greg Cromer, Daniel Quinn, Richard Moll, Harel Noff, Yuri Safchev, Dimiter Kuzov, Miroslava Bonjeva

Menos de um ano após o lançamento de Aranhas Assassinas, uma produção com bons momentos de tensão e efeitos especiais, já foi lançada uma sequência, sem relação direta com o primeiro, apenas com aranhas gigantes atacando um cargueiro. Se suas falhas fossem apenas parte do roteiro desconexo e o longa garantisse uma hora e meia de entretenimento, qualquer problema poderia ser relevado, até mesmo os efeitos ruins. Não foi o que aconteceu.

No enredo, depois de perder a embarcação por conta de uma forte tempestade, o casal Jason (Greg Cromer) e Alexandra (Stephanie Niznik) é resgatado por um navio cargueiro, sendo recebidos pelo capitão Bigelow (Daniel Quinn) e sua tripulação, que inclui o estranho “médicoDr. Grbac (Richard Moll), o responsável por cuidar dos ferimentos do rapaz com injeções constantes e métodos agressivos. O que parece ser um momento de sorte, aos poucos – bem “aos poucos” mesmo -, transforma-se em um pesadelo claustrofóbico quando eles descobrem que o navio carrega aranhas gigantes e corpos.

Jason tenta alertar a namorada sobre as atitudes suspeitas do comandante, encantado com a garota, mas ela está muito agradecida pelo salvamento e só vai começar a acreditar quando todo o controle for perdido. Até lá, as aranhas pouco aparecerão, e o espectador terá a sensação de estar vendo um thriller marítimo, com piratas e sequestro com segundas intenções.

Apesar das atuações fracas, incluindo do protagonista Greg Cromer, o jeito exagerado do “cientista louco” interpretado por Richard Moll é bem interessante, como muito de seus papéis – ele foi o vilão de A Casa do Espanto (1986). Só não é possível entender por que colocaram no cartaz do filme uma imagem que mostra a conclusão de seu personagem, o grande vilão de Spiders 2.

Efeitos ruins, principalmente quando os espécimes se soltam pelo cargueiro, a lentidão da narrativa e os tropeços graves de continuidade contribuem para que o filme não seja recomendado nem para os fãs de bagaceiras, que emitirão apenas um leve sorriso na sequência final com o helicóptero quase sendo derrubado por uma aranha.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.