Pesadelos Noturnos (1970)

0
(0)

Pesadelos Noturnos
Original:Les cauchemars naissent la nuit
Ano:1970•País:Liechtenstein
Direção:Jesús Franco
Roteiro:Jesús Franco, Josyane Gibert, Josyane Gibert
Produção:Jesús Franco, Karl Heinz Mannchen
Elenco:Diana Lorys, Paul Muller, Jack Taylor, Colette Jack, Andrea Montchal, Soledad Miranda, Bob Buchholz, Dorothy Elias-Fahn, Grant George, Dave Mallow

“Choro pelas cinzas daqueles que foram queimados vivos. Choro pelo grito do morto que se perde no espaço infinito. Choro pelo sangue que derramei…”

O cinema fantástico europeu de baixo orçamento tem no cineasta espanhol Jesús Franco um de seus maiores representantes. Pesadelos Noturnos (1970), conhecido pelo título internacional “Nightmares Come At Night”, é mais um filme de seu extenso currículo que passa das duas centenas de produções. Aqui com uma história com alguns poucos elementos sutis de horror e muita exploração de nudez de belas mulheres.

Anna de Istria (Diana Lorys, de O Terrível Dr. Orloff) é dançarina num show de strip-tease numa boate e sua vida muda depois de receber o convite de outra mulher, a rica Cynthia Robins (Colette Giacobine, creditada como Colette Jack), para morar com ela em sua casa enorme. Porém, enquanto tenta se adaptar numa rotina mais luxuosa e numa relação mais íntima com sua anfitriã, Anna começa a sofrer com perturbadores “pesadelos noturnos”. Nesses momentos oníricos, ela comete assassinatos, confundindo sua mente entre realidade e fantasia e questionando se alguma doença poderia estar alterando sua sanidade.

Um amigo de Cynthia, o médico psiquiatra Dr. Paul Lucas (o ótimo ator suiço Paul Muller, de A Virgem e os Mortos), é chamado para tentar ajudar e orientar a atormentada Anna, com seus sonhos tornando-se cada vez mais confusos. E um estranho casal de vizinhos, Soledad Miranda (creditada como Susan Korda) e seu namorado (André Montchall), está sempre observando os movimentos na casa ao lado, interessados em algo misterioso. Enquanto Anna luta para não sucumbir à loucura pelos terríveis pesadelos, uma trama sinistra de conspiração, com mortes e roubo de joias, parece tomar conta do lugar.

Este é mais um filme “exploitation” de Jesús Franco (aqui creditado como Jess Franco), com história confusa e arrastada que parece não ter muita importância, para dar lugar às cenas eróticas das belas atrizes nuas, especialmente Diana Lorys, pois sua personagem Anna passa a maior parte do tempo sem roupas. Os elementos de horror são bem discretos, com apenas alguns assassinatos sem sangue e violência, além de um elogiável desfecho pessimista.

Um dos cartazes estampa a atriz espanhola Soledad Miranda, numa ação oportunista de marketing, pois ela teve uma participação muito pequena e de forma isolada. Conhecida por outros filmes do diretor Franco como Conde Drácula (1970), com Christopher Lee, Herbert Lom e Klaus Kinski, e Vampiras Lésbicas (1971), ela morreu precocemente num acidente de carro, tornando-se uma atriz cultuada. Curiosamente, enquanto aguardam a oportunidade de tornarem-se ricos, a personagem de Soledad Miranda fala para seu namorado que gostaria de ter sua vida de luxos fugindo para o Brasil.

Pesadelos Noturnos foi considerado um filme perdido por muitos anos e redescoberto em 2004 num lançamento internacional em DVD. Existem fontes que informam que as sequências isoladas da personagem de Soledad Miranda e seu namorado eram apenas testes de cena filmados antes e que explicam a falta de uma conexão mais convincente com a história de pesadelos de Anna.

Foi distribuído no Brasil em DVD pela “Vinny Filmes” em Janeiro de 2012, na coleção “Clássicos do Terror”, sem material extra, e também pela “Continental”.

O país de produção é o minúsculo Liechtenstein, localizado no centro da Europa, próximo da Alemanha, Áustria e Suiça, e o título original é “Les cauchemars naissent la nuit”.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Juvenatrix

Uma criatura da noite tão antiga quanto seu próprio poder sombrio. As palavras são suas servas e sua paixão pelo Horror é a sua motivação nesse Inferno Digital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.