Halloween: O Legado de Michael Myers (2021)

5
(10)
Halloween: O Legado de Michael Myers
Original:Taking Shape: Developing Halloween from Script to Scream
Ano:2021•País:EUA
Autor:Dustin McNeills, Trevis Mullins •Editora: DarkSide Books

Outubro, 1978.  A cidade de Haddonfield é vítima de um assassino impiedoso que acaba de fugir do hospício, uma figura usando apenas um macacão e uma máscara branca. Laurie Strode nunca mais teria paz, e o Halloween nunca mais seria o mesmo na pequena cidade fictícia. E nem para os fãs de filmes de terror.

Não é preciso dizer que Halloween e Michael Myers mudaram para sempre o mundo cinematográfico do horror, sendo memoráveis e indispensáveis para qualquer fã do gênero. John Carpenter e Debra Hill abriram as portas do inferno que, mesmo após mais de 40 anos, nunca mais foram fechadas.

Apesar de algumas de suas continuações serem um tanto… duvidosas e dividirem as opiniões de fãs, é preciso admitir que a longa saga é icônica e cultuada. Até os dias de hoje, por mais que haja duras críticas a basicamente todas as sequências que vieram, Halloween mobiliza uma legião de fãs (e haters) ao cinema toda vez que um novo filme é lançado. Seja para elogiar, se decepcionar, criticar ou simplesmente se divertir pela nostalgia, lá estarão os fiéis espectadores, das mais diferentes gerações, que se deslumbraram com o Halloween – A Noite do Terror de 1978. Talvez com esperanças de que dessa vez seja uma continuação à altura do original, talvez simplesmente para falar mal. O que importa é que estarão lá, e é isso que faz a história de Michael Myers perdurar por tanto tempo.

Para eternizar ainda mais essa lenda do horror, a Darkside Books em parceria com a Macabra Tv traz, em uma belíssima edição de colecionador, a obra Halloween: O Legado de Michael Myers, com tradução de Antonio Tibau.

A edição conta com um impressionante e completo conteúdo sobre a franquia. Desde a idealização do primeiro filme por John Carpenter, curiosidades dos bastidores, cenas cortadas, início das filmagens, perrengues envolvidos nas produções e gravações e análises de roteiros até entrevistas com diretores, produtores, roteiristas e outras pessoas que trabalharam nos sets de filmagens e o que a crítica especializada teve a dizer na época de seus lançamentos.

Nota-se todo o árduo trabalho de pesquisa que Dustin McNeill e Travis Mullins, como bons fãs do gênero, tiveram para dar vida a esse livro que é praticamente uma enciclopédia de Halloween e tudo que o envolve, incluindo revelações sinceras na parte de entrevistas e comentários de estrelas como Jamie Lee Curtis, nossa eterna Laurie.  Vale a pena citar que, apesar dos autores serem fãs dos filmes, são totalmente imparciais e relatam tudo de forma verídica, respeitosa e extremamente profissional, sem enfeitar ou puxar o saco de um ou outro diretor ou enaltecer desnecessariamente os longas – eles sabem que erros e defeitos existem e não tentam maquiá-los. Os textos nos são passados de forma realista e com seriedade, mostrando que nem tudo foi perfeito, (muitos) problemas existiram e nem sempre a franquia foi adorada pelos envolvidos. Até mesmo os próprios diretores ficaram extremamente descontentes com os resultados finais de algumas sequências – como o próprio John Carpenter e o polêmico Rob Zombie.

Halloween: O Legado de Michael Myers é um livro necessário não apenas para fãs celebrarem essa adorada (e às vezes odiada) saga e embelezarem a estante, mas também para amantes do horror e do cinema em geral, já que é tão pontual em mostrar a realidade dos bastidores, gravações e dar um vislumbre de como funciona Hollywood.

A obra é praticamente impecável, exceto por um detalhe: foi lançada antes de Halloween Kills e Halloween Ends, então acaba ficando levemente incompleta. Quem sabe logo mais teremos uma versão atualizada que revele tudo que rolou na produção e bastidores dos dois últimos – será mesmo? – filmes da franquia.

Ao menos uma coisa podemos afirmar com certeza: não importa o ano ou de qual geração você seja, Halloween e Michael Myers vivem para sempre. Se isso é bom ou ruim, fica a seu critério.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 10

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Louise Minski

Um experimento de Schrödinger entediado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.