Habitantes da Escuridão (2002)

Habitantes da Escuridão (2002)
Criaturas ocultas nas trevas
Habitantes da Escuridão
Original:They
Ano:2002•País:EUA
Direção:Robert Harmon
Roteiro:Brendan Hood
Produção:Tom Engelman, Scott Kroopf
Elenco:Laura Regan, Marc Blucas, Ethan Embry, Dagmara Dominczyk, Jon Abrahams, Alexander Gould, Desiree Zurowski, Mark Hildreth, Jonathan Cherry, Jessica Amlee, Jay Brazeau

Uma estratégia de marketing que tem sido utilizada pelos executivos da indústria de cinema, no que diz respeito aos filmes de horror, é o lançamento de produções com o nome de Wes Craven em destaque, sendo enfatizado que o filme é uma apresentação do conhecido cineasta, responsável pelas franquias A Hora do Pesadelo e Pânico. Na verdade, atualmente isso não pode ser considerado exatamente um bom negócio, pois seus últimos trabalhos por trás das câmeras tem sido sofríveis de tão ruins e decepcionantes como Amaldiçoados (Cursed) e Voo Noturno (Red Eye), que foram exibidos no segundo semestre de 2005 nos cinemas brasileiros. Infelizmente, o nome de Wes Craven, que já fez filmes perturbadores e significativos como Aniversário Macabro (72) e Quadrilha de Sádicos (77), não pode mais ser considerado garantia de qualidade, pois parece que o diretor está perdendo o talento conquistado em alguns ótimos filmes de seu currículo que hoje está desgastado.

Por isso que quando vejo o nome de Wes Craven entre os créditos de algum filme, fico preparado para mais alguma decepção. Porém, surpreendentemente isso não aconteceu com Habitantes da Escuridão (They, 2002), que tem seu nome como apresentação, apesar do tema básico da história já ser um grande clichê, explorando o medo instintivo do ser humano da escuridão, do desconhecido, sempre instigando a imaginação com a possibilidade da existência de criaturas escondidas e espreitando nossos movimentos.

Habitantes da Escuridão (2002) (2)

A direção é de Robert Harmon (de A Morte Pede Carona, 85, e Velozes e Mortais, 2003), com algumas cenas adicionais dirigidas por Rick Bota (não creditado), e o roteiro é de Brendan William Hood, apesar de que apenas a ideia básica é de sua autoria, sendo que a história final foi escrita pelos produtores e várias outras pessoas envolvidas no projeto (o que também surpreende pois geralmente um roteiro manipulado por muita gente tende a perder a identidade).

Uma bela estudante de psicologia, Julia Lund (a canadense Laura Regan, de O Olho Que Tudo Vê, 2002), repentinamente tem uma reviravolta em sua vida depois de testemunhar um incidente com um perturbado e angustiado amigo de infância, Billy Parks (Jon Abrahams, de A Casa de Cera, 2005). Ambos tinham em comum graves distúrbios quando crianças, sofrendo de horríveis pesadelos e terrores noturnos.

No funeral do amigo, Julia conhece outros colegas de Billy, Sam Burnside (Ethan Embry) e Terry Alba (a polonesa Dagmara Dominczyk), que coincidentemente também tinham os mesmos problemas quando crianças. Após consultarem as anotações que Billy fazia num caderno, evidenciando seu medo do escuro e denunciando a existência de criaturas que viviam num universo paralelo, escondidas na escuridão (Eles, do título original), o grupo de jovens começa a enfrentar um perigo ameaçador, ao descobrirem que estão marcados desde a infância.

Julia começa a ter visões assustadoras e seu maior desafio é separar a realidade de alucinação, lutando por sua vida e sendo auxiliada pelo namorado, o jovem paramédico Paul Loomis (Marc Blucas), e pelo psiquiatra Dr. Booth (Jay Brazeau).

Habitantes da Escuridão (2002) (3)

Habitantes da Escuridão demorou bastante para chegar ao Brasil, não passando pelos cinemas e indo diretamente para o mercado de vídeo, sendo lançado em DVD somente em junho de 2005 pela Europa. É interessante notar como esse filme, que é bem melhor que Amaldiçoados e Voo Noturno, por exemplo, chegue atrasado por aqui e sem passar na tela grande, quando as já citadas tranqueiras de Wes Craven estrearam rapidamente no país e ainda foram para os cinemas.

O filme aborda um tema já desgastado, mas que ainda assim desperta interesse. O medo da escuridão e a sugestão de terríveis monstros ocultos nas sombras já haviam sido explorados em outros filmes como o apenas razoável No Cair da Noite (Darkness Falls, 2003) e o ótimo A Sétima Vítima (Darkness, 2002).

Entre os destaques de Habitantes da Escuridão temos as criaturas, nunca vistas claramente em detalhes, e apenas em lances rápidos nas trevas, num trabalho de criação do conhecido técnico Patrick Tatopoulos, o mesmo que projetou os terríveis monstros noturnos de Eclipse Mortal (Pitch Black, 2000). Outro ponto positivo e merecedor de registro foi o final não convencional e pessimista, fugindo daqueles tradicionais desfechos previsíveis e dispensáveis, os quais têm apenas o objetivo de colocar sorrisos de alívio nos espectadores.

(Visited 866 times, 1 visits today)
Juvenatrix

Juvenatrix

Uma criatura da noite tão antiga quanto seu próprio poder sombrio. As palavras são suas servas e sua paixão pelo Horror é a sua motivação nesse Inferno Digital.

2 comentários em “Habitantes da Escuridão (2002)

  • 01/05/2013 em 22:40
    Permalink

    ainda não assisti,mas depois eu dou uma conferida.

    Resposta
    • 10/08/2018 em 00:51
      Permalink

      Ainsa não assisti Habitantes da Escuridão, mas me parece ser um bom filme.
      Só não esquecendo de mencionar que Ao Cair da Noite é muito bom, não mediano como foi descrito.

      Um abraço.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien