The Eye – A Herança (2002)

0
(0)

MAIS FILMES ONDE O TERROR VEM DOS OLHOS

OS OLHOS DE LAURA MARS (Eyes of Laura Mars, 1978, EUA). Direção: Irvin Kershner
Este é praticamente um cult movie, que Globo e SBT cansaram de reprisar nas madrugadas (hoje em dia anda meio sumido da grade de programação). Com roteiro do diretor John Carpenter (escrito no mesmo ano em que este dirigia o clássico Halloween), o filme conta a história de uma fotógrafa de moda, Laura Mars (Faye Dunaway), que passa a ter visões premonitórias dos violentos crimes cometidos por um serial killer. A tensão cresce quando Laura enxerga o próprio assassinato. Os nerds adorarão saber que o diretor Kershner é o mesmo de O Império Contra-Ataca. E o filme ainda tem um excelente elenco, com Tommy Lee Jones, Raul Julia e Brad Dourif. Vale a pena procurar nas locadoras.

Blink (1994) (1)

BLINK – NUM PISCAR DE OLHOS (Blink, 1994, EUA). Direção: Michael Apted
Praticamente uma versão moderna de Os Olhos de Laura Mars. A belíssima Madeleine Stowe, que na época estava no auge da gostosura, interpreta uma violonista cega desde a infância que passa por uma cirurgia de transplante de córneas e recupera parcialmente a visão. Ela testemunha o crime cometido por uma misteriosa figura e não sabe se é real ou uma ilusão provocada pelos “novos” olhos. Paralelamente, outras pessoas que receberam transplante vão sendo atacadas pelo maníaco, e ela pode ser a próxima vítima. Aidan Quinn interpreta o policial que ajuda a moça.

O HOMEM DOS OLHOS DE RAIO-X (Man With the X-Ray Eyes, 1963, EUA). Direção: Roger Corman
Excelente filme da fase mais inspirada do cineasta Roger Corman, que a partir dos anos 70 se transformaria num lendário produtor de filmes de baixíssimo orçamento. Este também foi rodado por uma mixaria, mas a produção barata é contornada pelo excelente e criativo argumento. Ray Milland interpreta o dr. James Xavier, que trabalha numa fórmula para aumentar a visão humana. Ele decide testar a fórmula nele mesmo e ganha o poder de enxergar em “raio-X“, através de objetos sólidos. No começo tudo são flores, mas logo o dr. Xavier percebe que a vida não será mais tão simples.

MANSION OF THE DOOMED (idem, 1976, EUA). Direção: Michael Pataki
Depois que sua filha fica cega como consequência de um acidente de carro, o cirurgião Leonard Chaney enlouquece e se torna obcecado por um transplante de córneas para a menina. Ele começa a atacar vítimas inocentes para lhes extrair os olhos, mas após cada cirurgia os órgãos sofrem rejeição do organismo da filha, obrigando o maníaco a continuar procurando novas vítimas. Ironicamente, o médico não mata ninguém, deixando as pessoas, cegas, trancadas no porão da sua mansão. O primeiro dos dois filmes dirigidos por Pataki, que depois viraria ator, com produção do rei dos filmes B Charles Band. Uma das vítimas do dr. Chaney é um jovem Lance Henriksen.

Trilogia do Terror (1993) (1)

TRILOGIA DO TERROR (Body Bags, 1993, EUA). Direção: John Carpenter e Tobe Hooper
Uma frustrante produção para a TV dividida em episódios, reunindo dois bons diretores americanos, Carpenter e Hooper. Este último dirige o terceiro episódio, intitulado O Olho (The Eye), e estrelado pelo eterno “Luke SkywalkerMark Hammill. Ele interpreta um jogador de beisebol que tem o olho furado em um acidente de carro, o que destrói sua vida e sua carreira. Mas logo ele se submete a um transplante, sem saber que o doador do olho era uma psicopata assassino. O resultado é que o outrora bonzinho Hammill começa a ter alucinações e desejos de matar a esposa, interpretada pela veterana Twiggy.

OS OLHOS DA CIDADE SÃO MEUS (Anguish/Angustia, 1987, Espanha). Direção: J.J. Bigas Luna
Excelente filme espanhol que ganhou um título dos mais ridículos no Brasil. Conta a história de um oculista de meia-idade, dominado pela mãe repressora (interpreta por Zelda Rubinstein, da trilogia Poltergeist), que está progressivamente perdendo a visão. Para compensar seu destino trágico, e hipnotizado pela mãe psicótica, ele sai pela cidade matando pessoas e arrancando seus olhos. O mais surpreendente é que logo o espectador fica sabendo que isso tudo é um filme (!!!) que diversas pessoas assistem no cinema, quando entra em cena um maluco, aparentemente dominado pela mãe do filme dentro do filme, e que começa a matar o público dentro do cinema. Muito interessante.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

(Visited 4.294 times, 2 visits today)

Felipe M. Guerra

Jornalista por profissão e Cineasta por paixão. Diretor da saga "Entrei em Pânico...", entre muitos outros. Escreve para o Blog Filmes para Doidos!

7 thoughts on “The Eye – A Herança (2002)

  • 25/08/2020 em 22:40
    Permalink

    Só agora vi o filme e sinceramente, não consegui tive sustos nenhum, nem cheguei perto, talvez seja pq eu vi dublado, infelizmente não achei legendado,ou eu tenho sangue de barata, hehehe. Mas é um bom filme, com certeza que sim,
    boa direção, e roteiro redondinho.

    Resposta
  • 12/05/2018 em 22:38
    Permalink

    Esse filme é muito tosco eu ri do inicio ao fim…se não era para ser comédia eu lamento.kkk

    Resposta
  • 12/09/2015 em 11:22
    Permalink

    Pelo amor de Deus!!
    Sério que ninguém viu o Bart Simpson pelado?? Aparece na cena em que o Dr e a mulher recém transplantada estão conversando pela primeira vez na sala dele. Tem um quadro, virado pra ele com a imagem do Bart Simpson deitado, pelado!!!!!!!!!! Só eu e meu namorado vimos isso???? Meu Deus!!!

    Resposta
  • 10/11/2014 em 14:52
    Permalink

    Gostei tanto dos comentários que você escreve sobre os filmes que até te adicionei em meus favoritos.

    Resposta
  • 10/11/2014 em 14:47
    Permalink

    Puta que pariu!!! Seu texto é perfeito!

    Resposta
  • 27/10/2014 em 04:33
    Permalink

    Filme muito bom.

    E sobre a curiosidade na tal cena em que aparece um “fantasma” no reflexo na janela do trem, eu pensei por um momento que se tratasse de mais um dos fantasmas do filme, tanto que por um momento pensei que tivesse sido isso que fez a protagonista se assustar e gritar, mas na cena seguinte eu entendi, é claro. Mas agora fiquei realmente intrigado. Aquela aparição é um tanto deslocada no filme e me causou estranheza. Bizarro.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.