Noitários de Arrepiar (2021)

5
(2)

Noitários de Arrepiar
Original:Nightbooks
Ano:2021•País:EUA
Direção:David Yarovesky
Roteiro:Mikki Daughtry, Tobias Iaconis
Produção:Romel Adam, Michelle Knudsen, Mason Novick, Sam Raimi
Elenco:Winslow Fegley, Jess Brown, Mathieu Bourassa, Krysten Ritter, Lidya Jewett

O pequeno Alex Mosher vive com os pais em um antigo prédio no Brooklyn, em Nova York. Além de um grande fã de filmes de terror, ele sempre gostou de escrever suas próprias histórias assustadoras, compiladas em cadernos que ele chama carinhosamente de Noitários (Nightbooks). Contudo, nossa história começa em uma noite em que ele está muito decepcionado, pois ninguém apareceu em sua festinha de aniversário, nem mesmo o seu melhor amigo. Em um ímpeto de raiva, ele destrói vários objetos do seu quarto (o que inclui um pôster de As Criaturas Atrás das Paredes, de Wes Craven). Em seguida, reúne toda a sua coleção de contos em uma mochila, jurando que nunca mais vai escrever. Seu plano é, escondido dos pais, queimar tudo em uma fornalha que fica no porão do edifício. Mas misteriosamente o elevador para em um andar intermediário, onde ele é obrigado a descer. As luzes estão piscando e mesmo incomodado com a situação ele caminha até um apartamento, que está com a porta aberta. Dentro há uma televisão exibindo um de seus filmes favoritos, Os Garotos Perdidos. Hipnotizado, sem pensar, ele entra no apartamento. Do lado do aparelho televisor está um prato com um irresistível pedaço de sua torta preferida. Após provar a guloseima, Alex perde os sentidos e a porta se fecha rapidamente.

Quando acorda, Alex encontra uma bruxa chamada Natacha, que o ameaça com seus feitiços e lhe explica que o apartamento atrai crianças que só são mantidas enquanto são úteis. Como o maior talento do menino é inventar histórias, a bruxa exige que ele escreva e leia para ela um conto novo toda noite, e então ele será poupado. Mas com uma condição obrigatória: nenhuma história pode ter final feliz. Não demora muito para que o pequeno escritor descubra que escapar do local é praticamente impossível, pois as portas não levam a saídas reais e o apartamento magicamente se move ao redor do mundo. Alex conhece então Yazmin, outra garota aprisionada por Natacha. Juntos eles vão tentar desvendar o passado da bruxa e assim se libertar do cárcere enfeitiçado.

Lançamento original da Netflix em 2021, Noitários de Arrepiar traz entre seus produtores um nome muito conhecido dos fãs adultos do gênero horror: Sam Raimi, o criador da venerada cinessérie Evil Dead. O espectador mais alerta vai perceber que determinada cena que ocorre em um elevador é uma releitura-homenagem às insanidades de Arraste me Para o Inferno, obviamente substituindo o conteúdo mais escatológico por algumas gosmas coloridas. Inclusive, o visual da bruxa Grizelda é muito similar ao da Sra. Ganush, a anciã cigana do filme dirigido por Raimi.

Noitários de Arrepiar é o segundo trabalho de maior expressão do jovem cineasta David Yarovesky, que já havia dirigido em 2019 o interessante Brightburn: Filho das Trevas. Se em Noitários de Arrepiar, Yarovesky ainda não imprime sua marca, também não compromete, entregando um trabalho convencional, mas eficiente.

O roteiro, escrito por Mikki Daughtry e Tobias laconis (ambos reponsáveis por A Maldição da Chorona, de 2019), é uma adaptação da obra de J. A. White chamada Nightbooks, sucesso nos Estados Unidos, mas que continua inédito para os leitores brasileiros. O enredo, que acertadamente mistura no mesmo caldeirão As Mil e Uma Noites (assim como Sherazade, Alex deve escrever uma história por noite para sobreviver) e o conto João e Maria (as crianças presas dentro da casa da bruxa), também explora, mesmo que superficialmente, outras questões mais adultas, como o bullying (Alex está incomodado por ser chamado de estranho na escola).

Outro ponto positivo é o elenco: os protagonistas infantis Winslow Fegley (do terror Vem Brincar, 2020) e Lidya Jewett (Mentes Sombrias, 2018) estão excelentes e convencem pela naturalidade com que interpretam seus papéis. Destaca-se igualmente Krysten Ritter, conhecida por viver Jessica Jones, série da Marvel também produzida pela Netflix, como a nada simpática vilã Natacha.

Noitários de Arrepiar traz ainda efeitos visuais competentes que dão vida ao cenário fantástico (que inclui um jardim com plantas mágicas, uma linda biblioteca no melhor estilo Hogwarts e um unicórnio maligno, entre outras criaturas sobrenaturais). Tudo muito colorido e brilhante, para cativar o público infantil. Outro detalhe caprichado são os micro-contos narrados por Alex para Natacha. Eles são representados como pequenos filmes antigos que misturam animação e atores em uma fotografia amparada em tons de vermelho.

E ainda que falte um pouco de inovação em Noitários de Arrepiar, que está mais para uma produção formatada para agradar a maioria da audiência da plataforma Netflix do que inventar algo original, a abordagem do horror de maneira divertida, sútil e lúdica faz com que a produção seja indicada para iniciar o público infantil no gênero. Já a boa qualidade técnica e visual, as referências a outras obras de terror e o enredo bem trabalhado (que traz algumas nuances mais profundas) deve agradar igualmente os fãs mais adultos. Enfim, vale uma conferida.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

João Pires Neto

Apenas mais um rapaz latino americano vindo do interior. Ateu não praticante, vegetariano, viciado em Literatura, Rock and Roll e Cinema. Antifascista, antiespecista, feminista e pai de uma menina linda, de 3 cachorros e 1 gata preta. Formado em Letras e Literatura. Colaborador desde 2005.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.