Lady Killers Profile: Belle Gunness (2021)

5
(3)
Lady Killers Profile: Belle Gunness
Original:Hell’s Princess: The Mystery of Belle Gunness, Butcher of Men
Ano:2021•País:EUA
Autor:Harold Schechter •Editora: DarkSide Books

Chicago já foi conhecida como A Capital do Crime, chegando à marca de mais de 500 pessoas assassinadas em apenas nove meses e com índices altíssimos de criminalidade (além, obviamente, de assassinatos). Hoje em dia os números continuam elevados, porém, a cidade está atrás de outras como Nova Orleans, Detroit e St. Louis – não que isso seja um marco positivo, já que a violência nessas cidades é um grande motivo de preocupação.

Pois bem, não é de hoje e muito menos recente essa onda de crimes em Chicago. Por algum motivo, a populosa cidade sempre atraiu criminosos, sendo o lugar ideal para encobrir os horrores praticados. Na mesma época de H. H. Holmes, o psicopata da cidade branca, outra assassina tão cruel e desprovida de escrúpulos dava as caras por ali. Conhecida por Belle Gunnes, Lady Barba Azul ou A Açougueira de Homens, sua história nebulosa é contada em Lady Killers Profile: Belle Gunness, da editora Darkside Books e com tradução de Letícia Ribeiro Carvalho.

Em meados do século XIX e após se reerguer de um terrível incêndio, Chigaco atraiu jovens esperançosos de uma vida melhor em uma grande metrópole e hordas de estrangeiros procurando um novo lugar para se estabelecerem. Uma grande porcentagem dos imigrantes era composta de noruegueses e povos escandinavos em geral, conhecidos por serem íntegros, fortes e trabalhadores e, portanto, muitíssimo bem-vindos. Entre eles, estava Brynhild Paulsdatter, nascida no interior da Noruega e a mais nova de oito irmãos. Após juntar dinheiro suficiente, decidiu seguir os passos da irmã, Nellie, e tentar uma vida nova nos Estados Unidos.

Mudando seu nome para um mais “americanizado”, passou a chamar-se Belle, e logo arranjou emprego como doméstica em Chicago, adaptando-se rapidamente à nova realidade. Em 1884 casou-se Mads Sorenson, e juntos abriram uma confeitaria, além de adotarem três crianças, já que o casal não teve filhos. Os negócios não iam bem, até que aconteceu um misterioso incêndio no local e o casal foi beneficiado com o dinheiro do seguro, o qual utilizaram para comprar uma nova casa que, curiosamente, também pegou fogo alguns anos depois. Novamente, utilizaram o dinheiro do seguro para comprar outra casa. Após seis anos de casamento, Mads Sorenson faleceu de “insuficiência cardíaca”. No mesmo dia de seu enterro, Belle retirou todo o dinheiro do seguro – que era uma quantia extremamente alta para a época – e mudou-se para uma fazenda em La Porte, Indiana.

Em 1902 conheceu o norueguês Peter Gunness e logo se casaram, mas não demorou muito para os infortúnios começarem. Uma semana após o casamento, a filha mais nova de Peter morreu de causas desconhecidas. Meses depois, foi a vez do próprio homem conhecer seu fim de um jeito, no mínimo, estranho: Belle afirma que uma máquina de moer caiu na cabeça de seu marido, matando-o. Novamente, a viúva Gunness recebeu o dinheiro do seguro de seu falecido esposo.

Nos anos seguintes, diversos homens passaram pela fazenda Gunness, atraídos por um anúncio de jornal que prometia trabalho em uma grande fazenda de La Porte, onde morava uma rica fazendeira. Muitos chegaram, mas quase nunca saiam. Seus baús e pertences eram abandonados, e seu paradeiro tornava-se desconhecido.  As desconfianças de que a proprietária quem estava por trás dos desaparecimentos cresciam, mas nunca encontravam provas de seu envolvimento…até que a própria Belle foi vítima de um incêndio, e todos os seus crimes vieram à tona.

Lady Killers Profile: Belle Gunness relata de forma assustadora os inúmeros pretendentes, casos e vítimas que passaram pela mão da assassina em ordem cronológica. Pouco se sabe da história completa, há muitos detalhes obscuros acerca de sua vida e especialmente de sua morte misteriosa (ou desaparecimento), porém, o livro é muito eficaz em documentar o que é fato e também o que foi – e ainda é – apenas especulação. Após a descoberta dos corpos de suas vítimas, mutilados, despedaçados e enterrados, ao redor da propriedade, a eterna viúva ganhou os apelidos de Lady Barba Azul (personagem criado por Charles Perrault, Barba Azul tinha a fama de assassinar suas esposas) e de Açougueira de Homens, já que todas as vítimas de que se tinham notícias eram homens. Entretanto, descobriu-se que Belle matou também alguns de seus filhos adotivos, entre eles a jovem Jennie.

Após sua morte/sumiço, o autor Harold Schechter ainda descreve a busca incansável pelos corpos das vítimas, a prisão e longo julgamento de um de seus empregados, Ray Lamphere, que, graças a crueldade e esperteza de Gunness, foi considerado o causador do incêndio, além da crença de alguns de que Belle tinha escapado e estava viva cometendo atrocidades em algum outro lugar. Diversas denúncias foram recebidas pela polícia de pessoas afirmando que viram a serial killer em algum lugar, mas sempre que a informação era verificada, era alarme falso.

O fato é que não se sabe até hoje se Lady Barba Azul morreu mesmo naquele incêndio, junto dos filhos, ou se teve sangue frio suficiente para orquestrar o fingimento de sua morte nos mínimos detalhes a ponto da verdade nunca ser descoberta. A crueldade, astúcia e ganância da fazendeira ficam evidentes em seus atos claramente premeditados, e estima-se que Belle Gunness cometeu por volta de 40 homicídios, além dos incêndios criminosos para conseguir o dinheiro do seguro.

Muitas pessoas acreditam que mulheres não são capazes de atos tão vis, e isso já foi desmistificado em Lady Killers: Assassinas em Série, onde são apresentadas diversas mulheres assassinas nas mais diferentes épocas da história. Agora, em Lady Killers Profile, temos ainda mais detalhes sórdidos da maldade e sede de sangue de que elas são capazes.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Louise Minski

Um experimento de Schrödinger entediado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.